Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Afinal quem tinha razão?

PCP contra aumento da renda das habitações sociais

O PCP considerou que a empresa municipal que gere o parque habitacional da autarquia, Habévora, "aplicou de forma cega e socialmente desumana a legislação sobre o arrendamento em regime de renda apoiada".
"Se é verdade que a não actualização das rendas pode levar a situações de injustiça social, não é menos verdade que passar um valor, por exemplo, de 40 euros para 300 é uma violência dificilmente justificável com a viabilidade da empresa municipal em questão".

PS acusa PCP de «aproveitamento político»

O PS acusou o PCP de tentativa de aproveitamento político de uma «situação sensível». Reagindo à posição assumida pelos comunistas consideraram «lamentável» o que classificaram de «demagogia que não serve os interesses nem do Município nem dos cidadãos inquilinos do património habitacional municipal».
Para os socialistas terá resultado claro que os pressupostos desta actualização «são justos, são correctos e são necessários».

Câmara suspende aumento das rendas sociais

A Câmara de Évora decidiu, por unanimidade, suspender o aumento das rendas sociais e reapreciar todo o processo. A decisão foi tomada no decorrer de uma reunião marcada pela presença de cerca de uma centena de pessoas que se deslocaram aos Paços do Concelho para manifestar o seu descontentamento com os aumentos decididos pela Habévora – Gestão Habitacional.
O presidente da Câmara admitiu que fórmula de cálculo aplicada poderia «gerar algumas distorções», explicando, deste modo, a decisão tomada esta tarde. «Esperemos que este processo de reapreciação possa gerar novo consenso».
O processo de actualização das rendas sociais será revisto e o aumento deverá ser aplicado progressivamente durante os próximos três anos, sem ultrapassar o limite de 50 euros/ano.

Retirado do Notícias do Alentejo

2 comentários

Comentar post

Comentários recentes

  • Anónimo

    Penso que é facial perceber quem falta a verdade. ...

  • Anónimo

    Bons tempos.

  • Anónimo

    Tem toda a razão, às vezes parecem miúdos que pela...

  • Anónimo

    Como estão as contas afinal?

  • Luis Palminha

    Se não me engano, a resposta a essa pergunta foi p...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.