Alvitrando
Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.
21
Fev 17

19736059_hnb5S.jpeg

"O Sr. Presidente da Câmara acaba de informar (na reunião da Assembleia Municipal de Beja) que no concurso para a concessão do parque de campismo apenas foi recebida uma proposta.
Não restam dúvidas que, quase sem discussão pública e sem propostas de ideias inovadoras de concorrentes interessados, vamos ter uma intervenção privada, que quase todos desconhecem, em dois espaços fundamentais da cidade de Beja:
- no atual parque de campismo que, pelo que já se percebeu, irá ser quase de imediato desmantelado, sem se conhecer qual o destino a dar a este espaço nobre no coração da cidade, tema que devia ser central nesta discussão;
- na atual mata e circuito de manutenção, que vai desaparecer para se construir, em cima de uma via rápida e junto a uma escola, um suposto parque de campismo com data de entrada em funcionamento daqui a alguns anos.
Reitero aqui a proposta já feita em sede de reunião de câmara onde votei contra este processo pouco transparente: abrir a discussão à população e ao debate público, aos utilizadores destes espaços, aos seus vizinhos, aos seus utilizadores e a todos os Bejenses. Rui Marreiros"

 

Parece confirmar assim o alvitre que AQUI deixei.

publicado por Zé LG às 22:29
21
Fev 17

Copiado DAQUI:

20170215_181545.jpg

“Como sabemos os monumentos não escrevem mas falam da história de um povo, de uma cidade. São o cartão de visita, são a sala de entrada, neste caso literalmente, pois a Ermida de São Pedro localiza-se à entrada de Beja junto à estrada que vem de Espanha e de toda a margem esquerda. É visível por qualquer dos caminhos que a cercam e além disso fica perto do Bairro da Conceição onde vive uma importante comunidade de Bejenses. Quem entra em Beja depois de passar pela Ermida que fica à esquerda de quem vem de Espanha, ou em frente de quem vem de Lisboa e Évora e se dirige quer para a margem esquerda ou para Espanha (Rosal), depara-se com um monumento negro, escuro, descuidado com um envolvimento lamacento, árvores secas e um piso irregular e ainda local de entulho, como as fotos documentam. Não é com certeza um bom cartão de visita para quem nos visita ou simplesmente quem faz os percursos atrás referidos. Quanto ao título, "Lavem-me e pintem-me porra!!!" embora emprestado aos sloganes escritos nos paredões de uma ponte perto da barragem do Alqueva, que levou umas dezenas de anos a ser concretizada, não acreditamos que a ermida continue por muito mais tempo assim abandonada até porque as eleições estão próximas. Para bem da cidade, dos nossos olhos, dos habitantes do bairro próximo e de quem nos visita esperamos que a espera não seja longa. Ah!!! e para bem do Património da Cidade de Beja urge uma intervenção rápida e completa.

Publicada por José Janeiro

publicado por Zé LG às 08:56
17
Fev 17

“Baixo nível é o daqueles lambe botas ou lambe cús que bajulam autarcas, chefes, conselhos de administração e que usam os poucos blogues que ainda restam como símbolo da liberdade de expressão, para vomitar os seus ódios de estimação, as suas frustrações pessoais e os insultos anónimos a quem dão palmadinhas nas costas no outro dia.
Continuem, autores do Alvitrando e do Praça da República. Os bejenses e a democracia agradecem. Os que têm medo da liberdade de expressão gostariam de vê-los silenciados, mas não têm essa sorte e ainda bem.

Anónimo a 16 de Fevereiro de 2017 às 23:48”, AQUI.

publicado por Zé LG às 00:10
16
Fev 17

Embora com algum atraso, mas quer pela análise bem humorada, quer pelos comentários que suscitou, decidi transcrever aqui este texto de João Espinho Autárquicas 2017 – Bar Aberto!, publicado, no seu Praça da República.

 

bar-aberto.jpg

"As peças para o próximo acto eleitoral começam a dispôr-se nos diversos tabuleiros:
Beja – Conhecido o nome do cabeça de lista do PS à CMB, aguardam-se os nomes dos restantes socialistas que acompanham Paulo Arsénio.
O PCP, como habitualmente, gere os seus tempos, para ganhar tempo, coisa que costuma fazer com mestria. Desta vez tem um problema: João Rocha não faz o pleno das hostes comunistas. Cada vez mais isolado, socorre-se do que tem mais à mão para garantir a sua reeleição. Para um decano das autarquias, deverá ser difícil estar a sentir-se só. Arranjará forma de se impôr. E aqui o Bar tem estado bem aberto: os boatos são esclarecedores – que Rocha concorre como independente, que Vitor Picado será a escolha da CDU para cabeça de lista à CMB. Boatos. Como o bar está aberto, cada um serve-se do que quiser e nas quantidades que entender.
PSD – aparentemente está escolhido o cabeça de lista. No entanto, Pinela Fernandes terá que fechar rapidamente o bar, sob pena de João Araújo, Fernanda Caimoto e mesmo Mário Simões, lhe esgotarem os stocks. Com a entrada do CDS nas listas, a repartição de lugares torna-se mais complicada. E o PSD quer garantir uma ou duas centenas de votos centristas para poder dizer, no dia seguinte, que a derrota não foi humilhante.
Bloco já deve ter a máquina a olear e Alberto Matos será sempre um dos nomes para dar a cara na corrida à Câmara ou à AM. A história de o BE poder vir a apoiar (ou integrar) uma lista de independentes parece, neste momento, afastada.
Por fim: aparecerá alguém para abrir o Bar dos Independentes? Lopes Guerreiro ainda estará disponível para mais uma batalha? E quem o acompanhará na ida a jogo?
O Bar está aberto. Sirvam-se."

 

publicado por Zé LG às 13:47
14
Fev 17

A Rua José Joaquim Fernandes, a pincipal rua do Penedo Gordo, onde se encontram a Escola e o Jardim de Infância públicos, o Parque Infantil, grande parte do comércio e a que tem mais circulação (depois da Estrada Nacional), encontra-se no estado que as fotografias mostram.

1.JPG

A reabilitação da Rua não foi feita no ano passado, apesar de ter sido incluída no orçamento municipal,  juntamente com Plano de Valorização de Freguesias Rurais, Largo frente á Igreja em Santa Clara do Louredo, Largo junto à JF em Santa Clara do Louredo, Reabilitação do Largo dr Carlos Moreira em Beringel, Espaço do Poço dos Ferros - Mombeja e Reabilitação da Praça 5 de Outubro em Salvada. Este ano, tanto quanto sei, nem sequer foi incluída no orçamento.

2.JPG

Sugere-se à Câmara Municipal que reveja as prioridades que definiu e proceda à reabilitação urgente deste arruamento utilizado por tanta gente, do Penedo Gordo ou que se desloca à Aldeia para trazer os seus filhos à Escola ou Jardins de Infância e outras razões.

publicado por Zé LG às 13:55
06
Fev 17

Todos sabemos a importância que a Escola term na educação, formação e desenvolvimento do ser humano. Por isso desejamos - e para isso pagamos também os nossos impostos -, uma escola inclusiva, com boas condições de funcionamento.

Ora, o que muitas vezes acontece em muitas das escolas não é isso. Neste momento, em escolas de Beja, faltam profissionais, nomeadamente docentes para substituições e auxiliares de educação, o que gera um ambiente de insegurança, não permite que os alunos com necessidades educativas especiais estejam nos intervalos com os outros colegas, por falta do necessário acompanhamento, tendo de ficar na unidade de apoio à multideficiência. Existem também dificuldades em refeitórios escolares, relativamente à organização do seu funcionamento e à quantidade e qualidade de comida. E ainda há outros problemas como a a avaria prolongada na climatização dos edifícios.

Confrontado com estas situações pelas associações de pais e encarregados de educação, o Ministério da Educação, através da DGESTE não se comprometeu com qualquer solução para os problemas apontados. 

Não basta afirmar, como fez o governo, que o ano lectivo começou bem, o que nem sequer se verificou nalgumas escolas, com aqui denunciamos oportunamente. O Ministério da Educação tem a obrigação de resolver os problemas que surgem nas escolas, no início e durante o ano lectivo. Não o fazendo, não pode esperar que os afectados se acomodem, aceitando todas as insuficiências e falta de respostas, como se nada se passasse.

publicado por Zé LG às 00:17
04
Fev 17

018.JPG

Há dias no meu trajeto habitual para Beja, dei conta que algumas culturas estavam a ser regadas com “pivots” em pleno Inverno, o que significa que a humidade e retenção de água no solo é diminuta, logo, comprometedora para a normal germinação das plantas semeadas e plantadas. O ano de 2016 já foi um ano considerado de pouca pluviosidade e agora entrámos no atual com uma situação semelhante. Esta constatação provoca a recorrente discussão pública sobre a gestão dos recursos hídricos, a qual deverá de ser feita de acordo com os princípios da racionalidade. São desoladoras as imagens das albufeiras da nossa região com o registo das suas escassas reservas, perigando a qualidade no abastecimento público de água às populações e também para o normal funcionamento de alguns perímetros de rega.
Os efeitos nefastos das alterações climáticas são sintomáticos e começam a fazer-se sentir, paralelamente, começam a haver registos deveras preocupantes.

...

Concluiremos que este tema merece uma atenção redobrada, porque se enquadra de forma muito nítida, na própria sobrevivência da raça humana.
No Alentejo, apesar do cenário de penúria hidrológica (leia-se seca), existe um instrumento infraestrutural estratégico que pode nestas circunstâncias amenizar os efeitos gravosos que a seca impõe. Essa infraestrutura é a Albufeira de Alqueva, que possibilita municiar os outros reservatórios disponíveis e com operacionalidade para cumprir a sua missão. Para tal, importa que as diferentes entidades intervenientes na gestão da água pública na região, se entendam e definam com sentido de responsabilidade as formas mais eficazes para que, sobretudo a agricultura e o abastecimento público de água às populações não sofram os indesejáveis constrangimentos que a mãe natureza ciclicamente impõe.

Manuel Camacho, in: Diário do Alenejo, edição de ontem.

publicado por Zé LG às 12:33
31
Jan 17

Uma das formas de combater a discriminação é a integração dos "guetos" nas cidades, criando emprego, casas e acessos viáveis para que se movam e convivam sem obstáculos. Quem vive no Bairro da Esperança, tem obstáculos, uma vez que a única forma de vir ao centro da cidade, a pé, é atravessando a estrada N260, que liga Beja a Serpa e Espanha. Nesta estrada circulam centenas de carros e camiões a grande velocidade, assistindo-se diariamente à presença de crianças e adultos a atravessar a estrada com grande risco de segurança para as próprias e automobilistas.

No passado, esse problema, foi em parte resolvido com a colocação de uma passagem aérea, que foi removida, com a justificação de a renovar e colocar noutro local mais acessível ao longo da estrada N260. Passado vários anos, o passadiço não foi reposto.

A imagem, em baixo, é do ano de 2009, e se por lá passarmos hoje, não vemos a infra-estrutura:

20203669_gymqA.png

É indispensável e urgente a recolocação da passagem aérea pedonal por parte das entidades responsáveis, a Câmara Municipal de Beja e a Estradas de Portugal, para aumentar a segurança dos cidadãos e condutores, e aumentar a ligação entre e o Bairro da Esperança e o resto da cidade.

publicado por Zé LG às 12:40
30
Jan 17

002.JPG

001.JPG

Existem alguns arruamentos em Beja a necessitar de conservação, com o pavimento bastante degradado e a porem em risco as viaturas que por eles circulam.

As fotografias mostram o estado em que se encontra o pavimento da Rua Dr. António Belard da Fonseca, cuja reparação é urgente, uma vez que é das mais movimentadas, porque fica entre o Centro de Saúde e o Centro Distrital da Segurança Social.

publicado por Zé LG às 13:53
28
Jan 17

261020151823-8-CENTRODEARQUEOLOGIA.jpg

Mas, para já, os arqueólogos estão intrigados com a recente descoberta de uma cisterna que veio à luz do dia após a polémica remoção do depósito da água. “Não deixa de ser curioso”, assinala Conceição Lopes, “que mais de dois mil anos antes da construção do equipamento que agora foi demolido já aqui estava um depósito para distribuir água pública à cidade”. Trata-se de “um tanque ao nível da rua” que terá sido construído entre os anos 70 e 30 a.C. e que culminava “com uma espécie de abóbadas que podiam rematar numa grande fonte monumental que dava para a atual rua dos Escudeiros”.

Para além da importância do edifício em si, principalmente ao nível da datação, esta descoberta vem igualmente colocar na ordem do dia da comunidade científica a questão do abastecimento de água à cidade. “Normalmente a água de abastecimento público chegava por intermédio de um aqueduto. Mas Beja não tem esse equipamento, o que nos faz supor que este depósito e outras mães-de-água que poderiam existir nesta zona eram abastecidos recorrendo a poços e à água da chuva”. PB, AQUI

Foto DAQUI.

publicado por Zé LG às 16:24
25
Jan 17

"A ordem não tem mais nada para se manifestar em comunicado, com tanta matéria digna de informação pública, já que as condições climatéricas do Centro de Saúde são um velho problema?
A ordem que olhe para o atendimento dos utentes em todas as suas vertentes, para a falta de camas, em períodos críticos mas contínuos, e por aí adiante. Não lhe faltará matéria própria e específica para questionar com o objectivo de, pelo menos, não batermos no fundo."

Comentário de Anónimo a 24 de Janeiro de 2017 às 10:02, AQUI.

publicado por Zé LG às 13:58
24
Jan 17

Manuel_Maria_Barroso-1813.jpg

O delegado regional de Educação do Alentejo considera que “mais do que se procurar hierarquizar escolas pelos resultados objetivos de algumas das provas escolares, importa pensar na qualidade e sentido de responsabilidade com que cada uma delas funciona”. Em entrevista ao “Diário do Alentejo”, Manuel Maria Barroso afirma, no entanto, que “alegra-nos que duas escolas da nossa região alentejana figurem” nos primeiros lugares dos rankings elaborados em dezembro último pela comunicação social. O responsável diz ainda que, “de uma forma geral, as escolas da região Alentejo estão a funcionar regularmente”, frisando, contudo, que, “como se sabe, há situações pontuais onde são necessárias intervenções, umas com maior relevância que outras”.

 

O Alentejo é uma região que vem registando uma significativa mudança nos fatores de desenvolvimento, razões suficientes para que o futuro seja tomado com otimismo. Serão esses fatores que influenciarão a nossa demografia escolar, as nossas escolas, os nossos equipamentos e as ofertas educativas e formadoras. Os resultados do ranking atrás referido são mais um sinal desta mudança que se vem notando.

Leia a

entrevista com texto Nélia Pedrosa e fotos José Ferrolho, no Diário do Alentejo.

publicado por Zé LG às 21:39
16
Jan 17

Criei o Alvitrando em 14/01/2004. Com excepção dos primeiros meses, mantenho-o actualizado quase sempre diariamente. Faço-o por respeito pelos leitores e alguns comentadores, que criaram a rotina de o visitar com regularidade. O que nem sempre é fáci, pelo tempo que exige e que roubo ao meu descanso, porque a minha vida familiar e profissional não me dá grandes folgas.

O Alvitrando continua a ser meu e gerido apenas por mim, mas cada vez é mais dos leitores, porque procuro ter em conta o que jugo ser do seu interesse, naturalmente sem nunca abdicar da "linha editorial" traçada. Gostava de alvitrar mais opinião, mas o tempo não o permite. Gostava também de poder melhorar o seu aspecto, bem como as interligações e outras componentes técnicas, mas o tempo e os conhecimentos não facilitam que o faça. 

O Alvitrando continuará a ser um largo de liberdade, procurando fomentar a cidadania, onde todos e cada um podem intervir, como entendem. Como até aqui, a crítica mais certeira que lhe poderá ser feita é de permitir alguns abusos da liberdade, que por vezes atinge pessoas e entidades de forma menos correcta. Mas acho que é preferível isso a calar quem tem medo de falar, pelas pressões exercidas pelos diversos poderes.

publicado por Zé LG às 14:30
12
Jan 17

ng1555770.jpg

Conheço Paulo Macedo desde outubro de 1976. Somos amigos desde então. Já sobre ele escrevi um artigo no jornal "A Planície" (v. aqui).

Foi meu assistente de realização numa curta-metragem da qual não rezará a História. Um trabalho feito com amor e entusiasmo. Ao longo de décadas fomo-nos encontrando de forma irregular. Como acontece nas amizades antigas, a conversa recomeça sempre no ponto em que ficáramos.

Discordamos seriamente em muitas coisas, a começar pelos temas políticos. Como é óbvio. Pois, mas a Amizade vale mais. Continuo a achar que fez um trabalho sério à frente da Saúde, a despeito de todas as decisões que mereceram a minha oposição. Curiosamente, do combate às farmacêuticas pouco se falou...

Li com tristeza as infames notícias de hoje, que procuram atingi-lo. De uma coisa tenho a certeza: é alguém que não pressiona, não faz fretes, não admite cunhas, nem favorece amigos. Constato, há mais de 40 anos, que é de uma ética inabalável. Tentativas de tosca vingança, como a que hoje se esboçou, irão parar ao local que merecem: o caixote do lixo. 

Santiago Macias, AQUI.

 

Este é o Santiago Macias que conheço e admiro há um par de anos. Amigo do seu amigo e capaz de dizer / escrever o que pensa sem calculismos.

Um grande abraço.

publicado por Zé LG às 22:08
01
Jan 17

O ano que hoje começou ficará marcado, a nível político, pela realização de mais umas eleições para as autarquias locais, que terão lugar em Outubro.

Para além do anúncio de alguns (poucos) candidatos, pouco tem vindo a público sobre as movimentações das diversas forças polícas na preparação de tão importante acto para a vida das populações. Passada esta fase festiva, é de prever que nos próximos dois ou três meses sejam anunciadas as diversas candidaturas às diversas autarquias.

A nível do Alentejo aguarda-se com alguma expectativa a forma como os partidos que constituem a "geringonça" se irão comportar, designadamente o PS e o PCP que dominam a quase totalidade das autarquias, bem como se os movimentos independentes vão surgir em maior ou menor número.

No Distrito de Beja, para além dos municípios em que os actuais presidentes não se podem recandidatar por terem atingido o limite dos mandatos (Barrancos, Ferreira do Alentejo e Vidigueira) é também grande a expectativa de saber até que ponto as câmaras municipais que mudaram de cor nas últimas eleições se vão manter.

 

publicado por Zé LG às 22:06
23
Dez 16

A propósito do balanço do ano, o novo líder da Distrital de Beja do PSD, João Guerreiro afirmou que:

"O distrito de Beja, em 2016, não avançou, os projectos de investimento foram abandonados, a afirmação é do presidente da Distrital de Beja do PSD."

150.JPG

Lê-se e ouve-se e fica-se na dúvida se está a falar deste governo ou ainda do do seu partido e do CDS?

Só um exemplo, para mostrar que parece ter memória curta o novo líder do PSD: Que governo mandou parar as obras da autoestrada de ligação a Beja? Que governo retomou as obras, embora como IP8?

publicado por Zé LG às 00:26
20
Dez 16

Com este título publiquei aqui, em 13/12/2004, um texto de reflexão sobre as autarquias locais que termina assim:

… Nem sempre a construção de certas infra-estruturas e, principalmente, de certos equipamentos tem correspondido a necessidades efectivamente sentidas, tendo alguns deles sido feitos com a perspectiva de despertar o interesse por actividades que neles podem ser desenvolvidas.
As autarquias locais têm-se concentrado muito nos investimentos físicos, nem sempre antecipados dos respectivos estudos de viabilidade nem acompanhados dos respectivos planos de exploração. Isto é, a regra tem sido muitas vezes: construa-se que logo terá alguma utilização. No futuro as coisas deverão passar-se de forma diferente: as autarquias locais terão que centrar a sua actividade mais nas pessoas, investindo mais na sua valorização, incluindo a animação, organização, formação e investigação.
Assim, será provável que, no futuro, para além destas actividades de dinamização das suas comunidades, as autarquias locais, especialmente as de esquerda, tenham que apostar mais nas pessoas e na sua participação numa gestão cada vez mais democrática, através do orçamento participado, por exemplo.
Áreas de intervenção prioritárias serão certamente as creches, jardins de infância, escolas, lares, a habitação, principalmente recuperação de prédios degradados, e também a remodelação de infra-estruturas de saneamento básico e as infra-estruturas de apoio ao desenvolvimento económico.

publicado por Zé LG às 20:31
18
Dez 16

Pedirem a construção de um hospital em cada uma das cidades do Alentejo!? Como se os tempos continuassem a ser de elefantes brancos e como se pudessem continuar a exigir esses disparates.
Pensem e peçam qualidade de cuidados nas estruturas que têm. Beja até tem fechado camas, pelos vistos não fazem falta,agora querem mais camas e num hospital novo. Esse não é o "estado da arte" nos tempos que correm. O "estado da arte" aponta para o desenvolvimento de outras práticas ao nível do ambulatório, até já temos projectos premiados, em outros hospitais,no âmbito do internamento e acompanhamento no domicílio.
A assistência às populações, neste nosso caso até mais desfavorecidas, deve fazer-se com o recurso a práticas e equipamentos que permitam garantir qualidade nos cuidados que prestamos. E disso que precisamos e para isso temos que ter o contributo de muitos . Todos, com esse objectivo e missão somos sempre poucos, num trabalho conjunto com o poder local.

Comentário de Anónimo a 18 de Dezembro de 2016 às 17:25, AQUI.

publicado por Zé LG às 23:56
14
Dez 16

14619350_huSyM.gifO executivo da Câmara Municipal de Beja anuncia no seu site que Beja irá ter um “Museu da Banda Desenhada”, como se fosse algo já executado ou prestes a surgir, tendo sido amplamente divulgado em todos os meios de comunicação social regional. Perante tal notícia, há pouca informação. Como tal, pergunto:

- Quando? Prazos das obras? Inauguração?
- Onde? Em que edifício da câmara? Está pronto a usar ou irá ser reabilitado?
- Quanto? Custo? Fundos europeus? Estado? Orçamento da câmara?

Esta obra é para ser executada e terminada antes do atual mandato ou esta notícia é o arranque de promessas para constar no programa para as autárquicas de 2017?

Nem o tão falado Centro de Arqueologia e Artes de Beja, está em vias de conclusão, dado o atraso das obras no edifício e, segundo o executivo, as obras seriam para demorar 9 meses, tendo sido iniciadas em Outubro de 2015, ou seja, já vai com 5 meses de atraso.

publicado às 08:00, no Mais Beja.

publicado por Zé LG às 13:58
11
Dez 16

Será o Alvitrando o sitio certo para este tipo de combates?
De certeza que não.
O Alvitrando é apenas um blog, em que o seu mentor não apaga as mensagens polémicas, ao contrário de outros que por aí há.
Logo é natural que tenha muitos seguidores, mas não tantos que possa incomodar e fazer mossa em quer que seja.
Daí, que a sensação que me dá, é que se trata mais de um local de informação local e de desabafos, onde reúne um clube de poetas sobretudo da classe média urbana e da esquerda caviar, além de uns quantos revisionistas do passado.

Comentário de Anónimo a 11 de Dezembro de 2016 às 19:29, AQUI.

publicado por Zé LG às 23:51
Fevereiro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
25
26
27
28
Passaram por cá
"Contador de visitas">Contador de visitas
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
E ninguém põe mão nestes verdadeiros crimes urbaní...
Não tenho certezas nenhumas.A única que tenho é qu...
Como é que Vocês têm acesso a informação confidenc...
Se ele fizer na ULSBA o mesmo que tem feito na CIM...
Dinheiro bem gasto? Tem a certeza disso? Não havia...
Há sempre quem rapidamente se disponha a ir ao bei...
São estreantes que passam na cresap pelo reconheci...
Tanto dinheiro bem gasto e gerador de valor para a...
Não,não vai arder pode crer.Estao todos sem forças...
O Rocha vai preparar o comando da saúde.Viva a des...
Não se percebe a confusão do seu ponto de vista!.....
Não acredito!...Ou as ideias dentro do PCP estarão...
Neste dia é que o PCP vai anunciar Pos de mina com...
Parece que o circo vai continuar a arder e o Alvit...
"DOIS REGRESSOS E DUAS ESTRELAS".Os regressos sao...
blogs SAPO