Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

CDU candidata António Lobo à Câmara de Borba

Zé LG, 18.04.21

A Lobo.pngMilitante do PCP, António Fernando Bilro Lobo, de 49 anos, é engenheiro agrónomo-paisagista e é gerente da empresa Raízes, de Borba.
“Aceitei o desafio de me candidatar a presidente da Câmara Municipal de Borba porque considero que este concelho não tem tido, nos últimos anos, o desenvolvimento necessário para preparar o futuro dos nossos jovens e de toda a população em geral. Borba parou no tempo”, afirma o candidato.

Rui Garrido garante que "Vamos ter em formato digital uma Ovibeja que recria o ambiente da nossa feira de sempre"

Zé LG, 17.04.21

Rui-Garrido.jpg“Percebemos que podemos recorrer às potencialidades das novas tecnologias para fazermos uma Ovibeja com características muito semelhantes à nossa feira de sempre. Não podíamos deixar passar mais um ano sem fazer a Ovibeja. Porque a nossa feira sempre soube inovar, superando os obstáculos”. As afirmações são de Rui Garrido, Presidente da ACOS e da Comissão Organizadora da feira. Por isso, este ano, a Ovibeja vai ter uma versão em formato digital, com pavilhões que podem ser visitados por todos, ao ritmo de cada um, com produtos em exposição e para venda e com espaços onde se realizam espetáculos e conferências. Tudo durante dois dias, 22 e 23 de abril, uma quinta e sexta-feira. Para a sessão da abertura está prevista a participação do Presidente da República. A escassos dias desta 37ª Ovibeja, subordinada ao tema da “Agricultura ConsCiência”, que procura debater a atividade agrícola enquanto um sector sustentável e apoiado em dados científicos, a adesão dos expositores superou as expectativas em torno de uma Ovibeja que, para além de continuar a afirmar-se como “todo o Alentejo deste mundo”, procura também este ano vencer as barreiras do espaço físico e estar à distância de apenas um clique de todos os visitantes, estejam estes em que parte do mundo estiverem.

Leia, aqui, esta entrevista na íntegra, ao Presidente da Comissão Organizadora da 37ª Ovibeja.

CDU promove, hoje, marcha lenta em defesa das acessibilidades e pelo direito à mobilidade no concelho de Beja

Zé LG, 17.04.21

202104151846559383.jpgO ponto de concentração e partida é no Parque de Feiras e Exposições em Beja, às 14.30 horas, seguindo-se o percurso por Quintos- Salvada- Cabeça Gorda – Beja, terminando na freguesia de Beringel.
A CDU afirma que o mote “Fazer diferente, Fazer Melhor”, apregoado por este executivo no início do mandato, “não tem correspondência na realidade que está à vista de todos e que tem sido alicerçada numa gritante falta de estratégia a vários níveis.”
Afirma ainda a CDU que a inação, a raiar em diversos casos a inépcia e a subserviência político-institucional deste executivo, está bem patente na incapacidade de afirmação do Concelho, particularmente da cidade, no plano regional e nacional e aponta como exemplo o estado de degradação em que se encontra o IP8. 

Daqui, daqui e daqui.

Alentejo com “menos propriedades, mas maiores; menos pequenos agricultores, mais agronegócio”

Zé LG, 17.04.21

O número de explorações agrícolas na região do Alentejo desceu 13,3 por cento, tendo este movimento sido acompanhado por um aumento da média por exploração da Superfície Agrícola Utilizada (SAL) de 28,5 por cento, sendo agora de 68,9 hectares. Os dados resultam de uma análise do “DA” à informação estatística constante do Recenseamento Geral Agrícola. O número de explorações cadastradas é de 31 131, distribuídas pela SAU total de 2 144 066 hectares: menos propriedades, mas maiores; menos pequenos agricultores, mais agronegócio.

P1100245.JPG

CDU candidata Marco Calhau à Câmara de Mora

Zé LG, 17.04.21

Marco Calhau.pngO presidente da Junta de Freguesia de Mora, Marco Calhau, é o candidato da CDU à presidência deste município nas eleições autárquicas deste ano, anunciou a coligação.
Natural de Mora, Marco António Fortio Calhau, de 43 anos, bombeiro de profissão, é presidente da Junta de Freguesia de Mora desde 2017.
Marco Calhau é delegado sindical, membro da direção nacional do Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local (STAL) e militante do PCP.

Pedro Coutinho afirma que o Chega vai concorrer sozinho a todas autarquias do distrito de Beja

Zé LG, 16.04.21

Pedro-Coutinho.jpgO Chega vai concorrer “sozinho” a todas as Câmaras e Juntas de Freguesia do distrito de Beja. A revelação foi feita, à Rádio Pax, por Pedro Coutinho, presidente da Distrital de Beja do Chega.
Descartando eventuais coligações, o responsável avançou que já estão definidos “alguns nomes” de candidatos, que serão oportunamente divulgados.
Pedro Coutinho diz estar confiante num bom resultado do partido, em vários concelhos do distrito, destacando os municípios de Moura, Serpa, Beja e Ferreira do Alentejo.

Afinal, Beja vai avançar no desconfinamento. Fez bem Paulo Arsénio em ter reclamado.

Zé LG, 16.04.21

202104160015031173.jpgA Direção Geral da Saúde corrigiu os dados epidemiológicos da incidência cumulativa, que o presidente da Câmara Municipal de Beja, Paulo Arsénio, já tinha contestado.
Com esta correção significa que o concelho sai da linha vermelha traçada pelo Governo, de mais de 120 novos casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias, e pode ser retirado do grupo de sete concelhos que não avançam para a terceira fase de desconfinamento, a partir da próxima 2ª feira.

Fez bem o presidente da Câmara em ter reclamado. Aguardemos pelas explicações da DGS para o erro.

A DGS está a tramar Beja? Paulo Arsénio tem de provar esta grave acusação e exigir mais um passo no "desconfinamento"

Zé LG, 16.04.21

202104160015031173.jpgA DGS devia explicar onde é que foi buscar este número que, de facto, vai muito para além dos novos casos [de covid-19] que foram comunicados à Câmara Municipal de Beja nos últimos 14 dias”, exigiu Paulo Arsénio, segundo o qual, Beja teve uma incidência de “101 casos por 100 mil habitantes” entre os dias 01 e 14 de abril, pelo que existe “a perceção clara” de que, “do ponto de vista matemático”, o concelho está abaixo do limite de 120 casos por 100 mil habitantes.
“Mas há mais: não temos ninguém de Beja internado no hospital neste momento e não temos nenhum surto no concelho, onde existem apenas 24 casos ativos. As cadeias epidemiológicas estão todas identificadas. Não faz sentido [excluir o concelho da próxima fase de desconfinamento]”, insistiu Paulo Arsénio.

Estas são acusações muito graves, porque, a confirmarem-se, o Concelho de Beja e a sua população estão a ser castigados e prejudicados indevidamente. Paulo Arsénio tem de demonstrar que os números da DGS estão errados e exigir do governo a reversão da situação. E deve fazê-lo até Segunda-Feira.

ESCLARECIMENTO: A Direção Geral da Saúde corrigiu os dados epidemiológicos da incidência cumulativa, que o presidente da Câmara Municipal de Beja, Paulo Arsénio, já tinha contestado.

Beja fica a marcar passo

Zé LG, 15.04.21

173658759_3527309000707224_1432243783545284671_n.j

O governo, diferenciando, pela primeira vez, os concelhos em função da incidência de casos de COVID-19, determinou que o Concelho de Beja não passa ao novo estado de desconfinamento, mantendo-se por mais uma quinzena com as mesmas regras.

No Concelho de Beja, com 1.106 km2, há 24 infectados com COVID-19. É fácil imaginar o "perigo" que representam para toda a população e para o descontrolo da pandemia em Portugal... A partir da próxima Segunda-Feira, ainda não podemos voltar aos restaurantes. Mas os alunos do Secundário e do Politécnico que regressam às aulas presenciais (e muito bem) podem almoçar juntos nas suas cantinas... Mais poderia acrescentar para ilustrar a "excelência" dos critérios definidos e agora aplicados, mas não parece ser necessário...

Ao contrário do que o primeiro-ministro disse, este é, de facto, mais um castigo para os concelhos despovoados do Interior.

CIMBAL entrega equipamentos de combate a incêndios

Zé LG, 15.04.21

CIMBAL-entrega-equipamentos-768x512.jpgA CIMBAL acompanhou a entrega de equipamentos (sirenes e altifalantes; pontos de água; kits 1ª intervenção e biotrituradores/ estilhaçadores) destinados à Proteção de Aglomerados Populacionais, aquiridos, depois, do Conselho Intermunicipal ter decidido, em outubro de 2019, dotar os treze municípios da CIMBAL de melhores condições de proteção contra riscos de incêndios, tendo, para o efeito, submetido uma candidatura – entretanto aprovada, pelo ALENTEJO 2020, num valor superior a 911 mil euros – com um conjunto de investimentos para proteção das populações do Baixo Alentejo.

“Um investimento que é sustentado por uma campanha alargada de informação e sensibilização da população e de grupos alvo específicos, responsáveis pela utilização dos equipamentos e pela operacionalização das ações de prevenção”, revela a CIMBAL.

“Códice Fáctico de Cartas Régias” vai ser devolvido à Câmara de Beja

Zé LG, 15.04.21

1399934.jpgO Ministério Público (MP) da Comarca Judicial de Beja, determinou a devolução à Câmara Municipal de Beja de um conjunto de documentos régios, conhecido como “Códice Fáctico de Cartas Régias”, que integram correspondência trocada entre Reis de Portugal e autoridades locais da cidade de Beja, nomeadamente, o juiz, o procurador e vereadores.

A decisão foi tomada depois “do arquivamento do inquérito, em que não foi possível determinar, em concreto, as circunstâncias da apropriação dos documentos, nem a sua autoria”, justificando o magistrado que “havendo indícios de que a mesma tenha ocorrido, há pelo menos, três gerações”, remata.

No dia 4 de outubro de 2019, a Diretoria do Sul da Polícia Judiciária (PJ), emitiu um comunicado onde anunciava a apreensão de “um códice factício, constituído por 165 documentos, em bifólio de papel, manuscritos, entre os anos 1623 e 1806, contando cartas originais enviadas em nome do “Rei” do “Príncipe” do “Infante” e da “Duquesa de Mântua” dirigidas a figuras da cidade de Beja.

O que se está a passar com as vacinas?

Zé LG, 14.04.21

2048_JCC-Vacina-COVID-19-Portugal-03-1600x1067.jpgParece ser determinante para o controlo do novo coronavirus alcançar a imunidade de grande parte da população através da vacinação. Para conseguir isso no mais curto prazo, os Estados têm estado a financiar muito as diversas investigações em curso para a criação de vacinas e a sua compra.

Pouco depois da aprovação e do início da aplicação das vacinas começaram as polémicas sobre os eventuais riscos para a saúde das pessoas a quem são aplicadas. Há pouco ouvi, na televisão, que foi suspensa a aplicação de uma vacina que poderá ter provocado problemas às pessoas vacinadas, num registo de uma pessoa por mais de um milhão de vacinas... Suspender a aplicação de uma vacina por poder afectar uma pessoa em mais de um milhão é razoável? Quantos medicamentos provocam problemas, incluindo a morte, em percentagens muito menores?

Não serão outros interesses, que não só os do combate à pandemia e de salvar vidas, que estão a fomentar e a alimentar todas estas confusões, incertezas, dúvidas e receios? Não me parece que esta questão se possa catalogar apenas como histeria colectiva... 

Entretanto e como resultados efectivos deste "arranca, para, arranca, para, arranca", temos os atrasos registados na vacinação, na imunidade da população, na eminência de novas ondas de contágios, internamentos, mortes... Não sei a quem tudo isto poderá interessar. De certeza que não será às pessoas comuns...

“Para onde quer que olhemos a justiça fica mal.”

Zé LG, 14.04.21

«Para onde quer que olhemos a justiça fica mal. Ou o MP andou anos a gastar erário publico para nada e foi incompetente, ou o quadro jurídico em vigor não permite a criminalização do crime ou o juiz foi incompetente. Duas coisas são certa, Sócrates, ex PM do Governo PS foi corrupto (a teoria dos empréstimos só funciona com as crianças) e o crime compensa, mas só acima de determinados montantes.»

Anónimo 11.04.2021, aqui.

João Português diz que ficou “mais claro o caminho a seguir para desenvolver social e economicamente o concelho” de Cuba

Zé LG, 14.04.21

imgLoader2.ashx.jpgO presidente da Câmara de Cuba, João Português, faz o balanço do atual mandato, considerando que, “apesar das circunstâncias difíceis”, permitiu tornar “mais claro o caminho para desenvolver social e economicamente o concelho”. O autarca elege, como principal prioridade, “o combate à pandemia” e a “defesa da saúde das nossas populações”.

O que se modificou no concelho de Cuba, desde 2017: Este mandato representará uma revolução ao nível da reabilitação urbana; na mobilidade pedonal ou de bicicleta; na reabilitação de equipamentos culturais e desportivos; no setor do turismo; no setor social – com a criação de inúmeros projetos nesta área; na proteção civil municipal que, em conjunto com os serviços de ação social, soube ultrapassar os momentos críticos provocados pela crise sanitária; ao nível do desenvolvimento económico – com boas expectativas de uma evolução positiva, apesar da crise económica provocada pela pandemia, com a instalação de novas empresas e a criação de postos de trabalho.

As “obras” mais emblemáticas deste mandato: a conclusão da Casa Museu Fialho de Almeida; a reabilitação urbana do centro da vila de Cuba; a obra de reabilitação da Rua 1.º de Maio e do Largo da Estação; o Ecoparque do Alentejo Central - Praia Fluvial de Albergaria dos Fusos, a concluir até ao final de julho.

O que poderá ficar por cumprir: a instalação de um equipamento social na freguesia de Vila Ruiva.

Os principais problemas com que o concelho de Cuba se debate: despovoamento; atraso na melhoria dos acessos rodoviários e na modernização da linha ferroviária do Alentejo.

Os principais desafios para o quadriénio 2021/2025: a defesa da autonomia caracterizadora da administração local; combater a intenção de agregação dos pequenos concelhos; aproveitamento das verbas sobrantes do Portugal 2020, enquanto se prepara a execução do quadro comunitário 2030.

Aluno do IPBeja venceu "Programa Promove 2020"

Zé LG, 14.04.21

202104131346104327.PNGO aluno do Mestrado de Engenharia do Ambiente do IPBeja, Alonso Arroyo Escoto venceu o Prémio Promove 2020 da Fundação La Caixa e da Fundação para a Ciência e Tecnologia, na vertente “Ideias com potencial para se tornarem projetos piloto inovadores.”

Alonso Arroyo Escoto concorreu com a ideia “Acetic2Electric-Conversão de ácido acético em eletricidade como forma de destoxificação de hidrolisados lignocelulósicos”, que o aluno apresenta com o processo de destoxificação do hidrolisado de bagaço de azeitona, para a sua posterior fermentação de forma mais sustentável e eficiente.

Alonso Arroyo Escoto concorreu como aluno do Mestrado em Engenharia do Ambiente do IPBeja, tendo como mentora Fátima Carvalho, do IPBeja, e Conceição Fernandes, do CEBAL, como membro participante e como instituição com interesse na exploração da ideia.

“Num estado de direito, os tribunais não são um cata-vento dos fazedores de opinião nos media e redes sociais.”

Zé LG, 13.04.21

«Num estado de direito não existem apenas liberdades como a de assinar petições. Existem direitos individuais, como a presunção de inocência. Num estado de direito, os tribunais não são um cata-vento dos fazedores de opinião nos media e redes sociais. O cidadão de um estado de direito aceita as deliberações judiciais. As rebeliões populistas costumam trazer precipitações, preconceitos, arbitrariedades e minam o estado de direito.» Anónimo 11.04.2021, aqui.