Alvitrando
Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.
15
Dez 17

091220132045-433-Sade.jpg

A criação do Hospital Central do Alentejo, em Évora, “não pode implicar a menorização dos demais hospitais do Alentejo e a capacidade de financiamento de Serviços e equipamentos destes”. Esta foi uma das conclusões saídas de uma reunião dos Conselhos Sub-Regionais de Beja, Évora, Portalegre e Setúbal da Ordem dos Médicos, que assumiram o compromisso de “contribuir para uma solução que salvaguarde os interesses da Saúde global do Alentejo, como factor de desenvolvimento geral e de fixação de população”.

Pedro Vasconcelos, presidente do Conselho Sub-Regional de Beja da Ordem dos Médicos frisou que o entendimento de que a saúde do Alentejo deve ser pensada e praticada não por projetos avulsos, mas de uma forma global, integrando ofertas e necessidades gerais foi uma das grandes conclusões retiradas deste encontro.

publicado por Zé LG às 00:04
13
Dez 17

manchete_text_121220171627-514-IPBejaaeronutica.JP

O Aeroporto de Beja “tem sabido encontrar o seu caminho (…) e contribuído para o momento particularmente favorável do sector aeronáutico em Portugal”, afirmou ontem, em Beja, o Secretário de Estado dos Transportes e Infra-estruturas na abertura do “Open Day- I Can Fly” promovido pelo Instituto Politécnico de Beja, sublinhando que o projecto de construção de um hangar para manutenção de aeronaves que o grupo MESA/Hi Fly vai instalar no aeroporto de Beja, em 2018, é “estratégico” para o cluster aeronáutico de Beja.

Ler e ouvir AQUI e AQUI.

publicado por Zé LG às 08:49
12
Dez 17

Uma reportagem de Ana Dias sobre a Raríssimas, trouxe à luz do dia um conjunto alargado de procedimentos da sua presidente Paula Brito da Costa que, a confirmarem-se, mostram como o uso e abuso do poder por parte de algumas pessoas as faz cometer os crimes mais atroses. Desde o primeiro momento em que vi a reportagem que me preocupou o risco deste caso poder levar a opinião pública a, "metendo tudo no mesmo saco", confundir o importante papel desempenhado pela Raríssimas com o desempenho eventualmente criminoso e imoral da sua presidente e tender a considerar que em todas as instituições similares existirão situações como esta. Ora, o que se passa na realidade não é isso. A maioria das instituições são geridas de forma exemplar e a esmagadora maioria dos seus dirigentes e outros colaboradores dão o que têm e não têm para que elas alcancem os seus objectivos. Por todas as razões e também por esta, este caso deve ser exemplarmente investigado e jugado de forma a ser asseguardo o bom nome das instituiões e dos seus dirigentes e colaboradores.Porque dificilmente conseguiria expressar melhor o que penso relativamente a uma nota publicada pela "Direcção" da Raríssimas no FB, entretanto retirada, do queAndré Rica escreveu AQUI, publico na íntegra o seu texto, que sugiro que leiam.   À Presidente da Rarissímas, Paula Brito da Costa, não se preocupe, CONCORDO CONSIGO!

 

publicado por Zé LG às 00:02
07
Dez 17

mupi01.jpg

A Direcção Regional do Alentejo (DRA) do PCP lamenta “a postura de alguns eleitos do PS que, na busca de hegemonização do poder, ignoram a lei e não olham a meios para atingir os seus fins”, responsabiliza os eleitos socialistas pela “situação de impasse na eleição de órgãos” e acusa-os da prática de “uma cultura de poder pelo poder, diminuindo a matriz de diversidade e pluralidade que existe no Poder Local”.

O PCP diz que Alqueva “não tem condições para resolver todos os problemas existentes no Alentejo” e que a região “precisa é de uma verdadeira política de desenvolvimento, assente no aproveitamento dos recursos e potencialidades existentes”.

 

O PCP mostra-se preocupado com os efeitos da seca na agricultura e no abastecimento à população numa parte substancial da região e refere que há medidas de caráter estrutural que urgem ser implementadas para que se possa fazer face a este tipo de flagelo.

publicado por Zé LG às 08:47
06
Dez 17

«… infelizmente para os seus utentes, a ULSBA já não tem “nichos de qualidade”. Já teve...Se os conseguir criar tem que os saber manter e sobretudo gerir em prol da causa pública do SNS ,integrados numa perspectiva holística de melhoria contínua de qualidade do SNS, uma missão de oferta de cuidados de saúde com qualidade aos Baixo Alentejanos.
Para que isso possa acontecer, é necessário reverter o “status quo”de gestão instalado há muito mais de uma década , hoje convertido em “nicho de amorfismo e resignação” para não o tipificar com maior carga ou técnica e ou subjectiva. E essa mudança exige outros” players”, o que não tem sido do interesse do poder político superior e muito menos ainda do local, que gravita alheio ao grave problema de oferta de cuidados de saúde no BA. Já quanto aos instrumentos de gestão e jurídicos indispensáveis para a a inversão da tendência instalada, eles parecem estar disponíveis e à mão de quem queira, saiba e possa utilizar.
Se esse não parece ser o caminho, e esqueçamos o “papão dos privados” que já não o é, mesmo em áreas anteriormente consideradas não atractivas para os privados, como o BA, então a prestação de cuidados de saúde pela ULSBA continua a sua marcha traçando uma linha visível e acentuadamente descendente que poderá terminar, a curto prazo, num cenário indesejável para alguns e ou para muitos utentes/doentes.»

Comentário de Anónimo a 5 de Dezembro de 2017 às 19:25, AQUI.

publicado por Zé LG às 23:20
22
Nov 17

131120171652-613-PauloArsnio.jpg

O novo Executivo municipal de Beja, liderado por Paulo Arsénio, tomou posse no passado dia 18 de outubro e quer que em 2021 fique provado que “se fez melhor e diferente, poupando no acessório e gastando mais no essencial”, num concelho em que “o objetivo principal é criar condições para haver mais empregos e mais fixação de pessoas.”

Tendo a noção de que nem tudo o que se pensou para Beja estará concretizado em 2021, Paulo Arsénio afirma que é preciso fazer o caminho, tendo alguma coisa para mostrar no final dos quatro anos, que prove que Beja é capaz, aproveitando também, o clima de confiança que se vive no concelho e no país.

publicado por Zé LG às 08:52
20
Nov 17

 

Há uns anos, quando manifestava o meu desagrado pelo aumento do preço da electricidade, um amigo disse: “Quero lá saber do aumento do preço da electricidade, quero é que as acções da EDP subam.” Isto aconteceu pouco depois da EDP ter feito uma das primeiras operações de venda das suas acções. Por ter comprado algumas dessas acções este meu amigo passou a valorizar mais sua posição de accionista da EDP do que a de consumidor de electricidade. E por mais que eu tivesse argumentado que consumidor seria sempre e que accionista poderia ser apenas durante algum tempo, ele insistiu em defender mais a sua posição de accionista.

Este é o princípio que está subjacente ao facto de haver tanta gente, que ambiciona naturalmente a ter uma boa vida, a agir contra os seus interesses, privilegiando a defesa dos ricos - o que gostaria de ser - em detrimento da posição que ocupa – assalariado, trabalhador por conta própria, micro ou pequeno empresário – e da sua situação de consumidor, que é tanto mais importante quanto menos tem.

 

 

publicado por Zé LG às 00:08
13
Nov 17

Nilza-de-Sena.jpg

No entender da deputada do PSD Nilza de Sena, “o esforço de coesão territorial como desígnio nacional não se compadece com regiões que ficam mais isoladas ou que têm difíceis acessos”.

A deputada do PSD referiu que “o Distrito de Beja não tem auto-estrada, tem uma estrada muito degradada entre Santa Margarida do Sado e Beja e não há notícias sobre a conclusão do IP8”.

Nilza de Sena afirma que há “acessos inaceitáveis” e lamenta que o governo não tenha verbas em Orçamento para avançar com a electrificação da linha ferroviária.

 

 

Migel-Madeira.jpg

O PCP realça, numa alusão a posições do PS, que “alguns aparentes sinais de regozijo e deslumbramento na Região, bem como afirmações de que os problemas se resolvem sem alaridos e em sigilo, pretenderá fazer esquecer que a situação existente deriva de décadas de política de direita da responsabilidade de governos do PS, PSD e CDS”.

Miguel Madeira, membro da DORBE do PCP, exige “medidas que passam pelo restabelecimento da ligação directa Beja/Lisboa, pela electrificação do troço Beja/Casa Branca e pela ligação Beja/Funcheira como importante ligação ao Algarve”.

publicado por Zé LG às 00:05
12
Nov 17

img236.jpgUma mulher solidária

Faz tempo que tive o ensejo de ouvir na rádio uma entrevista de uma senhora que, pelo teor da mesma, não me deixou sobremaneira indiferente e a partir daí procurei acompanhar o seu percurso na saga solidária que a anima. Trata-se de Maria do Céu da Conceição e da sua inspiradora história de sucessivos desafios e sucessos. Resumidamente, esta mulher inconformada procura com a sua generosidade e criatividade retirar da pobreza e da ignorância várias centenas de crianças de bairros de lata do Bangladesh, mais concretamente da capital do país, Daca. A divulgação da sua ação, bem como a principal angariação de receitas, derivam de imensas iniciativas arrojadas em que se envolve, nomeadamente maratonas, escaladas em várias partes do mundo, destacando-se uma nos Himalaias (8 848 metros de altitude), sendo a primeira mulher portuguesa a conseguir tal proeza.

 

publicado por Zé LG às 20:54
07
Nov 17

23231195_10210990942111274_1260862028025239523_n.j

Faz hoje 100 anos. Foram esses os dias que mudaram o mundo. Não me interessa aqui fazer o elogio (que poderia fazer, convictamente) da Revolução de Outubro. Mas uma coisa tenho como certa. Sem essa Revolução, o processo de libertação dos povos, de muitos ouros povos, não teria sido possível. O combate ao colonialismo, o combate a tantas outras formas de opressão, tiveram aqui a sua fonte inspiradora.

publicado por Zé LG às 21:13
05
Nov 17

Continuam as ondas de choque sobre o lamentável programa da passada segunda-feira. O Alentejo não saiu lá muito bem na chapa, como é costume dizer-se. Aqui vão algumas notas diversas sobre o que me vai na alma, podendo ter razão ou não:

 

* O fundo da questão não reside num jogo Évora vs. Beja, os que se aproveitam de um lado, os que são prejudicados do outro;

* As intervenções primaram pela falta de clareza e pela falta de concisão, uma velha pecha lusitana, nós que tanto amamos o floreado e o barroco;

* Não percebo o que tanto divertiu o senhor ministro, que riu o tempo todo;

* Não percebo o que lá foi fazer o representante de um movimento qualquer, Melhor Alentejo ou algo assim, que se limitou a alinhavar um chorrilho de banalidades;

* Não percebo o que lá foi fazer outro senhor que acabou a tentar cantar qualquer coisa;

* O Presidente da EDIA devia ter tido tempo para explicar coisas importantes;

* Alguém devia explicar ao Dr. José Roquette que o sul da Europa é diferente do norte da Europa;

* Não percebo porque é que deram a palavra a um promotor de gin que foi dizer que Reguengos é diferente (claro, se fosse igual é que seria espantoso) e não permitiram que o Presidente da CCDRA, um homem decente e de grande qualidade, dissesse uma só palavra;

* Há geógrafos que, em poucas palavras, poderiam ter explicado o porquê das coisas;

* Há quem pudesse ter explicado que o triste episódio da automotora não é um detalhe mas o reflexo da realidade que vivemos;

* A penosa e subserviente intervenção do Presidente da Câmara de Beja é o espelho de uma certa política local...

 

Quem falou melhor? Um senhor chamado Carpinteiro Albino. Falou muito bem. Em poucas palavras, disse o essencial e pôs a nu as terríveis debilidades e limitações da nossa administração. E a estupidez de tanta e tanta legislação. Sei do que falo! E ele mais ainda que eu!

 

Publicada por Santiago Macias à(s) 22:28, no seu Avenida da Salúquia 34.

publicado por Zé LG às 15:54
04
Nov 17

"...

Quais das alternativa é que consideraria que seria mais vantajosa para o país ao longo prazo?

A) O governo gasta algum dinheiro (não muito comparado com outros projectos em outras partes do país) para eletrificar a linha de comboio e terminar a auto-estrada para depois o país beneficiar, ao longo de largos anos,de todo o potential florescimento económico que daí verá com mais exportações, em especial agrícolas e agro-industriais e potencialmente outros tipos de indústria também, como indústrias ligadas à aeronáutica.
B) O governo continua a fazer o que tem feito até agora, o distrito de Beja morre, aldeias e vilas desaparecem do mapa, e Beja torna-se numa simples vila de 8000 habitantes com um enorme deserto à sua volta. Perde-se todo o potential agrícola e económico e perde-se ainda toda uma cultura e uma região líndissima em termos de património.
Qual das opções lhe parece melhor, para os bejenses e para Portugal? E até para o próprio governo. Embora o governo obviamente já escolheu a sua opção há muito tempo.

..." 

Trecho do comentário de Eu a 3 de Novembro de 2017 às 00:49, AQUI.

publicado por Zé LG às 10:22
02
Nov 17

Há muitos grandes investimentos em curso no Alentejo.

Uns são resultado da iniciativa privada, outros da responsabilidade do Estado e outros, ainda, de parcerias público-privado.

Uns são completamente nacionais, outros completamente estrangeiros e outros, ainda, integram as duas componentes.

Alguns já estão a ser concretizados no terreno, outros estão em projecto, em diferentes fases, e outros ainda estão em fase de pré-projecto.

Os PIN’s – Projectos de interesse Nacional, a revisão de PDM’s e de outros planos de ordenamento têm facilitado o aparecimento e aprovação de muitos desses projectos.

Muitos outros projectos poderiam já estar no terreno não fora o atraso, de mais de um ano, registado na entrada em funcionamento pleno do QREN e do Programa Operacional do Alentejo e na consequente aprovação de financiamentos.

Entretanto, se apreciarmos bem como esses investimentos são implantados no terreno e, depois, como são ou vão ser explorados concluiremos que as consequências para a dinamização da economia local, mas, principalmente, para a criação de emprego e uma maior justiça social na região não são tão significativas como se poderia esperar.

 

 

publicado por Zé LG às 00:13
31
Out 17

Capoulas-1060x594.jpg

Não é por ter sido o anterior governo a suspender a construção dos IP’s (ou autoestradas) 2 e 8 que este não a retoma e os mantém afunilados a 30 ou 40 kms de Beja.

Não é por ter sido construído o Empreendimento de Fins Múltiplos de Alqueva que agora o Estado não investe mais no Baixo Alentejo. Alqueva foi construído onde foi porque é aqui que existem as condições para tal, tal como o Porto de Sines foi construído em Sines e não em Elvas… E, como sabemos, esses são projectos nacionais e não apenas locais ou regionais.

Não é por ir ser feita a ligação ferroviária de Sines ao Caia (e porque não mais a Sul?) que não se arranja a ligação de Casa Branca a Beja ou, pelo menos, se põem a circular comboios com um mínimo de condições.

publicado por Zé LG às 18:03
30
Out 17

210720171649-409-CatarinaMartins.jpg

A coordenadora do Bloco de Esquerda (BE) esteve de visita a uma exploração, situada perto de Beja, onde uma empresa espanhola terá destruído uma ponte romana e quase duas dezenas de sítios arqueológicos assinalados no Plano Director Municipal para plantar 3 mil hectares de amendoal.
A líder do BE falou do Alqueva e da necessidade da água para “haver agricultura, emprego, desenvolvimento”, acrescentando que “o que estamos a assistir é que o terreno está todo a ser ocupado, nomeadamente o melhor terreno agrícola, por culturas intensivas”, que “não criam emprego propriamente na região, ... e têm tido danos a vários níveis, ambientais desde logo”.
Catarina Martins não tem dúvidas “que é preciso novas regras para o ordenamento dos nossos recursos hídricos, porque Portugal precisa de água, tem de a proteger, tem de a saber usar”.

publicado por Zé LG às 08:48
26
Out 17

Paulo-Arsénio-2.jpg

O presidente da Câmara de Beja considera que “o mais urgente neste momento é corrigir a questão do transporte de passageiros entre Beja e Casa Branca”.

Lembrando que a linha “não será electrificada nos meses mais próximos”, pois tal não está previsto pelo Governo, Paulo Arsénio considera que, para melhorar o serviço, é necessário “substituir o material circulante”, frisando que “Não podemos continuar a permitir que as pessoas do baixo Alentejo, de Beja, de Alvito e de Cuba e das estações servidas por esta linha sejam tratadas da forma como estão a ser tratadas”.

O presidente da Câmara de Beja assegurou que vai exigir junto do Governo a electrificação da linha ferroviária até Beja e defendeu que, até que a linha seja electrificada, sejam colocados novos comboios a circular na linha.

Recorde-se que o Gabinete de Comunicação da CP reconhece que a supressão de horários, a substituição do comboio por autocarros e os atrasos constantes devem-se ao facto, do trajeto Beja/Casa Branca/Beja não estar eletrificado, situação que obriga, segundo este organismo, à utilização de material circulante obsoleto, ou seja de automotoras a diesel com mais de 50 anos. O Gabinete de Comunicação da CP deixou claro, igualmente, que por tudo isto é impossível evitar supressão de horários e atrasos na circulação de comboios.

publicado por Zé LG às 12:47
25
Out 17

Li no Facebook: "E de repente... eis que faleceram os blogs da cidade :( Paz à sua alma. Com tanto para publicar...", o que já mereceu uma série de comentários sobre "vaga de nomeações externas para a Câmara, a automotora que desapareceu, as obras na cidade que pararam...", como pequena síntese da actividade do Executivo Camarário, que tomou posse há uma semana!!!...

Comecei a escrever este alvitre para comentar aqueles escritos... mas não, acho que disseram tudo.

publicado por Zé LG às 00:05
17
Out 17

depósito.jpeg

O mandato autárquico que agora termiona em Beja, poderá vir a ser recordado pela demolição do Depósito de Água da Praça da República, contrariando uma decisão do anterior Executivo Camarário que previa a sua reabilitação, e a não construção de um novo pavilhão desportivo, prometido repetidas vezes desde as anteriores eleições autárquicas. O Executivo Camarário, que agora cessa funções, procedeu a uma demolição que não anunciara e relativamente à qual recusou o debate público e não executou a obra que mais anunciou, porque não foi capaz de reunir as condições para o efeito. Estas duas "obras", com tudo o que as envolveu, representam talvez o que melhor caracteriza o que foi este mandato. 

img144.jpg 

publicado por Zé LG às 08:52
16
Out 17

A inclusão - e neste caso a inclusão escolar - já entrou no discurso político. Ainda bem, porque isso significa que ela é um anseio não só das famílias atingidas mas também da maioria das pessoas. Infelizmente, ao discurso só muito raramente se verifica o seu fomento na prática.

Exemplo disso é o que mais uma vez está a acontecer com os apoios aos alunos com necessidades especiais de educação. Estamos em meados de Outubro, um mês decorrido sobre o início do ano lectivo, e os terapeutas ainda não foram colocados, continuando os alunos sem os apoios de que tanto carecem para o necessário desenvolvimento e consequente inclusão. E as notícias que começam a surgir, como se nada de grave estivesse a acontecer, lançam as piores ameaças sobre as crianças e suas famílias, deixando-os sem rede. Nos casos que conheço directamente, os tempos dos terapeutas foram reduzidos em 50%. Uma criança que tinha dois tempos de fisioterapia e dois tempos de terapia da fala passa a ter apenas um tempo de cada terapia. E isto depois de já terem sido bastante reduzidos os tempos nos anos anteriores. 

Enquanto a aposta na inclusão for encarada como despesa em vez de investimento, estes cortes na educação inclusiva vão continuar a ser feitos para contribuirem para a redução do défice e ficamos todos a perder. 

E perante estas medidas o que fez o Conselho Municipal de Educação? Assiste, na bancada, considerando que se trata de um assunto que não lhe diz respeito? Esperemos que passe a ter um papel mais interventivo no acompanhamento da educação e na procura de soluções para os problemas existentes.

publicado por Zé LG às 23:03
16
Out 17

PS-Beja.jpg

A Concelhia de Beja do Partido Socialista diz que foram alcançados “cabalmente” os objectivos de vencer a Câmara de Beja, aumentar o número de freguesias e aumentar o número de eleitos na Assembleia Municipal e que a vitória de 1 de Outubro foi “a vitória da humildade e da simplicidade baseada numa campanha que envolveu muitos jovens e sobretudo muitas mulheres”.

O PS lembra que venceu as eleições “apenas pela 2.ª vez em Beja, em 12 eleições autárquicas já realizadas” e que atingiu “o seu melhor resultado eleitoral de sempre no Concelho em eleições desta natureza com 46,25% dos votos” e que pela primeira vez a CDU não terá maioria absoluta na Assembleia Municipal de Beja “tendo o PS igual número de eleitos e elegendo pela primeira vez 10 deputados directos”. O PS enaltece a conquista das duas freguesias urbanas que junta a Albernoa/Trindade, pela primeira vez, e às duas que já detinha, Beringel e Trigaches/São Brissos.

O PS/Beja destaca ainda “a subida generalizada do partido a nível distrital, com quatro novas vitórias, o que confere a curto prazo responsabilidades acrescidas nos vários organismos de associação intermunicipal na região que não devem ser enjeitadas”.

Ler AQUI e AQUI.

publicado por Zé LG às 00:36
Dezembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
Passaram por cá
Contador de visitas

Desde 15.01.2011
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Oh,ainda agora a procissão vai no adro.
Pois claro!...no more comments.
Sim, felizmente há outros exemplos dignos de desta...
Sim, melhor pelos serviços de saúde prestados (ima...
Sim, é melhor irem fazendo alguma coisa.
Sempre se vai lutando e fazendo alguma coisa, cara...
Vamos vendo e assistindo .As vezes podem ,querem o...
Não sejamos injustos. Os profissionais que lá trab...
E aí de nós se precisamos de cair na Urgencia! Pod...
Então agora sigam o ditado...
Quem se dispunha foi afastado.
O pior ê que não se vê quem queira,começando pelo...
Mais vale quem quer do que quem pode.
E não tenha dúvidas que os braços caídos são mais ...
Só na cabeça de quem já desistiu!
blogs SAPO