Alvitrando
Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.
02
Jun 17

587885.png.jpg

Entre o dia 1 de agosto de 2015 e o dia 31 de agosto de 2016, 43 crianças foram devolvidas, pelos candidatos a pais adotivos.

 

Como pode isto acontecer? Que candidatos a pais são estes que devolvem às instituições as crianças que escolheram adoptar? Se mesmo tendo tido a oportunidade de escolher as crianças a adotar as rejeiram, o que fariam se fossem pais biológicos? Também os rejeitavam e “devolviam” a instituições?!

Que gente é esta, que trata crianças como se fossem objectos que se devolvem se não agradarem?

publicado por Zé LG às 00:05
21
Mai 17

580px_e591dba6e707e6677454.jpg

A cidade de Beja será palco da conferência “Valor social, cultural económico e político do património cultural”, evento organizado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia, e que conta com o apoio da Câmara Municipal de Beja.
Esta conferência, que decorrerá nos dias 1 e 2 de Junho, consiste num conjunto de comunicações por especialistas de vários países, seguida de uma visita ao património cultural local. A conferência será aberta, mediante inscrição dos participantes em http://have2017.lnec.pt/

In: B NEWSLETTER | 19 de maio de 2017 | Câmara Municipal de Beja

publicado por Zé LG às 13:59
10
Mai 17

090520171212-757-forumodemira.jpg

Decorre a partir de hoje e até 6ª feira, o Fórum Social, cujo tema é Inovação e Impacto Social. O evento tem lugar em Odemira, no Cineteatro Camacho Costa e caracteriza-se por ser um encontro nacional das entidades e organizações centrais da área social.

Divulgar projectos inovadores, indutores de novos caminhos e demonstrar estratégias e oportunidades de financiamento para a economia social, são os objectivos do Fórum.

A conferência final com a temática “Políticas Nacionais com Impacto Social” vai estar a cargo de Catarina Marcelino, Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade.

Este primeiro dia é dedicado ao Encontro Regional das Comissões de Protecção de Crianças e Jovens do Alentejo e conta com a participação de Armando Leandro, Presidente da Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Protecção de Crianças e Jovens.

publicado por Zé LG às 08:48
23
Mar 17

por: Joana Marques

Amigo de longa data.
Conheço-o há mais de 20 anos.
Trabalhava numa empresa há 17 anos. Uma média empresa.
Era diretor de um departamento.
Trabalhava de dia e de noite. Não tinha férias como deve ser. Feriados só às vezes. Fins de semana só quando calhava
Tinha um horário de trabalho. 8 horas por dia. Nunca era cumprido. Dava todos os dias mais horas à empresa.
Dedicado. Muito dedicado.

Este meu amigo é casado e tem dois filhos.
O Afonso tem 13 anos e o António tem 5.
Os fins de semana, feriados e férias que dedicou à empresa tirou-os à família. Aos filhos.

Um dos poucos fins de semana que não trabalhou foi passá-lo com a família.
Escolheu a casa que herdou dos pais.
Perto da barragem de Montargil.

Não tinha rede de telemóvel.
Na empresa houve um stress qualquer.
Ligaram-lhe. Não atendeu. Porque não tinha rede.

Quando se apresentou na segunda-feira para trabalhar foi despedido.


Deixado por Anónimo a 22 de Março de 2017 às 13:40, AQUI.
publicado por Zé LG às 08:50
18
Fev 17

16602335_1268933133198830_2171667577904314280_o.jp

publicado por Zé LG às 13:24
15
Jan 17

Entrei apressado e com muita fome no restaurante.
Escolhi uma mesa bem afastada do movimento, porque queria aproveitar os poucos minutos que dispunha naquele dia, para comer e acertar alguns bugs de programação num sistema que estava a desenvolver, além de planear a minha viagem de férias,coisa que há tempos que não sei o que são.

Pedi um filete de salmão com alcaparras em manteiga, uma salada e um sumo de laranja, afinal de contas fome é fome, mas regime é regime não é?
Abri o meu portátil e apanhei um susto com aquela voz baixinha atrás de mim:
- Senhor, não tem umas moedinhas?
- Não tenho, menino.
- Só uma moedinha para comprar um pão.
- Está bem, eu compro um.
Para variar, a minha caixa de entrada está cheia de e-mails.
Fico distraído a ver poesias, as formatações lindas, rindo com as piadas malucas.

Ah! Essa música leva-me até Londres e às boas lembranças de tempos áureos.
- Senhor, peça para colocar margarina e queijo.

 

publicado por Zé LG às 12:40
10
Abr 16

Cópia de 2016-04-06 005.jpg

Uma tarde destas, ao chegar a casa, deparei-me com esta cena: o meu vizinho Zeca a roçar as ervas do quintal.

O Zeca é uma daquelas pessoas que está sempre disponível para ajudar o próximo, de forma desinteressada. O ano passado cavou-nos o quintal, este ano roçou as ervas. Está sempre a oferecer-nos coisas da sua horta e a perguntar-nos se precisamos de alguma coisa.

É bom termos vizinhos assim. Bem haja!

publicado por Zé LG às 17:41
10
Abr 16

DSC_0004.jpg

publicado por Zé LG às 01:17
25
Fev 16

12747857_10203793440596162_882122002003420359_o.jp

 Ver AQUI.

publicado por Zé LG às 08:42
15
Fev 16

140220162123-26-JornadasIgualdade.jpgA organização pertence à Câmara Municipal de Serpa, num evento que vai apresentar ao longo de quatro semanas, um leque diversificado de iniciativas, para vários públicos e faixas etárias.
Esta iniciativa, que espelha o objectivo do município de potenciar ferramentas que melhorem a vida dos seus munícipes, conta com a parceria da Rede Social e está incluída nos projectos da autarquia no âmbito da Rede Portuguesa de Municípios Saudáveis.

publicado por Zé LG às 00:20
12
Fev 16

110220161736-596-Cercibeja_.jpgA CERCIBEJA – Cooperativa de Educação e Reabilitação de Cidadãos Inadaptados de Beja já elegeu os seus órgãos sociais para o triénio 2016/18. Apresentou-se apenas uma lista a votos, que foi eleita com 50 votos e José Hilário foi reconduzido como presidente da Direção.
A lista vencedora aposta numa estratégia integrada de sustentabilidade, modernização e consolidação dos serviços prestados à comunidade, assim como numa política de responsabilidade social suportada na comunidade, cujos objetivos são sempre os de partilha de responsabilidades, ainda que de cariz solidário, avançou José Hilário, o diretor reconduzido, deixando, igualmente, a indicação de alguns projetos que gostaria de ver concretizados neste mandato.

publicado por Zé LG às 00:21
03
Fev 16

DSC_0012.jpgViver numa aldeia, como eu vivo por opção, junto de uma queijaria, com um terreno à volta onde apascentam ovelhas, que durante o Verão dormem junto do muro do quintal, a umas centenas metros de umas lagoas de tratamento de esgotos e com vista para o cemitério talvez não seja um cenário muito atractivo para muita gente. Se a isto acrescentarmos a utilização do quintal como horta, onde temos um pequeno compostor para transformar os restos de comida, folhas e ervas em adubo e um canil com dois cães talvez a situação se torne quase repulsiva para as pessoas que só admitem viver em apartamentos ou vivendas com todo o solo impermeabilizado. Parece ser este o paradigma da maioria da população que tem vindo a afastar-se e a ser afastada do campo e da natureza, por políticas e medidas que estão a esterilizar cada vez mais a sociedade em que vivemos. Neste momento, praticamente nada se pode fazer no campo sem ter de tirar não sei quantas autorizações e outras tantas formações, quer se tenha uma exploração empresarial quer se tenha uma pequena exploração familiar ou mesmo uma pequena horta para produção de alguns produtos para consumo próprio.
Uma das últimas medidas destas impede a aquisição de produtos fitossanitários, por menor que seja a quantidade, a quem não tem formação específica. Esta medida está a obrigar pessoas que viveram e trabalharam toda a vida no campo, muitas de idade avançada, que exploram pequenas (minúsculas, muitas vezes) unidades familiares a terem de optar entre acabar com a actividade de sempre ou a fazerem a sua primeira formação, que nem sempre é barata. Ou seja, transformaram uma medida correcta para quem está a iniciar-se na actividade agrícola empresarial numa machada final de grande parte da agricultura familiar de subsistência, com todas as consequências que daí resultam.

publicado por Zé LG às 21:33
04
Jan 16

171120151020-60-CPCBejainstalaes.jpgOs novos orgãos sociais do Centro de Paralisia Cerebral de Beja, para o quadriénio 2016-2019, tomam, hoje, posse. A cerimónia, que vai decorrer no ginásio da instituição, está marcada para as 18.00 horas.
As eleições realizaram-se no passado mês de Dezembro e deram a vitória a Francisca Guerreiro, que até agora desempenhava funções de vice-presidente da instituição numa equipa que era liderada por Ana Baptista.

publicado por Zé LG às 08:50
10
Dez 15

091220151723-262-JuditeSousa.jpgA jornalista e directora adjunta de informação da TVI é a convidada de uma conferência sobre “O Papel dos Media nas Sociedades Contemporâneas”, que se realiza hoje, às 15 horas, no Auditório do Instituto Politécnico de Beja.
As novas formas de consumo de informação, o papel do jornalista e o jornalismo televisivo são algumas das questões que vão ser discutidas.
A conferência integra o projecto Alentejo e Ribatejo Film Commission, que trouxe vários oradores da área da comunicação e da imagem ao Instituto.
Ana Paula Figueira, docente do IPBeja, diz que o objectivo das conferências é complementar a oferta formativa clássica e sublinha que se trata de uma sessão gratuita e aberta à comunidade.

publicado por Zé LG às 08:52
06
Abr 15

Burnout: O fim da linha
A escassez de recursos e a pressão para obter resultados estão a levar cada vez mais trabalhadores ao esgotamento físico e emocional. Faça o testa e perceba se está stressado ou em "burnout".

Ler mais: http://visao.sapo.pt/burnout-o-fim-da-linha=f815465#ixzz3WTJonXeU

burnout-398f.jpg

O economista Eugénio Rosa acredita que é urgente refletir sobre "os deuses que dominam as sociedades atuais - a competitividade, o individualismo, o desejo de vencer e ser o melhor - e que as empresas premeiam, sem estimular a cooperação". A psicanalista e psicóloga do trabalho Tânia Pinto faz uma distinção entre o stresse, "ligado à urgência e ao too much" e o esgotamento, que "é da ordem do never enough, ou seja, nunca se é suficiente para fazer o que é pedido ou que o próprio se impõe". E chama a atenção para o discurso paradoxal da organização do trabalho: o "se está tudo nas tuas mãos e não aguentares é porque és fraco" coloca as pessoas num beco sem saída. "Não há absentismo mas presentismo, está-se lá mas não se investe." Sobretudo ao nível dos quadros, que se defendem do sofrimento ético com a atitude "não vi, não ouvi". A cultura do silêncio potencia situações limite, como as vagas de suicídios ocorridas há anos, no processo de reestruturação da France Telecom. Aí, prossegue Tânia Pinto, "o desmembramento de equipas e o subdimensionar do problema voltou-se contra os que os promoveram". A grande lição a tirar: "A organização do trabalho precisa de ter mais plasticidade e de ver nas pessoas um meio para alcançar metas: com elas, e não apesar delas."

Ler todo o artigo AQUI.

 

Aqui está um assunto de grande pertinência e oportunidade, que mostra como empregadores prejudicam as suas organizações ao não contarem com os seus trabalhadores como meios fundamentais para alcançarem as suas metas. Como diz o ditado: quem tudo quer tudo perde...

publicado por Zé LG às 08:56
23
Fev 15

DSC_0002.jpgPara quem podia ter dúvidas, a noite de Quinta-feira confirmou mais uma vez isso mesmo. Culminando um conjunto de iniciativas que um grupo de mães, professoras e auxiliares de educação de alunos com necessidades especiais de educação promoveram, com o objectivo de angariar fundos para a melhoria das condições da Unidade de Multideficiência da Escola de Santiago Maior, realizou-se um espectáculo, no Pax Júlia, organizado pela Associação Zarcos, com músicos da região e o Serafim e a casa encheu.
E a Festa foi bonita!

publicado por Zé LG às 00:33
08
Fev 15

1423350302468_scrapeenet.jpg... que se critique a falta de participação, a ausência de espaços de debate, a acomodação das pessoas, e por aí fora e que, quando se pretende fazer algo que combata tudo isso, desafiando as pessoas a participar num debate que a todos devia interessar, se venha dizer que à falta de assunto se opta pela "grande pendência que se coloca para o futuro da cidade: o que fazer com o depósito de água".

"Nada mais havendo a acrescentar nem a tratar em Beja, assim se lavra a ata do mais fresquinho não-assunto do momento", Paulo Barriga, in: http://da.ambaal.pt/noticias/?id=7192

publicado por Zé LG às 23:57
20
Jan 15

cjulio-1708.jpgA “Imenso Sul” faz 20 anos. O que se conseguiu com este projeto jornalístico alentejano e o que ficou depois dele?
Na altura conseguiu-se juntar dúzia e meia de profissionais da comunicação social de todo o Alentejo, que aqui residiam e trabalhavam, num projeto editorial para criar fluxos de comunicação entre as várias parcelas do território e dar a conhecer, a cada uma delas, o que se fazia nas outras. Vivia-se, então, um momento que se pensava poder desembocar na regionalização e este conhecimento da região enquanto um todo parecia-nos duma grande importância, uma vez que todos os órgãos de comunicação social existentes tinham um horizonte concelhio ou, quanto muito, distrital. Ficou essa experiência e a ideia de um órgão de comunicação social que pusesse todo o território alentejano a dialogar entre si.

Nos dias de hoje, com toda a crise que afeta a comunicação social, seria possível erguer de novo um projeto como este?
Hoje é mais fácil trabalhar-se em conjunto, apesar de fisicamente não se partilhar o mesmo espaço. Mas hoje falta sobretudo apoio institucional. Um projeto destes tem que ser considerado relevante pelas instituições regionais – como, em certa medida, o “Imenso Sul” foi – e por elas apoiado publicitariamente.

Como jornalista veterano, como encara os acontecimentos de 7 de janeiro, em Paris?
Penso que, para além de em causa estarem questões específicas ligadas ao fundamentalismo islâmico, tratou-se também de um profundo ataque à liberdade de expressão. Ficou a mensagem: se eu não gostar do que ficou expresso mato o mensageiro. Mas isto não é nada de novo. O poder e os poderes não têm feito outra coisa: através de censura direta ou indireta, têm sempre tentado cercear e limitar a liberdade de expressão, através de leis repressivas, do cerco económico, e da perseguição aos jornais e jornalistas que não lhes sejam afectos. E o número de jornalistas mortos todos os anos (61 em 2014), mesmo em situações que não são de combate, mas em atentados e em ajuste de contas, é bem o exemplo disso. A conclusão é que não nos podemos amedrontar, seja pelas ameaças do vizinho do lado, do político do bairro ou pelo industrial da cidade. Ou pelo fundamentalista que brame uma verdade que julga única. A todos é preciso dizer, citando José Régio, “Não! Não, não vou por aí! Só vou por onde/Me levam meus próprios passos...”.
Carla Ferreira, in: http://da.ambaal.pt/noticias/?id=7052

publicado por Zé LG às 20:08
19
Jan 15

160120151159-21-cpcBEJAII.jpgO deputado do PCP eleito por Beja questionou o Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social sobre os acordos de cooperação com o Centro de Paralisia Cerebral de Beja para funcionamento do Lar Residencial.
João Ramos quer saber por que razão não foi orçamentado para 2015, o valor necessário para estabelecer o acordo de cooperação com o Centro de Paralisia Cerebral de Beja para 22 vagas em valência de lar residencial.
Por outro lado, pretende apurar a razão que leva o Centro Distrital de Segurança Social de Beja a recusar falar com a direcção do Centro de Paralisia Cerebral e que garantias pode dar o Governo que o acordo já assinado com o Centro de Paralisia Cerebral de Beja será alargado de 12 para 22 utentes.
In: http://www.radiopax.com/index.php?go=noticias&id=6100
e http://www.vozdaplanicie.pt/index.php?go=noticias&id=4875

publicado por Zé LG às 22:55
07
Jan 15

10896980_852415651446266_7118431722016388219_n.jpgCopiada de: https://www.facebook.com/196085773745927/photos/a.361448507209652.83025.196085773745927/852415651446266/?type=1&theater

 

Massacre na sede de jornal que publicou caricaturas de Maomé faz pelo menos 12 mortos

Três homens vestidos de negro invadiram o hall da sede do semanário "Charlie Hebdo", em Paris, com lança-foguetes e kalachnikovs. Há pelo menos 12 mortos, dois dos quais polícias, o diretor da publicação e três ilustradores. Presidente francês apelou à "união do país" na luta contra o terrorismo: "Este ato bárbaro nunca vai extinguir a liberdade de imprensa. Nós somos um país unido que vai reagir e não bloquear".

Ler mais: http://expresso.sapo.pt/massacre-na-sede-de-jornal-que-publicou-caricaturas-de-maome-faz-pelo-menos-12-mortos=f905151#ixzz3OBQVp5qq
publicado por Zé LG às 23:59
Junho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
24
25
26
27
28
29
30
Passaram por cá
"Contador de visitas">Contador de visitas
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Ser Beja, é ter como bandeira a cidade e os que cá...
A Casa da Cultura esteve à pinha!! Foi um espaço p...
Bom dia. Dizer que o João Rocha anda por cá há 40 ...
Ahahaha esperaste tu até ás 4 da manhã para me dar...
Bonito serviço não haja dúvida. Uma senhora lista ...
Eu sei que é um argumento mesquinho, mas é para as...
Senhor anónimo, no seu lugar dava mais ouvidos à "...
Pensava que iam ter o Cristiano Ronaldo, ou o Salv...
Maria, calada és uma poetisa!Paulo Arsenio, natura...
Caro anónimo:Agradecia contactasse os funcionários...
Reconheço que o Rocha não é simpático. Também por ...
A questão do ser de Évora , Beja ou Lisboa revela ...
Vergonha das vergonhas o que se passa naquela bend...
Quem? Como aquele que veio pela mão do PCP, de Lis...
Maria, e ser de Évora também não é ser de Beja
blogs SAPO