Alvitrando
Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.
05
Set 17

... meti mãos à obra e limpei as linhas de água e os sumidouros...

044.JPG

047.JPG

publicado por Zé LG às 00:34
31
Ago 17

Centro Histórico de Beja: Decrépito, prédios a ruir e cheio de carros

CH Beja.jpeg

Será necessário criar um “gabinete” do centro histórico para saber, definir e criar um programa de requalificação de todo o centro histórico?
Um dos problemas de falta de reaproximação dos bejenses à cidadeé o desleixo e abandono a que tem sido submetido o centro histórico, baixando a autoestima e o carinho de quem cá vive tem pela cidade. Alguns projetos têm sido desenvolvidos, mas são casos pontuais, que não chegam para mudar a "cara" da zona antiga da cidade. Para tal, é fundamental um plano vigoroso e vasto de reabilitação e recuperação do centro histórico, e aproveitar o facto do turismo e o Alentejo estarem na “moda”, tornando-se ano após ano um dos grandes postais turísticos nacionais.

 

publicado por Zé LG às 08:43
21
Ago 17

369.JPG

Praticamente todas as semanas, como já referi noutras vezes, têm sido remendadas roturas na rede de água desta rua, surgindo novas roturas logo a seguir. Certamente que o que é necessário fazer é uma reparação na rede, mas a EMAS insiste em remendar... e quem paga a água desperdiçada é o Zé Consumidor... e como se isso não bastasse, paga também as tarifas de tratamento de esgotos e de lixos que lhe são acrescentadas. 

Depois recomendam que poupemos água... E se dessem o exemplo?

publicado por Zé LG às 14:20
11
Ago 17

IMG_2701.JPG

IMG_2703.JPG

No início do ano, deixei aqui, à atenção da CMB, um alerta quanto à necessidade de reparar o pavimento da Rua Dr António Belard da Fonseca, onde se situam o Centro de Saúde e a Segurança Social, por ser uma das mais movimentadas e de forma a evitar danos pessoais e em viaturas. Oito meses depois - e parece que depois de alguns remendos -, o pavimento da referida rua encontra-se como mostram as fotografias. Manter em bom estado de utilização / circulação os arruamentos não será prioritário?

IMG_2702.JPG

publicado por Zé LG às 08:51
10
Ago 17

15561203_HAnWg.jpeg

Há quatro anos, quando nos candidatámos aos órgãos autárquicos do concelho de Beja, afirmámos:

É por isso e apenas por isso - por dever cívico -, que nos candidatamos, oferecendo uma alternativa aos tradicionais espaços de participação - os partidos - a todos os que querem exercer a sua cidadania activa, participando na construção de um concelho mais activo, participativo e amigo das pessoas, das empresas e do ambiente.

“Os bejenses democraticamente recusaram a alternativa que apresentámos. Preferiram mais do mesmo. Este ano, mesmo que quisessem, não têm alternativa. Vão ter mais do mesmo. Com algumas nuances, conforme a opção que fizerem, mas sempre mais do mesmo – uma gestão autárquica subordinada à lógica partidária.

Tal como há quatro anos, parece-me que o bipartidarismo como se tem manifestado – “o que eu defendo é bom o que tu queres não presta” -, prejudica o Concelho e mais ainda se quem ganhar as eleições obtiver maioria absoluta, o que dificilmente não acontecerá.

publicado por Zé LG às 18:02
26
Jul 17

20265098_1844398655587384_4447702591939927749_n.jpVamos encolher os ombros?

Escreve Bruno Ferreira:

Em 2013 a Estradas de Portugal anunciou que a A26, entre Sines-Beja (inicialmente prevista até à fronteira com Espanha), era um “equívoco técnico”, e que os 35 milhões gastos até então, não eram significativos (?!?), e que parando as obras ainda se conseguiam poupar 60 milhões. Pelas contas do governo ficamos a saber que esta importante Auto-estrada A26 (apenas até Beja) custaria 95 milhões de euros – cerca de metade já gastos – entre outros, com expropriações (com validade de 15 anos, faltando 5 para expirarem e regressem aos seus antigos proprietários sem estes terem de indemnizar o Estado); com o abate de montado e de espécies protegidas; com material que apodrece nas bermas do IP8.

O concelho de Beja, há 10 anos exportava apenas 875 mil euros, mas depois de apostar fortemente nos sectores agrícola, agro-industrial e agro-alimentar, potenciando o investimento de Alqueva, exporta hoje mais de 113 milhões, concorrendo de sobremaneira para a competitividade do Alentejo e do todo nacional. Mas… onde está a retribuição do Estado para com este concelho? Estas condições rodoviárias conferem competitividade à economia regional? E à nacional? São seguras? Quantas pessoas ali perderam a vida? Quantos ficaram feridos? São cómodas e confortáveis? Que prejuízos provocam nos veículos? Quanto tempo faz perder no transporte de mercadorias? E para as necessidades das pessoas? Como podemos pensar no Aeroporto de Beja sem uma estrada, sequer, digna desse nome?

 

 

publicado por Zé LG às 13:51
26
Jul 17

AFINAL O QUE VAI SER FEITO NA PRAÇA DA REPÚBLICA?

fotos.sapo.pt.jpg

Ler artigo de Carlos Dias n'O Público.

Existe um projecto ou apenas uma idéia geral? Vai ser mudado apenas o pavimento ou também as infraestruturas? Vai haver intervenção nos vestígios arqueológicos e colocados alguns à vista, como em espaços públicos noutras cidades? Qual o orçamento? Como é assegurado o financiamento? Para quando está previsto o início e o prazo da intervenção?

 

Publiquei, em 9 de Dezembro do ano passado, este alvitre como contributo para um debate que entendia  - e continuo a entender -, que devia ter sido promovido pelo Executivo Camarário, uma vez que vai alterar uma obra de um anterior Executivo da mesma força política, que na altura gerou muita polémica, sem que a tenha pré-anunciado na campanha eleitora.

Quase 9 meses decorridos sobre a colocação destas questões, eis que é anunciado o início para breve das obras, sem que o Executivo Camarário tenha avançado com qualquer esclarecimento sobre aquelas questões ou outras que pertinentemente têm sido colocadas pelos cidadãos.

Mais uma vez, parece oportuno questionar opções e sua fundamentação e o entendimento do envolvimento da população interessada na discussão de projectos com impacto na Cidade do Executivo Camarário?

publicado por Zé LG às 08:56
10
Jul 17

IMG_2501.JPG

Beja tem boas zonas verdes e muitas ruas com árvores, que ajudam a atenuar a canícula que se faz sentir no Verão. No entanto, existem ruas ou troços onde não foram plantadas as tão necessárias árvores. É o caso da Rua Cidade de S. Paulo, que, desde a Rodoviária até à Escola Mário Beirão, tem árvores frondosas de um lado e de outro e que no troço desta Escola até à Rotunda do Pastor nem uma tem para amostra. As fotografias que apresento mostram bem como necessário e urgente é a plantação de árvores neste troço da Rua Cidade de S. Paulo.

IMG_2502.JPG

Fica a sugestão à Câmara Municipal de Beja, que, estou certo, não a deixará de atender, a não ser que exista alguma justificação forte que a impeça de concretizar, o que não vislumbro.

publicado por Zé LG às 14:32
04
Jul 17

A demolição do antigo Depósito de Água da Praça da República continua a dar que falar, pela polémica gerada e por algumas contradições nas notícias oficiais e oficiosas que têm sido produzidas. Aqui fica mais um texto de José Filipe Murteira sobre o assunto.

 

Património em Beja – apenas contradições ou dois pesos e duas medidas?

19598463_1557824977626299_5903735934812028777_n.jp

1 - A demolição.
Desde janeiro que é um facto mais que consumado a demolição do depósito da água (eufemisticamente tratada em nota de imprensa da CMB de 25 desse mês como a conclusão dos “trabalhos de acompanhamento [!!!] do reservatório de água”).
As três fotografias mostram o local : as duas primeiras publicadas em 23 de janeiro e 12 de março na página https://www.facebook.com/arqueologiadascidadesdebeja/ , editada pela arqueóloga responsável pelos trabalhos no local, e a terceira, editada na página do FB da CMB, aquando da visita ao local do Ministro da Cultura, no dia 16 de junho.
Da observação das três fotos retira-se, desde logo, uma conclusão: o depósito não foi demolido na totalidade, já que são visíveis duas das sapatas que sustentavam os seis pilares que o suportavam.

 

publicado por Zé LG às 08:44
30
Jun 17

O movimento “Beja Merece+” desafiou a população e as pessoas responderam em massa, participando na gravação do tema e do vídeo, ontem, nas escadarias do Museu Regional, onde todos, “a uma só voz”, exprimiram o seu sentimento de revolta, perante um Governo que não investe neste território.

19511109_1565804353471045_178182323931884681_n.jpg

A música “Beja merece+”, da autoria de Zeca Serrano, e o vídeo, já gravado, têm como objetivo chegar aos ouvidos da tutela, assim como pressionar o Governo a mudar a sua atitude perante este território, desprezado em infraestruturas e investimento, frisa, Florival Baiôa, do movimento.

Foto de Miguel Serra.

publicado por Zé LG às 13:47
27
Jun 17

19437787_1550168128391984_4495131984827335135_n.jp

publicado por Zé LG às 19:00
07
Jun 17

Mas é DINHEIRO PÚBLICO para um grupo restrito de cidadãos:

04_1065.JPG

"A Força Aérea e o município de Beja estabeleceram um protocolo que permitiu, na quinta-feira (1 de junho), a inauguração de um Parque Infantil e Campo de Jogos no Bairro Residencial da Base Aérea N.º 11 (BA11).
...
Além da revitalização de um espaço verde, onde outrora existiu um equipamento similar, esta valência irá permitir a realização de atividades desportivas e recreativas aos utentes do Jardim Infantil e às famílias dos militares e funcionários civis da Força Aérea."
utiliza-se dinheiro do erário público e vai ter fins privados? Alguém que esclareça isto... e bem.

Anónimo a 5 de Junho de 2017 às 19:18, AQUI.


… trata-se de um investimento feito a 100% pela CM Beja, previsto para um parque público e pelo que sei, após exigências das chefias da BA 11, o parque vai estar fechado e apenas disponível para as crianças da creche (Avião) e filhos de militares.
Há outros bairros na cidade carentes deste tipo de infraestruturas e a CM Beja (mais uma vez) ignorou por completo o interesse público.
O Sr. Rocha e o edil responsável pelo pelouro das infraestruturas deveriam explicar o porquê deste investimento e da sua localização, e também porque cederam ao interesse privado em detrimento do público.

Cidadão Atento a 6 de Junho de 2017 às 09:40, AQUI.

publicado por Zé LG às 08:51
06
Jun 17

O Movimento Beja Merece+ tem várias acções de protesto em agenda para não “deixar morrer” aquilo que esta região merece e continua a não ter.

IMG_0064.JPG

Uma música, acompanhada de vídeo, produzida por um grupo de músicos de Beja, uma petição, uma queixa junto da União Europeia, um “dossier negro” para entregar a todos os governantes que passem pela região e uma “acção de rua” nos próprios comboios são as principais acções que estão pensadas.

Florival Baiôa , do Beja Merece+, afirma que a ideia é mostrar à CP que é fundamental alterar a situação dos transpores ferroviários para a região, referindo-se à electrificação da linha Beja-Casa Branca.

publicado por Zé LG às 13:52
31
Mai 17

 18738588_1498378376859494_7135926152724589078_o.jp

 

 

 

 

 

Encontro da população de BEJA, esta quinta-feira, 1 de Junho, no Auditório da ESE - Escola Superior de Educação - às 21:00 para debater as próximas formas de actuação cívica, a propósito da CP e outras injustiças. Beja está viva! Não faltes e passa a palavra! #BEJAMERECE

publicado por Zé LG às 13:53
19
Mai 17

180520171652-547-MuseudaRuralidade.jpg

Um grupo de cidadãos reclama a abertura imediata do Núcleo Rural de Ervidel do Museu Municipal de Aljustrel. Neste contexto lançou ontem, no Dia Internacional dos Museus, um abaixo-assinado, pela memória coletiva, que exige a reabertura imediata deste equipamento municipal à Câmara Municipal de Aljustrel.

No documento é referido que o Núcleo está fechado e recordado que o mesmo foi constituído com recolhas e doações, assim como alvo de um grande investimento autárquico. O abaixo-assinado frisa ser “escandaloso” o facto, deste polo, de atração turística e de valorização da memória, estar entregue ao abandono e ao desinteresse das autoridades competentes e recorda que, desde a sua criação sempre foi motivo de orgulho e de valorização de Ervidel.

publicado por Zé LG às 00:22
02
Mai 17

010520171559-902-roteiro-cidadania_.jpg

O Roteiro “Cidadania em Portugal” está, entre hoje e amanhã, no Alentejo Litoral e Baixo Alentejo.

O programa prevê a realização de acções de sensibilização em matérias como o Trabalho Digno e Crescimento Económico, Interculturalidade, Bullying e Igualdade de Género.

O Roteiro pretende “colocar as redes e comunidades locais a discutir os temas da cidadania, da participação cívica, o combate às desigualdades ou as discriminações”.

No percurso do Roteiro estão já mais de 160 municípios de Portugal continental e regiões autónomas.

A iniciativa está hoje em Sines. Na quinta-feira chega a Alvito, o único município do Baixo Alentejo que recebe o Roteiro.

 

publicado por Zé LG às 01:00
16
Abr 17

080420151121-854-ecopontoscastroverde.jpg

Segundo os dados divulgados recentemente, pela empresa intermunicipal, a autarquia castrense aparece em primeiro lugar na “Liga Intermunicipal da Reciclagem”. Castro Verde recolheu 47,8 kg de resíduos por habitante, entre 1 de Janeiro e 31 de Dezembro de 2016.
O município de Castro Verde continua a pedir a colaboração da população porque para além de ajudar a reduzir a factura do valor de depósito de resíduos em aterro, está a contribuir para um concelho ambientalmente mais equilibrado, para a diminuição dos impactos ao nível do território e a preservação da biodiversidade.

António João Colaço, vereador da Câmara Municipal de Castro Verde, atribui os resultados à política de sensibilização ambiental seguida no concelho e ao empenho dos munícipes.

No ranking apresentado pela empresa de tratamento e valorização de resíduos seguem-se Ourique (37,7 quilogramas por habitante) Beja (35,2), Mértola (31,6), Serpa (31,4), Almodôvar (27,9), Moura (22,7) e Barrancos (20,5).

publicado por Zé LG às 10:34
06
Mar 17

Vila Nova da Baronia sem LUZ por período superior a 1 hora pela 2ª vez no espaço de 1 semana.
A EDP por não querer investir nas nossas linhas, deixa a população sem energia desde as 6:00horas da manhã até às 9:15horas. E isto é um facto, derivado à não reestruturação das linhas e constantes avarias.
Estes cortes frequentes privam assim a população de um serviço que é um direito pelo qual todos pagamos.
Ainda há portugueses de 1ª e de 2ª.

Comentário de João Carvalho a 5 de Março de 2017 às 09:44, AQUI.

publicado por Zé LG às 13:54
03
Mar 17

O Hospital passou a ter apenas um serviço de medicina.

O esvaziamento já começou há muito. Em 2013 fecharam as camas dos oncológicos e só houve um médico que protestou alto e bom som.

E daqui a 4 ou 5 anos como será a Cirurgia? Inexistente.

Mais um fator para fuga das novas gerações...

Ficaremos com um Centro de Saúde que acolherá idosos doentes nos corredores da Urgencia e no Internamento da Medicina.

Não basta que os habituais "atores" se mobilizem. Era preciso que as pessoas do público em geral, utentes e familiares, deixassem a sua tradicional passividade. Se não se incomodarem um pouco agora, quando derem por nada ter já é demasiado tarde.

Comentários deixados AQUI.

publicado por Zé LG às 10:43
21
Fev 17

Copiado DAQUI:

20170215_181545.jpg

“Como sabemos os monumentos não escrevem mas falam da história de um povo, de uma cidade. São o cartão de visita, são a sala de entrada, neste caso literalmente, pois a Ermida de São Pedro localiza-se à entrada de Beja junto à estrada que vem de Espanha e de toda a margem esquerda. É visível por qualquer dos caminhos que a cercam e além disso fica perto do Bairro da Conceição onde vive uma importante comunidade de Bejenses. Quem entra em Beja depois de passar pela Ermida que fica à esquerda de quem vem de Espanha, ou em frente de quem vem de Lisboa e Évora e se dirige quer para a margem esquerda ou para Espanha (Rosal), depara-se com um monumento negro, escuro, descuidado com um envolvimento lamacento, árvores secas e um piso irregular e ainda local de entulho, como as fotos documentam. Não é com certeza um bom cartão de visita para quem nos visita ou simplesmente quem faz os percursos atrás referidos. Quanto ao título, "Lavem-me e pintem-me porra!!!" embora emprestado aos sloganes escritos nos paredões de uma ponte perto da barragem do Alqueva, que levou umas dezenas de anos a ser concretizada, não acreditamos que a ermida continue por muito mais tempo assim abandonada até porque as eleições estão próximas. Para bem da cidade, dos nossos olhos, dos habitantes do bairro próximo e de quem nos visita esperamos que a espera não seja longa. Ah!!! e para bem do Património da Cidade de Beja urge uma intervenção rápida e completa.

Publicada por José Janeiro

publicado por Zé LG às 08:56
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
23
24
25
26
27
28
29
30
31
Passaram por cá
Contador de visitas

Desde 15.01.2011
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Pagou o ex-presidente Dr. João Rocha
A “remoção é da responsabilidade das entidades que...
A lei geral não estipula prazo para a remoção da p...
A máquina está "montada" e o caminho será dificil ...
Continuam ressabiados e mesquinhos disparando em t...
E os cartazes e outdoors d campanha...ficam até qd...
Chama-se a isto a "dança das cadeiras", que na Pro...
E fez muito bem! Ia ficar com o Gabinete de JR ora...
Esta cidade sempre foi assim de gostar de queimar ...
As que rodeavam o PA eram todas giras. Agora as qu...
O que marca efectivamente o mandato de JR foi a at...
Tanta língua venenosa... Não se mordam, senão morr...
Substituem as do jr!
Não é muito difícil adivinhar quem pagou?
blogs SAPO