Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

PAX MIGRA(NTE) ou Encontro de Povos em Beja

Zé LG, 15.08.11

Desde há alguns anos que defendo a realização de um grande evento em Beja, por altura do feriado de Stª Maria, que não constituísse apenas a evocação da grande feira que até há alguns se realizava, mas pudesse também animar alguns dias dos bejenses que passam todo o verão na Cidade e constituir um espaço de (re)encontro e convívio com emigrantes / ausentes da região e os imigrantes, cujos números e presença têm vindo a aumentar, e ainda de promoção dos produtos e serviços regionais de qualidade bem como da cultura da nossa região e dos países de onde provêm os emigrantes e torná-lo uma referência incontornável, quer no roteiro de Verão quer para o público-alvo específico.

Este evento deveria ter a duração de quatro ou cinco dias, ligando o feriado de Stª Maria ao fim-de-semana mais próximo, e realizar-se no Parque de Feiras e Exposições, com o perfil geral de feira / exposição, festa / festival, encontro / convívio e informação / formação; incluir exposição de projectos, produtos e serviços, encontros de emigrantes / ausentes de Beja e de imigrantes, gala / prémio para os mais destacados, tasquinhas, espectáculos com artistas da região, colóquios, seminários e outras reuniões de informação e ter como públicos-alvos emigrantes e ausentes do concelho e da região, imigrantes e público em geral.

Seria ainda, para além de uma boa oportunidade de negócios, uma forma do Município, da Cidade e da Região mostrarem a consideração que têm quer pelos seus emigrantes / ausentes quer pelos imigrantes e a importância que lhes atribuem.

Esta minha proposta, até agora, ainda não foi considerada por quem de direito, provavelmente porque não tem interesse ou não é exequível. Mas, como tal ainda não me foi demonstrado, ou sequer dito, continuo convencido da sua bondade.

1 comentário

Comentar alvitre