Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

pessoas de todo o mundo debatem ecoaldeias em Tamera - Relíquias

Zé LG, 07.07.11

Conforme explicou Leila Dregger, responsável de relações públicas de Tamera, a primeira ecoaldeia portuguesa, implantada em Relíquias, concelho de Odemira, desde 1995, as ecoaldeias podem ser “parte da solução para a crise” em Portugal.
Para o movimento Rede Global de Ecoaldeias (GEN, em inglês, de Global Ecovillage Network), as pessoas têm de estar “mais conscientes dos recursos que a região em que vivem lhes oferece e saber usá-los de forma mais eficiente”.

Para ilustrar esta ideia, Leila Dregger deu o exemplo da gestão que Tamera faz das águas pluviais, tendo em conta que a ecoaldeia se encontra numa “região do Alentejo com muita água, mas em que só chove no inverno”: “Fazemos uma gestão muito eficiente da água natural, que fica retida numa espécie de lago e depois é usada durante todo o verão para os jardins”, explicou, sublinhando que se trata de um sistema muito simples de implementar, “apenas com barro e terra”.

Estas e outras ideias serão debatidas, entre 07 e 11 de julho, em Tamera, anfitriã da conferência anual da GEN, que trará à freguesia alentejana cerca de 250 pessoas de todo o mundo, que vão partilhar “conhecimentos e experiências sobre como as comunidades podem construir redes para produzir de forma sustentável bens como alimentos e eletricidade”.

 

Ver mais informação sobre esta conferência aqui e sobre a Tamera aqui.