Alvitrando
Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.
29
Ago 16

Câmara Municipal de Beja pretende oferecer 100.000 € à Fundação de Serralves preterindo clubes, associações e demais agentes culturais e desportivos locais

Algo vai mal em Beja quando este valor é praticamente idêntico ao total do apoio dado pelo executivo CDU ao Programa de Apoio ao Movimento Associativo na área do Desporto durante 2016 a 34 clubes do concelho de Beja e que foi de de 114.784 €

A intenção de atribuir 100.000 € (cem mil euros) de mão beijada em troca de "uma exposição anual ou de outra iniciativa de Serralves no espaço da autarquia" é uma afronta clara a todas as organizações sem fins lucrativos e demais agentes culturais e desportivos da cidade e do concelho de Beja.

Quando falta dinheiro em muitos destes agentes culturais e desportivos que servem Beja e os seus munícipes para fardas (pagas muitas vezes do próprio bolso), equipamentos de apoio à atividade desportiva (bolas e equipamento de treino em várias modalidades amadoras) , instrumentos musicais, pequenas reparações em instalações (lâmpadas, chuveiros e bancos), deslocações (para representar o nome de Beja), apoio para a realização de exposições ou outras iniciativas de artistas locais, entre tantos outros problemas, é lamentável que esta política tenha acolhimento em Beja.

 

Não colocando em causa o valor, a importância e o papel assumido pela intervenção da Fundação de Serralves não se pode deixar de considerar uma postura desadequada relativamente àquela que é a política que o executivo CDU diz defender gastando 100.000 € para obter uma contrapartida que vem sob o chapéu e o objetivo de " aproximar a arte das populações de todo o país e contribuir para a criação de uma dinâmica cultural descentralizada".

O justo seria, tal como foi proposto em alternativa pelos vereadores do PS na sessão de Câmara, que o investimento fosse canalizado para atividades semelhantes, mas dinamizada por agentes locais, eles sim, com reais possibilidades de aproximar a arte das populações.  

Já que há disponibilidade financeira para tal, então que a verba seja direcionada para Beja e para os seus clubes, associações e demais agentes culturais e desportivos.

Como o assunto terá ainda que transitar na Assembleia Municipal ainda há tempo, assumindo todos as suas responsabilidades, para evitar que isto aconteça demovendo a maioria CDU de levar esta decisão até ao fim.

Os Vereadores do PS: Jose Velez, Ana Horta, Rui Marreiros 

 

publicado por Zé LG às 13:55
Como se nota aqui está uma pessoa que fará sempre a diferença seja em que circunstância for
Anónimo a 29 de Agosto de 2016 às 15:06
Quem?
Mais um saudosista do que resta do pulidovalentismo.
Anónimo a 29 de Agosto de 2016 às 16:53
A sério que os vereadores do PS apelaram ao apoio nos clubes e associações da região? Aí está o melhor da política! Já agora Sr. Lopes Guerreiro, deixo uma sugestão: abra um debate para que os clubes e as associações aqui possam fazer as devidas comparações, entre os actuais apoios, e os que eram dados por estes senhores quando estavam a governar o concelho. É por isto que eu detesto políticos e política, que gente mais sem vergonha, mas são todos iguais.
Anónimo a 29 de Agosto de 2016 às 19:20
Surpreendido?
Faz aquilo que eu digo, mas não faças aquilo que eu faço.
Esta é uma "verdade" eterna e que nunca mudará.
Anónimo a 29 de Agosto de 2016 às 23:14
E a cidade so vive de desporto?
Esses 100.000€ acho que dava para ajudar noutras coisas sem ser o desporto, como para a criaçao de postos de trabalho.
Seja ps ou pcp o tacho é o mesmo quem deveria de escolher seria os cidadãos, porque o que a cidade precisa é de emprego... Não de distrações.
Carlos a 30 de Agosto de 2016 às 18:02
É que quem precisa mais realmente é os clubes.
Que esbanjaram ao longo da sua vida dinheiro sem fim
Eu fiz desporto durante 25 anos e nunca me queixei, sorte não, apenas não sou exigente ness area, porque acho que a cidade alem do desporto merece bem melhor
Carlos a 30 de Agosto de 2016 às 18:06
Os vereadores do PS não dão uma para a caixa e o Rocha vai marcando pontos importantes com este importante acordo, mais um, que conseguiu para a cidade e para o Alentejo, com inegáveis vantagens e benefícios para a região. Ás vezes o silencio é mais importante que a gritaria. É o caso.
Anónimo a 30 de Agosto de 2016 às 22:39
Importante acordo com inegáveis vantagens e benefícios para a região? Quais? Os bejenses gostavam de saber onde vão parar 100 mil euros do seu IMI. Ao Porto, mas para quê? Se souber diga, agradecemos.
Anónimo a 30 de Agosto de 2016 às 22:53
Não conheço as condições do contrato entre a CM de Beja e Serralves mas acho os argumentos usados pelos vereadores do PS de uma menoridade impressionante. Argumentar com críticas ao acordo por falta de qualidade eu perceberia, já reduzir o assunto "cultura" a uma mera questão bairrista acho "poucachinho" e populista.
Ana Matos Pires a 30 de Agosto de 2016 às 23:01
Para Beja é de uma importância que nem consigo dormir.
Vai ganhar algum tachinho com isto, só pode.
Portugal então nem se fala, essas fundações ui ui
Carlos a 31 de Agosto de 2016 às 00:39
Está enganado. Há Fundações e Fundações, e esta não é uma dessas.
Os vereadores do PS meteram a "pata na poça", tal é o seu grau de iliteracia cultural, e agora já não há volta a dar.

Não haja dúvida que o PS de Beja atravessa uma fase bem complicada da sua existência. Pois parece não ter pessoas com capacidades para o desempenho das suas funções.
Ou está mudo e não faz nenhum tipo de oposição. Ou quando diz alguma coisa, mais valia ter ficado calado.
Anónimo a 31 de Agosto de 2016 às 10:33
Iliteracia cultural? Tá a falar do presidente da câmara e dos vereadores da CDU?
Anónimo a 31 de Agosto de 2016 às 15:28
O que é que lhe parece, honestamente!
Anónimo a 31 de Agosto de 2016 às 18:05
Não é ao Porto, mas sim à Fundação de Serralves,
A qual tem como Visão ser um polo de referência e um centro de conhecimento, em Portugal e no Mundo, nos domínios da Arte Contemporânea, Arquitetura, Paisagem e temas críticos para a sociedade e seu futuro, promovendo a diversidade da oferta cultural através de uma intervenção inovadora que, de forma sustentada, atraia públicos diversificados e induza o apoio da Comunidade.

Ver mais em: http://www.serralves.pt/pt/fundacao/a-fundacao/
Anónimo a 30 de Agosto de 2016 às 23:06
Por essas diversidades culturais que se vai os €€ que eu desconto para voçês brincarem e encherem os bolsos com algum que sobra. Tenham vergonha!
A vossa lábia é tanta.
Carlos a 31 de Agosto de 2016 às 16:06
Nos tempos de crise que atravessamos e com uma cidade a definhar, primeiro os nossos e depois os do Norte
Anónimo a 31 de Agosto de 2016 às 17:11
Parece que alguns dos xuxas aqui do blog de repente ficaram bem nervosos?
Anónimo a 31 de Agosto de 2016 às 18:02
Começa a dar pena estes vereadores do PS, eles próprios devem estar desejando que terminem os seus mandatos. Nota-se perfeitamente que não têm estratégia, nem força para conseguirem fazer uma oposição válida. Vão largando aí umas bocas em blogues, e facebooks, e pronto... Não passa disto. A mim angustia-me bastante a Ana Horta, que é muito boa rapariga, séria, e de lisura extraordinária.
Anónimo a 30 de Agosto de 2016 às 23:51
Voçês ps cdu há 30 anos que andam nisto. Ainda falam um dos outros!!
Que miséria de ideologista que voçês são.
Emprego a cidade precisa de emprego e não de 100.000€ para uma fundação.
Carlos a 31 de Agosto de 2016 às 16:03
E nos quatro anos do último mandato?
Quantos empregos foram criados?
Anónimo a 31 de Agosto de 2016 às 18:01
Já que agora também lá temos interesses, aqui vai uma sugestão:

84 obras do pintor Joan Miró vão ser expostas em Serralves

‘Joan Miró: Materialidade e Metamorfose‘ é o nome da exposição, a partir das 84 obras do pintor catalão, pertencentes ao Estado português, a inaugurar a 30 de setembro, em Serralves, com curadoria do historiador Robert Lubar Messeri.

Segundo a Fundação de Serralves, a mostra, com desenho arquitetónico de Álvaro Siza Vieira, vai incluir obras de Miró (na foto), na maioria desconhecidas do público, incluindo seis das suas pinturas sobre masonite, de 1936, e também seis “sobreteixims” (tapeçarias), de 1973.

Professor de arte, investigador, responsável pela cátedra Joan Miró, diretor da Universidade de Nova Iorque e do Grupo de Investigação Internacional Joan Miró, Robert Lubar Messeri, o comissário da mostra, é “um destacado especialista mundial” na obra do pintor catalão, de acordo com a informação publicada pela Fundação de Serralves, no seu sítio na internet.
Anónimo a 31 de Agosto de 2016 às 21:52
Mais uma vez o João Rocha a gastar dinheiro em coisas pimba! Miró? Alvaro Siza Vieira? Quem são esses? Devem ser alguns tocadores de bombos de Viana do Castelo, ou lá de perto. E de certeza que também vieram cá cantar de borla na campanha do João Rocha.
Anónimo a 1 de Setembro de 2016 às 14:05
Já não é iliteracia cultural, é certamente conversa da treta.
Misturar Miró, Siza Vieira e os tocadores de bombos.
E é com malta assim que o PS quer voltar a ganhar a autarquia.
Anónimo a 1 de Setembro de 2016 às 20:24
Como você próprio prova, você que é um destacado militante do PS, o pior inimigo do PS é ele próprio. A disputa interna vai tão alto, quer dizer, tão baixo que os próprios militantes vem para aqui atacar-se uns ais outros na ânsia da ganharem as disputas internas. Vale tudo para denegrir e afastar uns dos outros. Depois de já terem limpado o Pulido Valente, começaram como o Paulo Arsenio, velho militante e lutador da causa PS mas que não prestava, agora andam a tentar o Rui Marreiros e o Jorge Barnabé um por conta do sua presença no BejaCapital o outro por ser braço direito do Pedro do Carmo. Não há um que não leve chumbo grosso. Qual é a ideia, deixar o caminho livre para o homem de Ferreira do Alentejo? Esse não chega cá porque a estrada não está pronta e o arroto não tens aviões. Moral da história: PCP com ou sem João Rocha de pedra e cal.
Anónimo a 1 de Setembro de 2016 às 21:54
Desculpe, não se ofenda comigo. Podiam ser alcunhas de tocadores de tocadores de bombos de Viana. Em Beja exige um que é o Maniche, mas não foi o que jogou no Benfica, existe outro que é o Papin, mas não é o que jogou no Marselha... Qual era a admiração do Miró ser tocador de bombo?
Anónimo a 1 de Setembro de 2016 às 22:24
HAJA DEUS!
Anónimo a 1 de Setembro de 2016 às 22:52
Ou então pode ser um código para se referirem á bimbalhada. Miró pode ser um grupo de Ponte de lima, Siza Vieira pode significar que aí vem o Toy mais uma vez.
Anónimo a 2 de Setembro de 2016 às 01:28
Agosto 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
20
21
22
23
24
25
26
Passaram por cá
Contador de visitas

Desde 15.01.2011
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Temos deputado.O PCP depois candidata-o à Câmara ...
E não será assim sempre? Os anteriores e anteriore...
“ISTO É O ALVITRANDO”
Pobreza e torpeza.
Aí que pobreza de comentarios!É o conhecimento bej...
O Coxo até vai começar a andar melhor quando se ap...
Esse velho agora comenta os post's dos outros no f...
A pouca vergonha que se passou na Cooperativa do P...
"Pode nascer um país do ventre de uma chaimite." (...
A chaimite era peça fundamental para o desenvolvim...
Sei o que se passa mas não digo.
Corrijam aí o "gato", senhores da RVP, não é "Inte...
Brindemos à saúde dos amigos!
Todo o pretexto é bom para uma roda de amigos, com...
A caça à raposa serve para convívio de caçadores?!...
blogs SAPO