Alvitrando
Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.
16
Out 17

A inclusão - e neste caso a inclusão escolar - já entrou no discurso político. Ainda bem, porque isso significa que ela é um anseio não só das famílias atingidas mas também da maioria das pessoas. Infelizmente, ao discurso só muito raramente se verifica o seu fomento na prática.

Exemplo disso é o que mais uma vez está a acontecer com os apoios aos alunos com necessidades especiais de educação. Estamos em meados de Outubro, um mês decorrido sobre o início do ano lectivo, e os terapeutas ainda não foram colocados, continuando os alunos sem os apoios de que tanto carecem para o necessário desenvolvimento e consequente inclusão. E as notícias que começam a surgir, como se nada de grave estivesse a acontecer, lançam as piores ameaças sobre as crianças e suas famílias, deixando-os sem rede. Nos casos que conheço directamente, os tempos dos terapeutas foram reduzidos em 50%. Uma criança que tinha dois tempos de fisioterapia e dois tempos de terapia da fala passa a ter apenas um tempo de cada terapia. E isto depois de já terem sido bastante reduzidos os tempos nos anos anteriores. 

Enquanto a aposta na inclusão for encarada como despesa em vez de investimento, estes cortes na educação inclusiva vão continuar a ser feitos para contribuirem para a redução do défice e ficamos todos a perder. 

E perante estas medidas o que fez o Conselho Municipal de Educação? Assiste, na bancada, considerando que se trata de um assunto que não lhe diz respeito? Esperemos que passe a ter um papel mais interventivo no acompanhamento da educação e na procura de soluções para os problemas existentes.

publicado por Zé LG às 23:03
25
Set 17

21686131_1719436378098791_2488651647304035243_n.jp

publicado por Zé LG às 13:41
21
Set 17

Segundo me informaram, foi constituída uma turma do 1º ciclo só por alunos ciganos, a funcionar no edifício do 2ª ciclo de uma escola e com horários desfasados das outras turmas... Admitindo que seja correcta  a informação, parece-me uma situação inadmissível, para não dizer mais nada...

Atendendo à gravidade da situação criada, confirmando-se a sua veracidade, espero que os responsáveis a alterem rapidamente, porque não é criando guetos que se constrói uma escola inclusiva.

Sei quanto é difícil lidar com a diferença, mas também sei quanto é enriquecedora essa viência. Se não for a escola a fomentar a inclusão quem a fará? Tanta e tão justificada preocupação com a preparação dos alunos para a defesa do ambiente, da criação de hábitos de alimentação saudável e outros temas e depois trata-se desta forma a inclusão...

Independentemente da situação em concreto, parece-me que esta é uma questão que deve merecer a mais ampla discussão, porque está em causa a formação das novas gerações, que queremos melhores do que as nossas.

publicado por Zé LG às 08:53
22
Ago 17

356.JPG

129.JPG

"O espectáculo que foi levado, em Macau, ao Palco do Festival da Lusofonia em 2016, pelo Macau Artfusion e pelo Grupo de Danças e Cantares Portugueses - Macau no Coração, renasceu desta vez em Portugal neste projecto, trazendo não só uma mensagem de Amor, mas também de Inclusão."

O espectáculo, que culminou o projecto que provocou todos os dias um turbilhão de emoções, realizou-se no Domingo à noite, na Sala de Espectáculos do Casino de Troia. Obrigado, Pais-em-Rede! Obrigado, Artfusion! Por trabalharem para um mundo melhor, diverso, igualitário e sem preconceitos, com crianças, homens e mulheres felizes e realizados!

publicado por Zé LG às 02:12
19
Ago 17

PAIS EM REDE é um movimento cívico, de âmbito nacional, composto por “famílias especiais” e por cidadãos solidários, cuja função é constituir-se em parceiro social, capaz de unir vozes para comunicar, discutir, organizar e propor soluções, e, em consequência, mudar as mentalidades, na mira de uma progressiva qualidade de vida das pessoas com incapacidades e das suas famílias. Uma das dificuldades dos pais com crianças especiais é encontrar programas de verão capazes de responder aos desafios que levantam estas crianças.

o_article_65342.jpg

Para este efeito desenvolveram um projeto de inclusão social em Grândola, em colaboração duas escolas artísticas de Macau, a Macau ArtFusion e a Macau no Coração, lideradas por Laura Nyogeri, artista natural de Grândola a viver em Macau, pelo município de Grândola, pela Junta de Freguesia de Grândola e Santa Margarida da Serra e pelo Casino de Tróia, para "colmatar as falhas existentes no apoio às crianças com deficiência durante as férias de verão no litoral alentejano" e que incluiu workshops de dança, música e artes plásticas, passeios e idas à praia.

O resultado deste trabalho vai ser apresentado no próximo dia 20 de agosto, no palco do Casino de Tróia, com um espectáculo inspirada na obra ‘A Maior Flor do Mundo’, de José Saramago, conta com a participação de 50 crianças e as receitas obtidas reverterão para a Associação Pais em Rede. Os bilhetes podem ser adquiridos no site da ‘Ticketline’, na Fnac, na Worten ou no Casino de Tróia.

Imagem de capa de mundoportugues.org

publicado por Zé LG às 21:00
08
Ago 17

 

0001 (3).jpg

A Distrital de Beja do Bloco de Esquerda manifesta “preocupação face aos atos de discriminação contra a comunidade cigana” no Alentejo.

O BE sublinha que é com enorme “preocupação” que “tomou conhecimento da notificação enviada pela Câmara Municipal de Beja, assinada pelo seu Presidente João Rocha, às dezenas de famílias residentes no acampamento junto ao parque nómada, intimando-as a levantarem as tendas até 10 de Agosto, sob pena de execução coerciva, numa ameaça pouco velada de intervenção policial”.

O BE “apela em tempo útil à Câmara de Beja para que suspenda estas notificações e a ação executiva marcada para 10 de Agosto”.

publicado por Zé LG às 08:51
28
Jul 17

270720171749-259-CmaradeMoura.jpg

A Câmara Municipal de Moura e a Subcomissão de Coordenação Regional do Alentejo para o Sistema Nacional de Intervenção Precoce na Infância assinam hoje um protocolo de colaboração.

A intervenção precoce é dirigida a crianças até aos 6 anos de idade, “com alterações ou em risco de apresentar alterações nas estruturas ou funções do corpo”.

O Sistema tem como missão garantir a Intervenção Precoce na Infância através de um conjunto de medidas de apoio integrado centradas na criança e na família.  As acções desenvolvidas situam-se na prevenção  e reabilitação.

publicado por Zé LG às 08:48
08
Jul 17

Projeto de autonomia e flexibilidade curricular dos ensinos básico e secundário

Foi publicado o Despacho n.º 5908/2017, de 5 de julho, que autoriza, em regime de experiência pedagógica, a implementação do projeto de autonomia e flexibilidade curricular dos ensinos básico e secundário, no ano escolar de 2017-2018

Dos princípios orientadores, consta que a conceção, operacionalização e avaliação das aprendizagens do currículo dos ensinos básico e secundário, no âmbito do presente projeto, subordinam-se, entre outros, à garantia de uma escola inclusiva, cuja diversidade, flexibilidade, inovação e personalização respondem à heterogeneidade dos alunos, eliminando obstáculos de acesso ao currículo e às aprendizagens, adequando estas ao perfil dos alunos. 

 

publicado por Zé LG às 20:25
27
Jun 17

Amigo José Lopes Guerreiro. O que descreve de forma tão sucinta e sábia é um Drama Nacional, para todos os que por um ou outro motivo precisam do apoio diário e às vezes permanente para toda a vida: Incluem-se neste grupo, muito heterogéneo outras pessoas que em virtude de problemas psíquicos graves a sociedade os não aceita no seu seio. Até agora esse drama só tem sido vivido por aqueles que são os progenitores e familiares próximos. É difícil imaginar o sofrimento diário daqueles que se encontram nestas situações, é difícil imaginar as soluções que procuram no dia a dia para que no futuro os seus filhos continuem a ser protegidos, acarinhados e acompanhados. E, embora este seja um problema de sobrevivência humana continua sem resposta.

publicado por Zé LG às 08:48
24
Mai 17

18485346_1889700574630268_5711276334658465132_n -

publicado por Zé LG às 13:50
24
Mai 17

convite parquenovo.jpg

publicado por Zé LG às 12:43
03
Mai 17

020520171613-528-Incluso.jpg

Realizam-se, hoje e no dia 17 deste mês, as ações do Ciclo de Palestras sobre a “Inclusão” promovido pela Agrupamento de Escolas de Odemira, Colégio Nossa Senhora da Graça de Vila Nova de Milfontes e APCO – Associação de Paralisia Cerebral de Odemira, com o apoio da autarquia odemirense. 

A Sede do Agrupamento de Escolas de S. Teotónio recebe hoje, pelas 17.30 horas, a palestra com o tema “Uma Escola para Todos: Promover a inclusão na relação com a comunidade”, com a participação de Félix Bonãno, atual diretor do Colégio Cesário Verde.

No dia 17, pelas 17.30 horas, na Escola Secundária Dr. Manuel Candeias Gonçalves, em Odemira, decorrerá a palestra “A perturbação do espetro do autismo na escola”, com a participação de Evelina Brígido, coordenadora do Grupo de Estudo da Perturbação do Espetro do Autismo na Appt21 / Centro de Desenvolvimento infantil Diferenças. 

publicado por Zé LG às 12:42
09
Abr 17

Beja recebeu no último fim de semana o III Encontro de Famílias Dravet, uma iniciativa de âmbito nacional que teve a sua primeira edição em 2015, com o objetivo “de promover o convívio entre famílias, o acolhimento aos que ainda não se conheciam e o encontro entre as crianças” com a síndrome rara, classificada como “uma encefalopatia epilética de origem genética, grave, resistente ao tratamento”, que se manifesta no primeiro ano de vida “com o surgimento das primeiras convulsões”. O número de convulsões “pode variar muito de criança para criança e cerca de 15 por cento morrem antes de chegarem à adolescência”.

274.JPG

Neste terceiro encontro, que foi organizado pelas famílias de Beja, foi introduzida a componente de informação/formação, explica ao “Diário do Alentejo” Sofia Monteiro, mãe de um menino com Dravet e uma das organizadoras do evento. “Tivemos palestras com informação atualizada e muito importante para nós”, diz, adiantando que o encontro “correu muito bem”, sendo que estes eventos “implicam uma logística enorme”, como, por exemplo, “hospital e INEM de prevenção” e “um grupo de pessoas com capacidade de reconhecer e lidar com uma convulsão, para acompanhar as crianças nas suas atividades”. O encontro contou com o apoio de várias entidades e voluntários, frisa a organizadora.
A finalizar, Sofia Monteiro salienta que “para além das dificuldades que advêm de uma doença desta natureza que implicam uma vigilância de 24/24 horas, com consequências enormes na qualidade de vida da família”, há outras que estão relacionadas “com a inclusão das pessoas com Dravet na vida diária”: “É preciso que a vida escolar das crianças e jovens com Dravet seja enriquecida; que passem a integrar as turmas às quais pertencem em vez de ficarem remetidos às unidades de apoio à multideficiência; que sejam encarados como pessoas capazes de escolher, de aprender e de se desenvolver; que frequentem campos de férias com os seus pares; que estejam inseridos em atividades desportivas, de lazer e de cultura; que adquiram competências e saberes nas comunidades em que estão e que sejam acolhidos como membros dessa comunidade como efetivamente o são”, diz. 
No distrito de Beja são quatro os casos conhecidos, “três dos quais na cidade, uma frequência demasiado alta para a nossa dimensão”, frisa Sofia Monteiro. “É importante referir que estamos a falar de uma doença rara, com uma incidência estimada de 1/22 000 pessoas”.

NP, in Diário do Alentejo: Foto ZéLG 

publicado por Zé LG às 11:51
04
Abr 17

20346350_gYSRy.jpeg

Mais um ano, e mais uma vez é necessário preencher o IRS. Como é habitual, é possível consignar 0,5% do IRS, sem qualquer prejuízo para o contribuinte, do imposto devido. Esta percentagem, em vez de ir para o Estado, vai para uma instituição, à escolha do contribuinte. Este ano e pela primeira vez, é possível doar a instituições que apoiam a cultura. No caso da cidade de Beja, existe apenas uma, o Coro da Câmara de Beja.

Assim, se quer apoiar uma das 13 instituições da cidade de Beja, é só adicionar o respetivo NIF e selecionar a opção no local específico do IRS (folha de rosto Modelo 3, no quadro número 11):

· ASSOC HUMANITARIA DOS BOMBEIROS VOLUNTARIOS DE BEJA – 501072357

· ASSOCIAÇÃO RECOLHER E DAR BANCO ALIMENTAR DE BEJA – 508608260

· CARITAS DIOCESANA DE BEJA – 500918449

· CASA DO ESTUDANTE – 500779040

· CENTRO DE PARALISIA CEREBRAL DE BEJA – 501396578

· CENTRO INFANTIL CORONEL SOUSA TAVARES – 501400664

· CENTRO SOCIAL NOSSA SENHORA DA GRAÇA – 502976683

· CERCIBEJA COOP EDUCACAO E REABILITACAO DE CIDADÃOS INADAPTADOS BEJA CRL – 500807914

· CORO DE CÂMARA DE BEJA – 501649263

· FUNDAÇÃO DE SOLIDARIEDADE SOCIAL LAR E CENTRO DE DIA NOBRE FREIRE – 500876576

· FUNDACAO MANUEL GERARDO DE SOUSA E CASTRO – 500875030

. FUNDAÇÃO JOAQUIM HONÓRIO RAPOSO - 501 065 997 (acrescentei eu)

· LIGA DOS AMIGOS DO HOSPITAL DE BEJA – 503474592 

· SANTA CASA DA MISERICORDIA DE BEJA – 501607064

A lista completa, pode ser consultada no Portal das Finanças.

Copiado do Mais Beja.

publicado por Zé LG às 00:08
02
Abr 17

beja.jpg

publicado por Zé LG às 23:57
02
Abr 17

160320151724-480-linguagemgestual.jpg

O Agrupamento n.º 2 de Beja, constituído pelos estabelecimentos de ensino: D. Manuel I e Mário Beirão, desenvolveu uma aplicação móvel, que permite à comunidade surda da cidade aceder aos serviços de emergência, como a GNR, a PSP, os bombeiros e a proteção civil. 

A aplicação contempla ícones pré-definidos para várias entidades, sem necessidade de recorrer à voz e é apresentada na segunda-feira, dia 3 de abril, às 10.30 horas, no Centro Social do Lidador. O evento conta com a presença das entidades parceiras no projeto, nomeadamente a Câmara Municipal de Beja, a GNR, a PSP, os bombeiros, a proteção civil, o Instituto Politécnico de Beja e Agrupamento de Escolas n.º 2 de Beja.

publicado por Zé LG às 10:30
29
Mar 17

11A285ACF9C7442B874E5F8A1780A020.png

publicado por Zé LG às 18:43
06
Mar 17

030320171028-488-ForumIncluso.jpg

Fomentar a discussão e reflexão em relação à inclusão social, que deve começar na educação, passando pelas diferentes estratégias e práticas decorrentes das diversas profissões e intervenções é o principal objectivo deste encontro.

“Educar para a Inclusão”, “Inclusão Social e Prevenção da Violência”, “Educar para a Diferença” e “Intervenção em Rede” são os temas dos quatro painéis que fazem parte do encontro. Os trabalhos, que vão contar com a presenças de vários especialistas na área, decorrem entre as 9.00 e as 17.00 horas.

publicado por Zé LG às 00:32
02
Mar 17

Bruno-Martins_1-360x360.jpg

"As pessoas com deficiência constituem a maior minoria no mundo e em Portugal. Falamos de pessoas que se veem constantemente privadas de escolher onde viver, com quem viver, o que comer, o que vestir, com quem sair ou o que fazer com o seu tempo livre. Pessoas que não são donas da sua vida, que apenas encontram nas instituições particulares uma resposta, que culmina na inevitável institucionalização. O Estado há muito delegou nestas instituições um papel que deveria ser seu: o de proteger e garantir os direitos constitucionais a estes cidadãos e cidadãs.

Ainda que muitas instituições tenham um papel meritório, a necessidade de outro tipo de respostas é urgente. Um dos aspectos mais prementes é a possibilidade das pessoas com deficiência poderem contratar assistentes pessoais que lhes garantam a possibilidade de viver em verdadeira liberdade."

Trecho de uma crónica de Bruno Martins na radio diana, que pode ler AQUI.

publicado por Zé LG às 00:22
25
Fev 17

200220170921-533-rampapenedo.jpg

 

200220170921-703-rampasnerbe.jpgNa sequência de outras intervenções semelhantes, realizadas recentemente na Rua José Joaquim Fernandes (Penedo Gordo), na Rua de Olivença e junto ao Centro Comercial do Carmo, conforme as fotos documentam, a Junta de Freguesia iniciou a construção de uma rampa na Rua Cidade de S. Paulo para facilitar o acesso à Praceta do NERBE a pessoas com mobilidade reduzida. Esta rampa, e outras intervenções previstas para a área envolvente ao Centro de Paralisia Cerebral de Beja (CPCB) estão integradas no Projeto Por um Bairro Melhor e, servindo a população em geral, têm como alvo muito especifico criar condições que permitam a utentes desta instituição, com alguma autonomia, o acesso a espaços e lugares públicos que sem estas intervenções lhes continuariam a estar vedados.

140220171149-125-rampa.jpg

publicado por Zé LG às 23:55
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
Passaram por cá
Contador de visitas

Desde 15.01.2011
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Tanto fel ou será ressabiamento de quem não deixou...
Ao triste anónimo das 13:49h. Ou nao me conhece ou...
Não é só a voz do Dr.Frade que se silencia.O silên...
Em Beja, só não fecham três tipos de empresas: caf...
Mal entendido essa Joia da coroa?Esse oportunista ...
É o que dá apostar no cavalo errado. lool
Não se faça de mal-entendido.
Mas qual vingança qual quê? Eu sou lá de vinganças...
O Dr. Frade retirou-se da arena política, será por...
É um nojo ver que os “novos” herdam as vinganças d...
Dá-lhe gozo colaborar com a vingança?
Eis o resultado das politicas de esquerda. Viva a ...
Faz de conta que adivinhi
A "ANINHAS" desconhece.Não "COMPLIKE" a inteligênc...
Que parvoice tão grande, deita-se a adivinhar e nã...
blogs SAPO