Alvitrando
Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.
17
Mai 17

18519763_1933781586855392_3504932262394645048_n.jp

Helena Aguilar vai ser candidata à Câmara Municipal de Vidigueira, nas próximas eleições autárquicas de 1 de Outubro.
Rádio Vidigueira sabe que a atual vice-presidente da Câmara Municipal de Vidigueira vai avançar com uma candidatura independente nas próximas autárquicas.

 

publicado por Zé LG às 01:05
27
Abr 17

O presidente da concelhia de Almodôvar do PSD não poupa críticas à distrital de Beja do partido e aos Independentes por Almodôvar.

O compromisso entre a concelhia do PSD de Almodôvar e o movimento Independentes por Almodôvar (IPA) previa como cabeça de lista à Câmara António Sebastião (IPA), seguido de Fernando Palma (PSD) e Sílvia Batista (IPA).

Por decisão da distrital “laranja”, Fernando Palma, número dois da lista aprovada pela concelhia e pelo IPA, foi substituído por Ricardo Colaço, vereador do PSD, que estabeleceu um acordo com o PS no actual mandato.

O PSD de Almodôvar acusa os Independentes de aceitarem a proposta da distrital “traindo assim a confiança cimentada com a concelhia ao longo de mais de dois anos de diálogos e negociação”.

O presidente da concelhia de Almodôvar do PSD assegura que o caso foi denunciado aos órgãos nacionais do partido onde “impera o silêncio, a indiferença e a falta de consideração pelas estruturas de secção” e acusa a distrital de “violar grosseiramente os estatutos do PSD”.

A concelhia de Almodôvar do PSD diz-se “ferida na sua dignidade, ultrapassada e esvaziada de competências”. Nesse sentido, anuncia a “denúncia unilateral do referido acordo entre o PSD de Almodôvar e o IPA por violação do mesmo por parte dos Independentes”.

Ler AQUI e AQUI.

publicado por Zé LG às 12:45
21
Nov 15

mw-768.jpeg

 Retirado DAQUI.

Mesmo considerando que nenhum dos candidatos considerados na presente sondagem não desiste de se apresentar às eleições, estou convencido que Sampaio da Nóvoa passará à segunda volta, ganhará as eleições de 24 de Janeiro e será o próximo Presidente da República Portuguesa.

Esta minha convicção assenta nas qualidades do candidato, que nos debates o confirmarão como o que tem melhores condições para assumir a PR, e na conjuntura actual, que favorecerá a eleição de um candidato independente.

publicado por Zé LG às 00:17
31
Out 15

2015-10-31 021.jpg

Esta tarde, meia centena de apoiantes da Candidatura de Sampaio da Nóvoa à Presidência da República reuniram, em Beja, num Encontro Inter-Noncelhio para analisarem o trabalho desenvolvido e aprovarem a estrutura organizativa e um plano de iniciativas visando a promoção da candidatura no Distrito de Beja e concelhos alentejanos do Litoral do Alentejo.

2015-10-31 024.jpg

O Encontro, que teve muitas intervenções, realizou-se sob o signo da confiança na vitória desta candidatura independente e da cidadania e alcançou os objetivos previstos na sua convocatória.

publicado por Zé LG às 23:19
29
Out 15

segurança social.jpg

CONVITE
Encontro Regional de Apoiantes da Candidatura de Sampaio da Nóvoa.
Beja, Auditório da Casa da Cultura, Sábado, 31 de Outubro, às 15 horas.
“Traz um amigo também!”

publicado por Zé LG às 00:46
08
Out 15

thumbs.web.sapo.io.jpeg

Faz falta um presidente da República que não exclua ninguém. Sem preconceitos e sem tabus”, disse Sampaio da Nóvoa.
“A minha fronteira não é entre esquerda e direita. É entre aqueles que estão ao serviço da República e aqueles que dela se querem servir”, acrescentou.

publicado por Zé LG às 19:11
29
Abr 15

Apresentacao-candidatura-Sampaio-da-Novoa-fotoManu

Foto: Manuel de Almeida/Lusa


António Sampaio da Nóvoa confirmou esta quarta-feira no Teatro da Trindade, em Lisboa, que é candidato presidencial em 2016.
O professor universitário, de 61 anos, promete, se chegar ao cargo de Presidente da República, unir todos os portugueses e estar no cargo com uma “absoluta determinação e liberdade, total independência, com isenção”.
No momento mais aplaudido da tarde acrescentou que, em Belém, não será “espectador impávido perante a degradação da nossa vida pública”, naquela que parece uma crítica clara à actuação de Cavaco Silva.
“Não permitirei, nunca, que o interesse do país seja dominado por grupos de pressão, por corporações ou por interesses ilegítimos. Sejam eles quais forem”, acrescentou. “Não me resignarei perante a destruição do Estado Social”.
“Juntos vamos conseguir mudar Portugal. Temos que ser maiores do que os nossos problemas. Porque só os vencidos tombam no chão do medo. Vamos a isto que já se faz tarde, Viva a República, viva a Liberdade, Viva Portugal”.

 

Dos candidatos anunciados até agora este é sem dúvida o meu preferido. Se Carvalho da Silva não se candidatar, Sampaio da Nóvoa poderá, em princípio, contar com o meu apoio.

 

publicado por Zé LG às 23:36
11
Jun 14

Os promotores do Manifesto 3D vêm dar conhecimento aos subscritores das conclusões que extraíram das reuniões realizadas em Coimbra, Lisboa e Porto nos dias 9, 10 e 11 de Abril passado com grupos de subscritores e das decisões daí decorrentes sobre o futuro do Manifesto 3D.

Aos subscritores presentes nas reuniões foi previamente distribuído um documento de reflexão (”Encontros de subscritores do Manifesto 3D – Notas para a discussão“) do qual constava uma análise da situação política, um balanço das ações do M3D (nomeadamente da sua tentativa de promover uma candidatura comum de esquerda às eleições europeias) e um capítulo de reflexão sobre o futuro onde eram colocadas várias questões que poderiam enquadrar a discussão.

É o seguinte o balanço que fazemos destas reuniões de subscritores:

  • A generalidade dos subscritores presentes reafirmou de forma clara que consideram fundamental a constituição de um polo aglutinador de esquerda, representativo e forte, que não seja apenas uma força de oposição às políticas de austeridade mas possa contribuir para a construção de uma alternativa real de governação 
  • A maioria dos presentes defendeu a transformação do M3D numa plataforma de intervenção política mais ativa, sem que houvesse porém consenso quanto ao formato dessa plataforma, sendo a criação a curto prazo de um novo partido político defendida por uma minoria de subscritores

Considerando o resultado da sua ação até aqui e os sentimentos e as razões expostos pelos subscritores, os promotores do M3D reunidos em 7 de Junho de 2014 decidiram: 

1. Não considerar a transformação do Manifesto 3D numa organização política, qualquer que seja o seu estatuto e objetivo, por considerar que o texto do Manifesto 3D, já assinado por mais de 5.400 subscritores, não legitima de forma inequívoca essa transformação.

2. Pôr termo à sua atividade enquanto Comissão Promotora e a qualquer forma de intervenção pública em nome do Manifesto 3D.

3. Reafirmar a necessidade da construção de um polo de esquerda que saiba somar à oposição à austeridade a vontade de participar na governação e na resolução responsável dos problemas do país.

Posto isto, e considerando em particular o resultado das recentes eleições europeias, onde foi expressa de forma clara a rejeição dos partidos do atual Governo, a reduzida confiança na alternativa representada pelo Partido Socialista, uma crescente desvinculação do atual sistema político por parte dos eleitores e a procura por muitos cidadãos de novas formas de intervenção no plano cívico e político-partidário, estamos convictos de que:

  • os resultados das eleições para o Parlamento Europeu demonstraram que a proposta do M3D de uma candidatura às eleições europeias que reunisse numa base programática comum o Bloco de Esquerda, o partido Livre, a Renovação Comunista, o M3D e outras organizações políticas, movimentos e pessoas fazia sentido, era oportuna e era possível 
  • existe um número muito significativo de cidadãos empenhados na construção de uma solução governativa à esquerda que compreendem a necessidade e sentem a urgência de construir um terreno comum onde seja possível o entendimento entre diferentes forças de esquerda e veem com desencanto e desagrado a recusa da procura desse entendimento 
  • existe um número importante de cidadãos à esquerda que considera necessária uma reconfiguração do atual panorama político-partidário que possa dar origem a esse entendimento entre forças de esquerda capaz de produzir uma solução governativa 
  • a proposta de entendimento à esquerda que foi lançada pelo M3D deixou sementes positivas no debate político que germinarão em novas iniciativas

Assim, enquanto promotores do Manifesto 3D, reafirmamos a nossa determinação na construção de uma alternativa de governação à esquerda e o nosso empenho na construção dos instrumentos que possam corporizar essa alternativa. No entanto, as futuras iniciativas que venham a materializar-se nesse sentido, ainda que beneficiem da herança e do capital de experiência recolhido pelo M3D, não se realizarão sob essa designação.

Os promotores do Manifesto 3D reunidos em 7 de Junho de 2014

publicado por Zé LG às 23:52
29
Jan 14

Todas as organizações manifestaram disponibilidade para discutir com o 3D e as reuniões decorreram num ambiente de discussão aberta.

Apesar da concordância de princípio com a necessidade da convergência nesta área política e com as questões programáticas essenciais constantes no Manifesto 3D, expressa por todos os interlocutores, não foi possível encontrar uma solução inclusiva que se traduzisse numa plataforma eleitoral comum a concretizar já nas próximas eleições europeias e que correspondesse aos objectivos do Manifesto 3 D.

Os promotores do Manifesto 3D reafirmam o seu empenhamento na construção de uma alternativa governativa assente na dignidade, na democracia e no desenvolvimento de Portugal, estando prontos para prosseguir este combate com todas as forças políticas que o queiram assumir. 

Nos próximos meses serão promovidos encontros em vários pontos do país com os subscritores do manifesto, abertos a todos os cidadãos e cidadãs que se revejam nos seus propósitos, tendo em vista dar conta do processo iniciado pelo lançamento do Manifesto 3D e debater os desenvolvimentos futuros desta iniciativa, a culminar numa assembleia de subscritores.

Parte final de comunicado do 3D relativo aos contactos com BE, RC e Livre.

publicado por Zé LG às 13:50
14
Jan 14

O tribunal de Estremoz condenou Luís Mourinha, presidente da Câmara Municipal de Estremoz, pelo crime de difamação na forma de publicidade e calúnia contra Eduardo Basso, tendo de pagar 160 dias de multa (1280 euros), custas judiciais e uma indemnização de 3.500 euros. 

O caso foi despoletado pelos cortes de subsídios do município de Estremoz à Liga dos Amigos do Castelo de Evoramonte (Lace) e remonta a 3 Novembro de 2010.

Nesta data já as trocas de acusações estre os dois dirigentes eram conhecidas, sobretudo no meio político local, e Luís Mourinha, no decorrer de uma reunião do executivo camarário, afirmou não distinguir “o Eduardo Basso do socialista, do director do jornal 'Ecos', do presidente da Lace, pois, para mim, é a mesma pessoa”. 

O autarca disse também que Eduardo Basso devia “95 mil euros às finanças” e, desta forma, colocou em causa o destino do subsídio atribuído pela câmara à Lace. “Não sei se o dinheiro que nós damos à instituição vai parar às finanças ou não”, duvidou. (aqui)

A Cinco Tons

publicado por Zé LG às 23:58
09
Jan 14

Os promotores iniciais do manifesto 3D reuniram, pela primeira vez, no último fim-de-semana, para eleger a comissão coordenadora que dará continuidade aos esforços iniciados com a divulgação do “Manifesto pela Dignidade, pela Democracia e pelo Desenvolvimento: Defender Portugal” e que, em apenas três semanas, já recolheu mais de cinco mil subscrições.

Por decisão tomada pelos promotores do manifesto, a comissão coordenadora eleita formalizará esta semana uma proposta dirigida à direcção do Bloco de Esquerda, à Comissão Instaladora do LIVRE e à Direcção da Associação Renovação Comunista para a constituição de uma candidatura convergente e mobilizadora às eleições europeias.

Esta candidatura deve ir muito além dos partidos e movimentos referidos. Deve estar aberta a todos os cidadãos e movimentos e organizações políticas e sociais que se revejam nos seus propósitos e que queiram defender em Bruxelas uma inflexão da política europeia que se traduza no abandono das políticas de austeridade e na adopção de políticas solidárias e de apoio ao desenvolvimento à escala europeia. Contrariando assim a actual orientação da União Europeia, que tem vindo a transformar-se em troika permanente, num espaço não-democrático, baseado na relação desigual entre ricos e pobres, credores e devedores, mandantes e mandados.

Por parte do Manifesto 3D, existe total abertura para encontrar a solução que mais favoreça uma candidatura convergente o mais ampla possível. O seu propósito é promover convergência tendo em vista dar resposta aos problemas do país e não acrescentar mais divisão entre aqueles que se opõem à estratégia da troika e da actual governação.

Esta candidatura às eleições europeias pretende apenas ser o primeiro passo para a construção de um projecto de governação alternativo à estratégia da troika e da actual maioria. A construção dessa alternativa deve tirar partido dos esforços já desenvolvidos e possibilitar a elaboração de uma base de programa de governação, tendo em vista as próximas eleições legislativas.

O Manifesto 3D realizará a primeira assembleia nacional de subscritores no início de Fevereiro.

A Comissão Coordenadora

António Avelãs, Daniel Oliveira, Eduardo Pinto Pereira, Guadalupe Simões, Henrique Sousa, Isabel do Carmo, João Almeida, José Castro Caldas, José Reis, José Vítor Malheiros, Manuel Coelho, Ricardo Paes Mamede e Rui Feijó

 

www.manifesto3d.pt

publicado por Zé LG às 23:25
18
Dez 13

Manifesto
É tempo de defender Portugal de resgates que o empobrecem, desesperam e põem em perigo a liberdade e a democracia. É tempo de recusar a submissão passiva de Portugal a uma União Europeia transformada em troika permanente. Precisamos duma alternativa política que dê força e sentido prático à resistência e ao protesto. Os portugueses precisam de uma maioria para governar em nome da dignidade, da democracia e do desenvolvimento. É tempo de juntar forças.
É possível uma alternativa política aos resgates e à austeridade e há, para isso, um programa político claro e com entendimentos abrangentes. O tempo urge e os apelos à unidade devem ter consequências. Para impulsionar a construção desta maioria democrática, as forças políticas, movimentos e pessoas que já hoje podem e querem convergir não têm de esperar por entendimentos entre toda a oposição democrática. Têm de dar passos que favoreçam a acção conjunta, desde já, no plano político e eleitoral.
As bases programáticas da convergência já existem. A prioridade é o respeito pela democracia e pela Constituição, impedindo que os interesses da finança se sobreponham aos direitos dos cidadãos. Estamos de acordo quanto à necessidade de pôr travão à austeridade e renegociar a dívida. De impedir o sufoco de novos resgates e memorandos, com esse ou outro nome. De devolver dignidade ao trabalho, começando por actualizar o salário mínimo e garantir a negociação colectiva. De combater as injustiças na distribuição do rendimento e da riqueza, moralizando o sistema fiscal. De erradicar a pobreza. De reafirmar que a saúde, a educação e as pensões não são mercadorias e que o Estado Social não está à venda. De preservar o carácter público da água, dos serviços postais e dos transportes colectivos.
Também convergimos na vontade de impedir que a União Europeia seja um espaço não-democrático, baseado na relação desigual entre ricos e pobres, credores e devedores, mandantes e mandados. Na necessidade de defender Portugal das exigências de um tratado orçamental, que impõe o empobrecimento, a dependência e o declínio.
A nossa proposta é clara:
desenvolver um movimento político amplo que no imediato sustente uma candidatura convergente a submeter a sufrágio nas próximas eleições para o Parlamento Europeu.
Defendemos a constituição de uma lista credível e mobilizadora, que envolva partidos, associações políticas, movimentos e pessoas que têm manifestado inquietação, discutido alternativas e proposto acção.
Temos como objectivo construir um movimento político que seja o mais amplo possível. Uma plataforma abrangente e ao mesmo tempo clara é realizável a partir das bases programáticas que enunciámos. Ela deve ser levada a sufrágio para lhe dar voz e força. Enquanto cidadãos e cidadãs sem filiação partidária, mas nem por isso menos empenhados e politicamente ativos, estamos prontos a fazer a nossa parte.

Subscrever o Manifesto 3D aqui
Ver lista de promotores do Manifesto 3D
Ver lista de subscritores do Manifesto 3D

publicado por Zé LG às 08:58
24
Out 13

O PS chegou a acordo com o PSD e a CDU para a governação da Câmara Municipal de Sintra.

Assim,  aos 4 deputados eleitos pelo PS, liderados por Basílio Horta, juntar-se-ão dois eleitos pelo PSD e um eleito pela CDU formando uma maioria de 7 vereadores contra 4 da lista independente de Marco Almeida.

In: http://www.eleicoesautarquicas.pt/2013/10/ps-chega-a-acordo-com-psd-e-cdu-em-sintra/

publicado por Zé LG às 00:14
30
Set 13


São Matias vai ficar na história do Poder Local por ter sido a primeira a ser ganha por uma lista do movimento independente e plural "Por Beja com Todos", encabeçada por Leonel Rato.

Depois de há uns mandatos atrás já ter concorrido uma outra candidatura indepentente, sem sucesso, eis que se criaram as condições para a população de São Matias confiar, em maioria absoluta, o seu voto a uma candidatura independente e plural.
publicado por Zé LG às 23:53
13
Set 13

“Em choque” foi assim que João Grilo  recebeu a notificação do Tribunal Constitucional a inviabilizar a sua recandidatura à Câmara de Alandroal pelo MUDA.

A decisão do tribunal está relacionada com alegadas irregularidades no processo de recolha de assinaturas e diz respeito a um recurso apresentado pelo anterior presidente, João Nabais, que se candidata por um movimento independente.

“Recebemos esta notícia em choque, como seria de esperar”, afirmou João Grilo à DianaFm, referindo que “nada levava a supor que isto pudesse acontecer”.

Frisou que a candidatura foi “constituída como há quatro anos e como fazem outros movimento em concelhos vizinhos”.

“Fizemos um processo de recolha de assinaturas perfeitamente transparente e de formalização da candidatura que envolveu três vezes mais pessoas do que as que são necessárias” acrescentou.

João Grilo adiantou que ainda hoje vai apresentar um reclamação junto do Tribunal de Constitucional. (aqui)

A Cinco Tons

publicado por Zé LG às 08:49
09
Set 13

A concelhia de Almodôvar do PS retirou a confiança política ao vereador João Saleiro e sugere que o eleito na Câmara de Almodôvar “apresente de imediato a demissão do cargo que ocupa”, por o mesmo integrar a lista de candidatos do Movimento “Independentes por Almodôvar” às eleições autárquicas de 29 de Setembro.

In: http://www.radiopax.com/index.php?go=noticias&id=1865

publicado por Zé LG às 19:36
06
Set 13

Dos 85 candidatos independentes a câmara municipais do país, 14 candidatam-se a 11 câmara municipais do Alentejo.

 

Distrito de Beja

Almodôvar - João António Palma (Independentes por Almodôvar)

Beja – José Lopes Guerreiro (Por Beja Com Todos)

Distrito de Évora

Alandroal – João Grilo (MUDA)

                 - João Nabais (DITA)

Borba – António Anselmo

Estremoz – Luís Mourinha (MIETZ)

Redondo – António José Recto

Vila Viçosa – Inácio Esperança

                    – Miguel Patacão

Distrito de Portalegre

Nisa – António Bichardo (MIMCOMNISA)

Portalegre – Adelaide Teixeira (CLIP)

Distrito de Setúbal (Litoral Alentejano)

Grândola – Aníbal Cordeiro (MIG)

                - António Candeias

Sines – Marisa Santos (SIM)

 

In: http://www.autarquicas2013.pt/candidatoslista?filter_21=Independente&limit=10&orderby=rdate

publicado por Zé LG às 23:03
10
Ago 13

Existem fases nas nossas vidas em que tudo aconselha a que nos resguardemos e dediquemos às nossas famílias e amigos, às nossas actividades profissionais e ao que nos dê mais prazer. Esta é uma dessas fases por que eu e outros amigos do "Por Beja Com Todos" estamos a passar. 

No entanto, entendemos que o estado a que o nosso concelho chegou convoca-nos a todos para fazermos o que estiver ao nosso alcance para relançar a esperança e o orgulho de ser e viver em Beja, ultrapassar as dificuldades com que a nossa Terra se confronta e construir um concelho melhor. 

É por isso e apenas por isso - por dever cívico -, que nos candidatamos, oferecendo uma alternativa aos tradicionais espaços de participação - os partidos - a todos os que querem exercer a sua cidadania activa, participando na construção de um concelho mais activo, participativo e amigo das pessoas, das empresas e do ambiente.

publicado por Zé LG às 23:43
05
Ago 13

O movimento independente e plural "Por Beja Com Todos" entrega esta manhã, às 11h30, no Tribunal de Beja, os processos das candidaturas aos órgãos do Município (Assembleia e Câmara Municipal), às duas Uniões das Freguesias da Cidade de Beja e às Freguesias de Baleizão, Neves e São Matias. 

Ao contrário dos partidos políticos, as candidaturas autárquicas apresentadas por grupos de cidadãos têm de ser acompanhadas por um elevado número de assinaturas de eleitores do respectivo território.

No caso das candidaturas aos órgãos do Município de Beja são necessárias 1449. O "Por Beja Com Todos", em cerca de mês e meio, recolheu cerca de 1 900, sendo que cerca de 350 não puderam ser validadas por não estarem completas (falta de número de BI/CC ou de eleitor) ou por a assinatura ter sido feita com impressão digital ou, ainda, pelos subscritores não estarem recenseados na área do Município.

In:

http://www.porbejacomtodos.org/2013/08/por-beja-com-todos-entrega-esta-manha.html

publicado por Zé LG às 08:56
29
Jul 13

O presidente da Câmara de Alcácer do Sal, Pedro Paredes, eleito pelo PS, anunciou hoje a desistência da sua recandidatura a um terceiro mandato, por um movimento independente, nas próximas autárquicas, alegando dificuldades no processo.
“A lei complica demasiadamente as candidaturas independentes, que na prática são prejudicadas em relação às que são sustentadas pelos partidos. Não conseguimos ultrapassar esses problemas de arranque, pelo que a minha candidatura não avança”, justificou o autarca em resposta escrita à agência Lusa.

In: http://www.regiao-sul.pt/noticia.php?refnoticia=138232&origin=dossier&refdossier=40&titledossier=Aut%E1rquicas+2013

publicado por Zé LG às 18:19
Maio 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
29
30
31
Passaram por cá
"Contador de visitas">Contador de visitas
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
A misoginia assinalada num site atento e destinado...
Yeeeeees, boa notícia. O Paulo Barbosa, médico Int...
E a dondoca da associação dos empresários onde and...
Nota: Estes considerandos finais não visam ninguém...
Moura está no papo do PS.
Subida ou descida, tanto faz. Embora no caso, seja...
Não me digas que são "algumas mulheres" que influe...
Agora é altura de se falar tudo e é natural que as...
Até o Capoulas disse em público que o Pedro do Car...
As consequências estão à vista todos os dias e em ...
O mesmo acontece com a subida .Cada um sobe as esc...
A estratégia eleitoral definida em 2015 pela Feder...
Cada um (ou uma) desce as escadas como bem entende...
Não se percebe de forma alguma a sua atitude. Quem...
A questão não é se a população de Beja sabe o que ...
blogs SAPO