Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Alvitrando

Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.

Jovem bejense venceu concurso “Uma carta de amor a José Saramago”

Zé LG, 07.02.23

20230206153040592.jpegJoão Carvalho é de Beja, tem 25 anos, e está muito satisfeito com a sua mais recente conquista, ganhou o primeiro lugar no concurso “José e Pilar” - “Uma carta de amor a José Saramago". O concurso foi promovido, em parceria, pela Comunidade Cultura e Arte, Fundação José Saramago e Jumpcut. Ficou em primeiro lugar e viu, e ouviu, a sua carta lida por Gregorio Duvivier.

João Carvalho tem 25 anos, nasceu em Beja e foi na capital de distrito que fez a sua formação académica, tendo frequentado, entre outras, a Escola Secundária Diogo de Gouveia e a Escola Superior de Educação. Presentemente estuda jornalismo em Lisboa.

AMCAL constroi Central de Valorização Orgânica

Zé LG, 07.02.23

202210261125277090.jpgJá tiveram início as obras de construção da Central de Valorização Orgânica (CVO) dedicada ao tratamento dos biorresíduos recolhidos seletivamente, no Aterro Intermunicipal de Vila Ruiva/Cuba, com um investimento total que ascende a 8,5 milhões de euros. A CVO irá receber os biorresíduos recolhidos seletivamente nos concelhos de Alvito, Cuba, Portal, Viana do Alentejo e Vidigueira, cuja obrigatoriedade está prevista até 31.12.2023.

Este projeto insere-se num vasto conjunto de investimentos que têm sido desenvolvidos pela AMCAL e pelos seus municípios associados, permitindo dotar este sistema de uma solução de tratamento de biorresíduos com uma capacidade anual de processamento de 10 mil toneladas, dos quais resultarão cerca de 2 500 toneladas de composto de alta qualidade disponível para diferentes usos na região.

Porto de Sines abre portas a frutas brasileiras para o mercado europeu

Zé LG, 06.02.23

202208221148537486.pngO Porto de Sines vai criar um hub logístico para a entrada de frutas brasileiras no mercado ibérico e europeu, reclamando ter as “condições geográficas e operacionais que o posicionam como um local de excelência para a importação” destes produtos, que atualmente entram no mercado europeu através dos portos do norte da Europa. O primeiro passo para que esse fluxo logístico seja alterado, passando as frutas brasileiras a utilizar principalmente o Porto de Sines como porta de entrada no mercado ibérico, é um “protocolo de intenções” assinado com a Associação Brasileira dos Produtores e Exportadores de Frutas e Derivados (ABRAFRUTAS).

“O relacionamento entre o Porto de Sines e entidades brasileiras tem sido uma constante, não apenas pela importância daquele mercado e pelo seu potencial de crescimento, mas também devido aos laços históricos e culturais existentes entre Portugal e o Brasil, que potenciam o reforço das relações comerciais já existentes”, sublinha a APS.

Conselho Local de Saúde Mental do Baixo Alentejo já está em atividade

Zé LG, 06.02.23

202302031902359385.jpgNa última 5ª feira, o Conselho Local de Saúde Mental do Baixo Alentejo, instituído nos termos da legislação em vigor, teve a sua primeira reunião. Este foi o primeiro Conselho Local a iniciar atividade em todo o país.

O Conselho Local de Saúde Mental do Baixo Alentejo é um órgão consultivo, que tem como missão emitir pareceres sobre os planos e relatórios de atividades do respetivo serviço local de saúde mental, assim como a apresentação de propostas para melhoria do seu funcionamento. Presidido por Paulo Arsénio, designado pela CIMBAL, é composto por representantes dos municípios e de diversas entidades do território.

Associação quer "dar voz" às PME do Alentejo e de Huelva

Zé LG, 05.02.23

202302022311344898.jpgUma associação transfronteiriça foi criada para “dar voz” às micro, pequenas e médias empresas (PME) e trabalhadores independentes do Alentejo e da província espanhola de Huelva, na Andaluzia, e captar mais recursos financeiros, nacionais e europeus. É uma iniciativa conjunta da Confederação Portuguesa de Micro, Pequenas e Médias Empresas (CPPME) e da União de Associações de Empresários e Trabalhadores Independentes da Andaluzia (UATAE) e visa gerar sinergias de ambos os lados da fronteira.

Se os empresários se unirem, é possível “chegar mais longe e aproveitar sinergias, linhas de negócio, apoios”, que, de outra forma, nunca chegaram aos pequenos negócios, afirmou o presidente da nova associação, Antonio Tristancho, recordando que “Normalmente são as grandes plataformas, os grandes conglomerados empresariais [a beneficiarem de apoios comunitários] e isso não nos chega nunca”, “porque os grandes não representam os pequenos

Das 14.951 empresas do Baixo Alentejo, 14.621 são micro empresas, exemplificou, defendendo que, no país, é preciso que as PME tenham recursos e estabilidade económica para crescerem.

Turismo no Alentejo ultrapassa os três milhões de dormidas

Zé LG, 05.02.23

herdade-dos-salgrados-690x450.jpgA aposta nacional e internacional do turismo na região do Alentejo tem sido bastante significativa, com um “crescimento muito assinalável”, referiu o Secretário de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, Nuno Fazenda.

O aumento em número de camas, dormidas, receitas e taxas de ocupação turística, resultou em “27.100 camas, mais 14.100 do que em 2013”, com a região a representar “4,4% das dormidas em todo o país” em estabelecimentos hoteleiros, sem contar com as dormidas em unidades de espaço rural. Hoje, são quase “três milhões de dormidas”, quando em 2013, havia 1,8 milhões de dormidas”, com as receitas a subir nos últimos anos, afirmou o membro do Governo. 2022 voltou a superar o “ano histórico de 2019” e entre Janeiro e Novembro, a região aumentou mais de 3,2% no contexto das dormidas.

"Aeroporto de Beja precisa de obras para aumentar a capacidade de resposta"

Zé LG, 04.02.23

BEJA-Aviões-TAP_800x800.jpg“Agrada-nos muito que Beja seja considerada, temos uma pequena estrutura civil numa base militar, é sempre bom termos essa noção e essa consciência. Se tivermos as nossas condições revistas e melhoradas, Beja poderá ser uma plataforma muito importante de apoio de passageiros, quer em Lisboa, quer em Faro”, considera. O autarca sublinha também a necessidade de avançar com uma ligação de comboio, que fique próxima do aeroporto.

“Essa possibilidade está a ser estudada pela Infraestruturas de Portugal. No âmbito da modernização da linha ferroviária entre Beja e Casa Branca, está a ser equacionada a possibilidade de haver um ramal de ligação ao aeroporto. Parece-nos importante. Em termos de mercadorias, Beja pode e deve ter um papel muito importante, a ferrovia passar junto ao aeroporto é uma necessidade e estudar as possibilidades é benéfico para toda esta zona do sudoeste peninsular”, sublinha.