Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

«Sentia-me personagem de ficção», no assalto ao "Santa Maria"

Faz agora meio século. A 22 de Janeiro de 1961, um grupo de antifascistas portugueses e espanhóis infiltrados entre os passageiros assaltou e tomou o paquete «Santa Maria» que navegava no Mar das Antilhas, próximo de Santa Lúcia. A Operação Dulcineia foi levada a cabo pelo denominado Directório Revolucionário de Libertação (DRIL) e comandada por Henrique Galvão, com ligações ao general Humberto Delgado, ambos opositores à ditadura salazarista. A aventura terminou a 1 de Fevereiro, quando o navio, rebaptizado «Santa Liberdade», entrou no Recife. 

Um dos protagonistas da aventura do «Santa Maria» foi Miguel Urbano Rodrigues, então exilado no Brasil. Era editorialista do «Estado de S. Paulo», estava ligado ao DRIL e foi o primeiro jornalista a subir ao navio, ainda em pleno mar, juntando-se ao comando da operação.

Veja entrevista a Miguel Urbano Rodrigues aqui.

4 comentários

Comentar post

Comentários recentes

  • Ana Matos Pires

    Reaças são os gajos, e sonsos comó caraças.

  • João Espinho

    @anónimo 15:19 - não me sentiria bem representado ...

  • Anónimo

    Dra, nota-se ainda uma costela do pai...a sua posi...

  • Anónimo

    JE se votássemos nas pessoas que melhor nos poder...

  • Ana Matos Pires

    Acho sempre maravilhosas estas observações sobre a...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.