Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

A razão da força em vez da força da razão

Muitos e muito têm falado na necessidade de um entendimento dos partidos do “arco do poder” para levar de vencida a crise que eles próprios criaram. Estas pressões atingiram o seu auge, a nível nacional (porque a nível internacional também se fazem sentir e de que maneira!) com o manifesto em defesa de "Um Compromisso Nacional", que é também subscrito por personalidades como Jorge Sampaio, Mário Soares e Ramalho Eanes, entre outros. Não é, por isso de admirar esta declaração de Mário Soares.

Estas manobras mostram que estes senhores persistem na razão da força em detrimento da força da razão. Não é pelo facto de um governo ter maioria absoluta que resolve bem os problemas e se mantém no poder. Os problemas – e estes são bem graves -, resolvem-se com novas políticas e não com as mesmas, que estão na sua génese. A estabilidade política consegue-se com políticas adequadas à resolução dos problemas e à satisfação das necessidades das pessoas. A “estabilidade” que estes senhores preconizam é a acomodação das pessoas pela força, pelo medo, através de campanhas bem orquestradas dos que defendem o pensamento único, a ideologia das não ideologias.

2 comentários

Comentar post

Comentários recentes

  • Anónimo

    O Lagar é uma pena (o que não se fazia com 3,5 mil...

  • Anónimo

    ????????????????????

  • Anónimo

    Ninguém comenta a capa verde?

  • Anónimo

    Obrigado caro amigo. Um grande abraço. Ricardo (Se...

  • Ana Matos Pires

    Sim, vai seguir mail e o jornal fará o que entende...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.