Alvitrando
Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.
16
Jul 17

a3 poster pt INspiring Youth.jpg

Casa da Cultura

Dia 17, às  11:00

Painel com Marisa Matias e Helena Serra (representante da Fundação Anna Lindh - http://www.annalindhfoundation.org)

- Todos os detalhes e cartazes do projeto podem encontrar-se no website: www.checkin.org.pt/inspiring-youth

 

AC6D0632923C44AC96B8A94E91765D59.jpg

publicado por Zé LG às 19:19
04
Fev 16

É este o "patriotismo" destes senhores...

publicado por Zé LG às 00:05
04
Jan 16

Inês Zuber, deputada do PCP no Parlamento Europeu, reúne esta segunda-feira, 4 de Janeiro, pelas 15:00 horas, na Câmara Municipal de Beja, com representantes de Comissões para a Proteção de Crianças e Jovens do distrito de Beja.

manchete_banner_030120162010-51-InsZuber.jpg

Este encontro surge na sequência da aprovação, no passado mês de Novembro, em sessão plenária do Parlamento Europeu, do relatório "A redução das desigualdades, com especial atenção à pobreza infantil", da deputada do PCP, com 569 votos a favor, 49 abstenções e 77 votos contra.



publicado por Zé LG às 00:56
29
Mai 14

publicado por Zé LG às 23:27
27
Mai 14

O regime político em que os portugueses se revêem não é certamente este como ficou ontem claramente demonstrado. E não me compete a mim como simples cidadão resolver essa questão, essa é uma questão complexa que cabe aos partidos a sua resolução, assim saibam ler os sinais claríssimos que os portugueses lhes enviaram, em vez de cada um à sua maneira estarem a reclamar vitória (um porque ganhou com 7,5% do total dos eleitores e o outro porque ficou apenas a 3,5% do primeiro, sendo a soma de dois partidos, o que equivale a 6,875% do total dos eleitores. O actual PSD que poderá valer cerca de 22 a 23% dos 27,5% obtidos pela coligação, valerá cerca de 5,6% do total dos eleitores). Esta é a actual representatividade dos dois partidos que têm governado este país desde o 25 de Abril, os dois somados dão qualquer coisa como 13,3% (7,5 +5,6) do total do eleitorado. Ou seja, 86,7% (100-13,3) dos eleitores já não acreditam nestes dois partidos que são os que nos têm governado e não se vislumbram alternativas a julgar pelos sucessivos resultados eleitorais, com especial ênfase para os de ontem. E, não ver o óbvio, é sinal de que os partidos não sabem interpretar a mensagem transmitida pelo povo em dia de eleições. Faz falta outro tipo de classe política, mais competente, mais capaz, menos sujeita a pressões, compadrios, etc., etc.

lição de tango a 26 de Maio de 2014 às 23:58

In: http://alvitrando.blogs.sapo.pt/o-que-mudou-com-estas-eleicoes-2713163#comentarios

publicado por Zé LG às 23:53
26
Mai 14

Esta tarde, fizeram-me esta pergunta. Depois de alguma hesitação, acabei por deixar escapar um tímido “gostei”, que me soou tão pouco convicto como reflectido, o que me fez tentar explicar o que achava de facto. E, ao fazê-lo, percebi que, mais do que explicar o que achava, tentava reflectir em voz alta o que de facto achava.

E então o que acho dos resultados destas eleições? Acho que eles contribuíram, ainda que de forma mitigada, para aquilo que entendo que tem de acontecer para que os dirigentes dos partidos com assento parlamentar entendam que as coisas estão a mudar e que os partidos já não têm o poder que tinham - um verdadeiro estremeção que os faça reflectir e inflectir, com base de um maior respeito pelos eleitores.

Parece que o estremeção – a abstenção voltou a subir (3 pontos percentuais), atingindo o máximo histórico (2/3 do eleitorado); os brancos e nulos voltaram a subir (cerca de 1 ponto percentual); e a votação nos partidos com assento parlamentar baixou 22 pontos percentuais (de 88% para 66%) -, ainda não foi suficientemente forte para os fazer arrepiar caminho, a avaliar pelas suas declarações, em que apenas valorizaram os ganhos e perdas entre si, esquecendo completamente o país e as pessoas.

Se os cinco (PS, PSD, CDS, CDU / PCP e BE), no conjunto, não atribuem grande importância ao facto de terem perdido 20% dos votos (passaram de 3,1 para 2,5 milhões) das anteriores para estas eleições, atingindo os votos (de contestação) nas outras candidaturas e os brancos e nulos já 1/3 do total dos votos, o que será necessário para os fazer ver que estão a correr para o abismo? E pior ainda, que estão a arrastar Portugal e os portugueses nessa corrida?

E pior do que tudo é que o que se está a passar em Portugal passa-se igualmente por toda a Europa.

publicado por Zé LG às 23:35
26
Mai 14

O PS ganhou as eleições, embora ficando aquém das expectativas.

A coligação PSD – CDS perdeu as eleições, com a mais baixa votação de sempre.

A CDU subiu significativamente, tendo obtido o seu melhor resultado dos últimos 25 anos.

O MPT foi a grande surpresa, decuplicando a sua votação em relação às últimas eleições, tendo ultrapassado o BE.

O BE teve menos de metade dos votos de há quatro anos, ficando aquém das expectativas.

O Livre, legalizado há última hora, ficou em 6º lugar, sendo o primeiro dos que que não elegeu deputados.

Esta é a apreciação possível quando ainda faltam apurar os resultados de 2 freguesias e 4 deputados.

 

Os líderes partidários continuaram a falar como se tudo estivesse na mesma, fazendo as leituras que julgam mais lhes interessar, sem darem a devida importância à inteligência e à capacidade crítica das pessoas e como se o poder dos partidos continuasse na mesma.

Só para mostra que não é assim aqui ficam estes dados:

A abstenção voltou a subir (cerca de 3 pontos percentuais), sendo a maior de sempre.

Os Brancos e Nulos subiram, em conjunto, quase um ponto percentual, sendo o 4º “grupo” mais votado.

Os partidos que têm governado Portugal (PS, PSD e CDS) perderam cerca de meio milhão de votos.

publicado por Zé LG às 00:37
23
Mai 14

Com a implosão da União Soviética, o capitalismo sentiu-se livre de acentuar a exploração do trabalho, a concentração do capital e a acentuação das desigualdades. Deixou de sentir necessidade de fazer algumas concessões em termos sociais, porque já não tinha de mostrar que também ele assegurava direitos sociais. Foi aqui que se iniciaram os ataques ao estado social, que na Europa teve de criar para mostrar aos povos do Leste que era um sistema melhor. Actuando “à vara larga”, sem contraponto, o capitalismo excedeu-se e não foi capaz de evitar as crises, que têm atingido gravemente os povos de muitos países. E agora já sem se poder desculpar com a ameaça comunista, que era utilizada como papão para os povos dos países ocidentais. O capitalismo mostrou-se tal qual é. Sem disfarces mas também sem desculpas.

O regime democrático tem servido para sustentar o sistema capitalista. E nestas últimas décadas tem vindo a degradar-se, sendo utilizado para, através das alternâncias no poder, mudar alguma coisa para que tudo continue, mais ou menos, na mesma. É isto o que se tem verificado na Europa e em Portugal. A alternância entre governos de direita, mais ou menos liberais, e governos sociais-democratas, “socialistas” ou “trabalhistas”, embora mudando alguma coisa têm mantido no essencial quase tudo praticamente na mesma. É isso que poderá acontecer agora, mais uma vez, com estas eleições europeias. Tal só não acontecerá se houver algo que faça as forças do sistema tremerem. Isso poderá acontecer com níveis de votação ainda mais baixos que dificultem a legitimação de quem ganhar as eleições. Mas é perigoso porque pode abrir caminho a tentações autoritárias, o que ainda agravaria mais a situação. A outra hipótese de fazer tremer o sistema é a subida significativa das votações nas forças que o contestam e apresentam alternativas, ainda que pouco consolidadas.

A abstenção é mais fácil, dispensa fazer opções e serve para justificar todo o tipo de contestação. Votar torna-se mais difícil quando se observa quão inútil tem sido o voto em tantas situações e não se vislumbra que possa ser muito diferente, até porque ainda não são claras as alternativas ao sistema dominante. Para as pessoas da minha geração, que conquistaram o direito a votar com o 25 de Abril, o voto, para além de um dever cívico, tem outra envolvência, o que torna mais fácil exercê-lo. É isso que farei. No Domingo vou votar como sempre tenho feito e votarei na mudança do sistema.

publicado por Zé LG às 22:33
21
Mai 14

Eu quero uma Europa unida mas respeitadora da diversidade e das identidades culturais e regionais. Uma Europa que privilegie o desenvolvimento humano ao desenvolvimento económico; a coesão social à união económica, financeira e monetária; o respeito pelos direitos da natureza à exploração desenfreada e descontrolada dos recursos naturais; o estado social ao estado ao serviço do capital financeiro e especulativo; a união de Povos à união de estados. Eu quero uma União Europeia que privilegie a democracia à burocracia; com políticos e dirigentes que sirvam os cidadãos e não se limitem a servir das mordomias e das influências em proveito próprio; que seja implacável no combate à corrupção.

Porque quero uma Europa assim não posso votar nos que têm feito tudo para que ela assim não seja.

publicado por Zé LG às 08:45
22
Abr 14

João Ferreira, cabeça de lista da CDU ao Parlamento Europeu, visita esta tarde o distrito de Beja, acompanhado de José Maria Pós-de-Mina, antigo presidente da Câmara de Moura e também da CDU aquelas eleições.

Às 17 horas é feita a apresentação de candidatos, mandatário distrital e mandatários concelhios, na cafetaria da Casa da Cultura de Beja, seguindo-se, às 17h45, contactos com a população nas Portas de Mértola.

A deslocação termina às 19h30 com um jantar-convívio com apoiantes, em Cuba, no Pavilhão de Exposições.

In: http://www.radiopax.com/index.php?go=noticias&id=3700

publicado por Zé LG às 08:50
08
Abr 14

O número três da Lista do Bloco de Esquerda às eleições europeias de Maio quer uma abertura da Europa ao Sul: Portugal, Espanha, Itália e Grécia.

Cláudio Torres realça que aceitou o desafio de concorrer às Europeias nas listas do BE em “homenagem” ao falecido Miguel Portas.

In: http://www.radiopax.com/index.php?go=noticias&id=3585

publicado por Zé LG às 23:55
25
Mar 14

A 25 de Maio realizam-se as eleições para o Parlamento Europeu?

Para além da escolha de 21 deputados portugueses (766 no total), o que mais vai ser decidido? Será que vai haver um debate esclarecedor, em que cada força política apresenta com clareza e verdade o que defende?

Os prós e contras da União Europeia, do Euro, do federalismo, da Europa das Regiões, do posicionamento geoestratégico da EU, as políticas, a coesão territorial e social, entre outros temas, deviam ser discutidos amplamente, de forma a cada um que ainda ocupa algum do seu tempo com estas questões ficasse melhor esclarecido.

Será que tal vai acontecer? Gostava de acreditar mas desconfio…

Porque será que não sinto qualquer entusiasmo com estas eleições?

 

(foto copiada de: http://www.publico.pt/politica/noticia/que-influencia-tem-os-nossos-deputados-no-parlamento-europeu-1627621)

publicado por Zé LG às 23:36
03
Mar 14

Durão diz que Portugal pode estar em condições de dispensar programa cautelar

Durão Barroso considera que Portugal pode estar em condições de dispensar um programa cautelar, após a saída da “troika”. Depois de em Janeiro ter defendido que essa seria a melhor solução, o presidente da Comissão Europeia admite agora que a situação melhorou e, por isso, o país pode optar por uma saída limpa.

In: http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=1&did=140934

 

Vamos ver até onde resiste o PS ou, se mais uma vez, capitula perante as pressões exercidas, a alternância e a falta de uma verdadeira alternativa política.

publicado por Zé LG às 21:58
21
Fev 14

Vinte e quatro vozes masculinas ecoaram nos corredores do Parlamento Europeu, para sensibilizar, para as características únicas do cante coral alentejano e para a necessidade da sua preservação.

Uma passagem por Bruxelas que apresentou ao Parlamento Europeu o Grupo Coral e Etnográfico de Vila Nova de São Bento, do concelho de Serpa, e que ocorre numa altura em que está em curso a apreciação da candidatura do cante alentejano a património cultural imaterial da humanidade, da UNESCO.

Aquela possibilidade surgiu também por convite dos eurodeputados do PCP João Ferreira e Inês Zuber, no âmbito da sua actividade parlamentar.

In: http://www.vozdaplanicie.pt/index.php?go=noticias&id=2241

publicado por Zé LG às 13:09
29
Jan 14

Todas as organizações manifestaram disponibilidade para discutir com o 3D e as reuniões decorreram num ambiente de discussão aberta.

Apesar da concordância de princípio com a necessidade da convergência nesta área política e com as questões programáticas essenciais constantes no Manifesto 3D, expressa por todos os interlocutores, não foi possível encontrar uma solução inclusiva que se traduzisse numa plataforma eleitoral comum a concretizar já nas próximas eleições europeias e que correspondesse aos objectivos do Manifesto 3 D.

Os promotores do Manifesto 3D reafirmam o seu empenhamento na construção de uma alternativa governativa assente na dignidade, na democracia e no desenvolvimento de Portugal, estando prontos para prosseguir este combate com todas as forças políticas que o queiram assumir. 

Nos próximos meses serão promovidos encontros em vários pontos do país com os subscritores do manifesto, abertos a todos os cidadãos e cidadãs que se revejam nos seus propósitos, tendo em vista dar conta do processo iniciado pelo lançamento do Manifesto 3D e debater os desenvolvimentos futuros desta iniciativa, a culminar numa assembleia de subscritores.

Parte final de comunicado do 3D relativo aos contactos com BE, RC e Livre.

publicado por Zé LG às 13:50
09
Jan 14

Os promotores iniciais do manifesto 3D reuniram, pela primeira vez, no último fim-de-semana, para eleger a comissão coordenadora que dará continuidade aos esforços iniciados com a divulgação do “Manifesto pela Dignidade, pela Democracia e pelo Desenvolvimento: Defender Portugal” e que, em apenas três semanas, já recolheu mais de cinco mil subscrições.

Por decisão tomada pelos promotores do manifesto, a comissão coordenadora eleita formalizará esta semana uma proposta dirigida à direcção do Bloco de Esquerda, à Comissão Instaladora do LIVRE e à Direcção da Associação Renovação Comunista para a constituição de uma candidatura convergente e mobilizadora às eleições europeias.

Esta candidatura deve ir muito além dos partidos e movimentos referidos. Deve estar aberta a todos os cidadãos e movimentos e organizações políticas e sociais que se revejam nos seus propósitos e que queiram defender em Bruxelas uma inflexão da política europeia que se traduza no abandono das políticas de austeridade e na adopção de políticas solidárias e de apoio ao desenvolvimento à escala europeia. Contrariando assim a actual orientação da União Europeia, que tem vindo a transformar-se em troika permanente, num espaço não-democrático, baseado na relação desigual entre ricos e pobres, credores e devedores, mandantes e mandados.

Por parte do Manifesto 3D, existe total abertura para encontrar a solução que mais favoreça uma candidatura convergente o mais ampla possível. O seu propósito é promover convergência tendo em vista dar resposta aos problemas do país e não acrescentar mais divisão entre aqueles que se opõem à estratégia da troika e da actual governação.

Esta candidatura às eleições europeias pretende apenas ser o primeiro passo para a construção de um projecto de governação alternativo à estratégia da troika e da actual maioria. A construção dessa alternativa deve tirar partido dos esforços já desenvolvidos e possibilitar a elaboração de uma base de programa de governação, tendo em vista as próximas eleições legislativas.

O Manifesto 3D realizará a primeira assembleia nacional de subscritores no início de Fevereiro.

A Comissão Coordenadora

António Avelãs, Daniel Oliveira, Eduardo Pinto Pereira, Guadalupe Simões, Henrique Sousa, Isabel do Carmo, João Almeida, José Castro Caldas, José Reis, José Vítor Malheiros, Manuel Coelho, Ricardo Paes Mamede e Rui Feijó

 

www.manifesto3d.pt

publicado por Zé LG às 23:25
26
Set 13

O Relatório do Programa Específico de Execução do Horizonte 2020 da autoria de Maria da Graça Carvalho foi hoje aprovado por unanimidade na Comissão de Indústria do Parlamento Europeu.

Durante a reunião da comissão foi votado o resultado das negociações do Horizonte 2020 entre o Parlamento Europeu, o Conselho Europeu e a Comissão Europeia, as quais finalizaram com sucesso em Junho passado em Bruxelas após seis meses de reuniões.

O Horizonte 2020 abrange todas as áreas científicas desde saúde às tecnologias de informação e comunicação, materiais, segurança e energia.

A relatora introduziu um conjunto de áreas de grande importância para Portugal tais como uma linha de investigação autónoma para o Mar e outra para a Herança Cultural. Foram ainda incluídos tópicos para a Investigação em Fogos Florestais e para a Gestão da Qualidade da Água. "A inclusão destas prioridades, declara Graça Carvalho, permitirão aumentar a participação de Portugal no Horizonte 2020 e tirar deste programa os benefícios que ele encerra".

Leia todo o comunicado em: http://www.gracacarvalho.eu/Horizonte-2020-aprovado-por-unanimidade-na-comissao-de-industria-do-Parlamento-Europeu-a5758,z64.htm

publicado por Zé LG às 14:48
29
Jun 13

Inês Zuber, eurodeputada do PCP, visita hoje o distrito de Beja.

O programa inicia-se às 10 horas, em Serpa, onde a deputada do PCP no Parlamento Europeu visita um produtor de Queijo de Serpa e visita a Casa do Cante. Para as 13 horas está agendada a apresentação pública dos candidatos autárquicos da CDU no concelho de Alvito num almoço que decorrerá no Centro Cultural de Vila Nova da Baronia. Inês Zuber vai intervir na sessão. A eurodeputada visita a XV Feira Nacional da Água e do Regadio, em Ferreira do Alentejo às 16 horas, e participa numa Sessão Pública, pelas 19 horas, em Aljustrel, no Largo do Mercado, intitulada “Derrotar as Troikas. Salvar o Povo e o País!”

In: http://www.radiopax.com/index.php?go=noticias&id=1262

publicado por Zé LG às 00:31
15
Mai 13

Esta semana os deputados europeus da esquerda manifestaram-se contra a troika, com a palavra de ordem “Tirem as patas de cima de Chipre, Portugal, Grécia, Espanha, Irlanda”. A revolta contra a austeridade já chegou ao Parlamento Europeu. Esta foto está a correr a Europa toda, mas alguém a viu na imprensa portuguesa?

publicado por Zé LG às 23:57
Julho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
27
28
29
30
31
Passaram por cá
"Contador de visitas">Contador de visitas
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Ainda bem que o PSD apresenta lista, é o unico par...
1 – “Os do costume já andam todos excitados com o ...
Foi convidado pela federação internacional de hor...
Zero. Absolutamente Zero! Gestão Unipessoal do Con...
Esse oportunista de carreira tem mamado sempre .Fo...
Das intervenções que até hoje se fizeram neste man...
Esse senhor fala assim porque a associação dele re...
Txêque parece que tem azogue nas unhas!
E como diz o VP, tem que continuar a politica de a...
Além desses, os que também cometeu enquanto presid...
A Câmara de Beja, nos últimos 4 anos tem feito tra...
ridicula e patetica esta candidatura.O candidato i...
realmente falasse aqui de muita coisa, agora até o...
E se ao lado da folha de apresentação do anterior ...
Assisti a alguns debates sobre o POLIS. Recordo-m...
blogs SAPO