Alvitrando
Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.
30
Mar 17

2_2_Margalha.jpg

Na sequência da reunião do conselho de ministros de hoje, dia 30, o Governo aprovou, sob proposta do ministro das Finanças e da Saúde, os nomes propostos para o conselho de administração da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (Ulsba). Maria da Conceição Lopes Baptista Margalha, José Aníbal Fernandes Soares, José Manuel Lourenço Mestre, António Sousa Duarte e Joaquim Manuel Brissos foram nomeados para os cargos de presidente e vogais executivos, respetivamente. Todas as nomeações receberam parecer favorável da Comissão de Recrutamento e Seleção para a Administração Pública (Cresap), faltando ainda um nome a juntar a este grupo, o de um dos vogais, que deve ser proposto pela Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo (Cimbal).

publicado por Zé LG às 22:40
Vi o Dr. Mestre a dialogar no r/c, com os colaboradores da instituição.
Gostei.
A melhor forma de gerir é através do diálogo.
Anónimo a 24 de Abril de 2017 às 17:57
Então o homem sempre falou com alguns dos colaboradores .
Também a ex o fazia.
Anónimo a 24 de Abril de 2017 às 21:17
o GASPAR aonde anda ?
anonimo a 24 de Abril de 2017 às 21:52
E depois o que é que também viu o Dr Mestre fazer.
Se calhar terá ido à casa de banho, não?
Anónimo a 24 de Abril de 2017 às 21:53
esse DR. Mestre é o mesmo que é o Ze Manel da fisioterapia ?
anonimo a 24 de Abril de 2017 às 22:08
Não, para os lambe-botas do hospital, não é.
Anónimo a 24 de Abril de 2017 às 22:17
O homem foi dialogar com o amigo da comunicação social,o ex vereador Miguel Gois.
Anónimo a 24 de Abril de 2017 às 22:54
Se o Miguel Góis for tão bom a aconselhar o novo CA como foi a aconselhar o Pulido Valente (já que foi um dos principais responsáveis pela sua derrota eleitoral) o Dr. Mestre tem um futuro risonho.
Anónimo a 25 de Abril de 2017 às 13:44
Mas esse Miguel Gois é conselheiro do novo Conselho de Administração do hospital ou o que faz o homem?
Anónimo a 25 de Abril de 2017 às 20:34
Querem ver que O CA já desceu do sexto piso para libertar o espaço para os doentes.O homem já anda pelo r/c dialogando com os colaboradores amigos.
Anónimo a 25 de Abril de 2017 às 09:14
Mas se querem fazer agora um branqueamento da gestão anterior do homem,esqueçam porque há memórias e papéis.
Anónimo a 25 de Abril de 2017 às 09:09
O Miguel Gois faz mesmíssima coisa ou seja, zero, que a colega Graça Fortunas!
Há que dar tacho aos lobbies através de vencimentos chorudos.
Anónimo a 26 de Abril de 2017 às 13:57
Este tipo de comentário demonstra a ignorância e a tacanhez de pensamento de quem os profere. Um Gabinete de Comunicação de qualidade, com autonomia e estratégia bem definida, é uma mais valia numa unidade de saúde. A título de exemplo, veja-se como os hospitais privados investem nos gabinetes de comunicação (Lusíadas e Luz) https://www.lusiadas.pt/pt/sobrelusiadas/noticias/Paginas/rebrandinghppsaude.aspx e http://www.luzsaude.pt/pt/comunicacao/noticias/hospital-da-luz-uma-rede-de-hospitais-e-clinicas).

A sério, esto tipo de bocas entristecem-me e só servem para desvalorizar as críticas justas e construtivas.
Mas aquilo não é um gabinete de comunicação de qualidade.Há por aí engano com esse nome.
Comunicação de qualidade!!
Anónimo a 26 de Abril de 2017 às 20:12
O que estava a ser posto em causa era o "dar tachos", como se a função de um gabinete de comunicação não fosse útil e necessária. Que eventualmente pode melhorar? Sem dúvida, pode-se sempre, mas não é desnecessário.

Já agora, tenho muito boa impressão técnica dos dois elementos do gabinete de comunicação da ULSBA, parece-me até que têm potencialidades para crescer assim lhes seja dado espaço. Pela interação que fui tendo com eles ao longo destes 3,5 anos profissionalismo e criatividade não lhes falta.
Gabinete de Imagem e Marketing, não de Comunicação...
Anónimo a 26 de Abril de 2017 às 22:15
eheheheheh (vá, ok, bora lá chutar para canto)
Como legalmente definido é esse o nome do Gabinete para hospitais e Unidades locais EPE.
Anónimo a 27 de Abril de 2017 às 07:34
Se fizessem de acordo com o nome do Gabinete os funcionários teriam um conhecimento mais amplo da situação da empresa e poderiam debater entre si e dialogar com a Administração. Comunicação seria isso. Isso nunca foi feito.
Anónimo a 27 de Abril de 2017 às 08:01
O nome tanto faz.O anónimo anterior tem razão.Tem servido , sucessivamente para fotos e mais fotos.Os anteriores foi um fartar de egos.E mais um dos gabinetes da ULSBA que serve para tachos de amiguinhos .E nenhuma gestão vê o óbvio.
Anónimo a 27 de Abril de 2017 às 10:07
*suspiros*
PS: deixo-lhe também o GC de uma PPP, o Hospital Beatriz Ângelo http://www.hbeatrizangelo.pt/pt/comunicacao/
Dra.AMP deixe-se de andar a dar indicações de leituras sobre gestão de hospitais privados.Estamos no público que também tem leis e gabinetes, até demais.Leis e regras é coisa que abunda neste Pais, o pior é cumpri-las em prol da coisa pública.
EG a 27 de Abril de 2017 às 18:30
Vou explicar assim como se vexa tivesse 5 anos porque definitivamente não percebeu.

Não andei a dar links de "gestão de hospitais privados", recorri a três exemplos - dois privados e uma PPP - para provar que mesmo em instituições de saúde onde o lucro é o propósito a existência de gabinetes de comunicação (ou afins) é um aspeto importante e não é menosprezado. Estes gabinetes são importantes sobretudo porque o seu trabalho é a interface do que é e se faz na instituição e a comunidade que serve.

De nada, mande sempre. Boa noite para si também.
Exatamente se questiona se um gabinete de marketing cumpre adequadamente a ligação com a comunidade. Claro que não.
Anónimo a 27 de Abril de 2017 às 20:40
Desculpe, não percebi, são advérbios de modo a mais e perde-se o sentido da frase.
Bem, eu explico como se fosse para uma garota. A ULSBA tem um Conselho com representantes da comunidade, e deverá ter um elemento no CA indicado por representantes da população. A prestação de contas deve ser feita preferencialmente por esses canais. Mas a ligação à comunidade é outra coisa, que foi encetada com um programa de rádio. O tal do gabinete que se discute trabalha a imagem da empresa nos moldes do marketing. Não faz comunicação com a comunidade. Percebeu?
Anónimo a 27 de Abril de 2017 às 20:55
Percebi sim, percebi tudo, percebi que das duas uma, ou não percebe nada do que está a ser discutido ou quer desconversar. A minha preferida foi a dos "moldes do marketing".
Não cabe aqui discorrer sobre os modelos teóricos do marketing. O Gabinete do Miguel não é de Comunicação. Pim!
Anónimo a 27 de Abril de 2017 às 21:37
Nem ninguém aqui falou de "discorrer sobre os modelos teóricos do marketing", ora essa.

O cognome que acabou de arranjar - o "Gabinete do Miguel" - demonstra bem como olhar para estas coisas dos gabinetes de comunicação (e afins) de um modo sério é importante.

Repito o que comecei por dizer "Este tipo de comentários demonstra a ignorância e a tacanhez de pensamento de quem os profere". (e agora era a altura de deixar aqui um Pim!, não fosse o caso de me parecer patético).
O Miguel tem alma criativa, mas foge do debate porque teme o contraditório. A comunicação interna que faz circunscreve-se a um reduzido grupo, e não promove qualquer comunicação externa. O dito gabinete anda em fogachos de ícones novos para a intranet, sem estratégia traçada. Mas isso não é culpa dele.
Anónimo a 27 de Abril de 2017 às 21:55
Repito, reagi ao "dar tacho" e à falta de conhecimento sobre a importância de um gabinete de comunicação (ou afins) numa instituição de saúde, é isso que me parece importante discutir e esclarecer.
É claro que se uma empresa entende importante comunicar com os seus utentes deve organizar uma estrutura com essa tarefa. Até acredito que a nova PCA saiba definir o que deve ser dito à população, ao contrário da verborreica anterior.
Anónimo a 27 de Abril de 2017 às 22:06
Ora aqui está outro aspeto importante. Havendo uma estrutura responsável pela comunicação (e afins) numa instituição ela deve ter autonomia e ser responsabilizada, depois de apresentar a sua estratégia aos órgãos dirigentes, por essa função. Não é a um(a) presidente de um qualquer CA que compete "definir o que deve ser dito à população" mas a quem é o especialista na área. Ao CA compete decidir que comunicação institucional quer, a quem quer entregar essa responsabilidade e avaliar o seu desempenho tendo em conta os propósitos e objetivos institucionais e a clareza, honestidade e verdade da informação prestada.
Nunca houve um Gabinete do Miguel. Não queira inventar uma nomenclatura que não existe e que nem tem qualquer sentido, por vários motivos.
Anónimo a 27 de Abril de 2017 às 22:01
Por acaso tem a noção de quem é que tem assegurado durante todos estes meses o dito programa de rádio???
Quem é que acha que tem feito, como muito bem diz, a ligação à comunidade e com os serviços e actividades da ULSBA?
Exacto... Afinal percebeu...
Isso mesmo... todos sabemos que foi apenas e somente um elemento do Gabinete de Comunicação.
Anónimo a 27 de Abril de 2017 às 21:54
Rufa o bombo!
Anónimo a 27 de Abril de 2017 às 21:56
Eh, Dra. deixe-me então explicar-lhe como se fosse uma universitária, porque quanto mais se quer explicar e justificar, metendo a "foice em seara alheia" pior é o...
Então vamos lá esclarecer isto de vez:
-O Gabinete é de imagem e marketing,nas nossas instituições de matriz pública. E como tal o seu objectivo e funções estão bem explícitos no comentário do anónimo.Bem distinto de um hipotético Gabinete de comunicação, cujo objectivo e funções seriam ou são nos privados,parcerias ou não,bem diferentes
Se o gabinete da ULSBA não cumpre em pleno o seu objectivo, não faço aqui essa avaliação, deixando a cada um que lhe apeteça, saiba e queira, esse juízo.
-"instituições de saúde onde o lucro é o propósito".Todas as organizações , incluindo as de saúde, e as de matriz pública, têm como objectivo o lucro.Esse lucro, o valor que pretendemos atingir, é que é diferente. No que é público o tal valor a atingir é o "lucro social".Nao deixa por isso de ser um valor, e que lucro/valor queremos que seja cada vez maior/melhor!
-Para atingir esse tal valor, os nossos objectivos de matriz social,a empresa ULSBA , além dos profissionais, deverá , nos termos da lei,dispor também de um Gabinete de Imagem e Marketing,digamos mais um instrumento indutor e facilitador, ao dispor da gestão.

Também de nada, comente sempre.Até outro dia,

Atento2 a 27 de Abril de 2017 às 22:13
Bela salada de palavras, nada a que não seja comum recorrer-se quando se resolve avançar para uma discussão numa postura "eu é que sou o presidente da junta" https://www.youtube.com/watch?v=8q9XSXPEPNE

Insisto, o que me fez reagir foram "os tachos" e a desconsideração da (importante) função de um gabinete de comunicação (ou afins) numa instituição de saúde.



E a AMP a secretaria do Presidente da Junta de freguesia, ou a Presidente da assembleia de junta!
E "os tachos",é o que mais abundam por aí, incluindo as juntas de freguesia e a ULSBA.
E"a função de um gabinete de comunicação(ou afins)"também já está esclarecida.
Uma noite descansada.
Atento2 a 27 de Abril de 2017 às 22:37
nha nha nha disse primeiro

(pssssst a escrita é, também, uma marca identificadora de cada um de nós, capice? eheheh)
Antes de se escudar nos termos da Lei para dizer que o gabinete é de marketing talvez seja importante saber o que na realidade é o marketing e se se aplica numa instituição de saúde como a nossa.
Talvez o que se adeque seja mesmo um gabinete de comunicação.
Anónimo a 27 de Abril de 2017 às 22:28
PS: "E como tal o seu objectivo e funções estão bem explícitos no comentário do anónimo." ehehehhe adoro https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/gaba-te-cesta-que-vais-a-vindima/13642
Iogurtes líquidos e puré de batata.
Anónimo a 27 de Abril de 2017 às 22:47
bleurg
Gnargn!
Anónimo a 27 de Abril de 2017 às 23:59
Obrigada pela solidariedade.
Só não vê quem não quer......é a malta da getingonca a falar!
Tal como já disseram, serve apenas para tirar e postar fotos do CA.
Anónimo a 27 de Abril de 2017 às 17:22
Fotos e mais selfies, dos outros e já destes.Ja viu as ultimas AMP?
Anónimo a 28 de Abril de 2017 às 08:25
Nope, tirei estes três dias de férias. Estão giras?
O Gabinete da Imagem vai lançar a revista "Caras da ULSBA"...
Anónimo a 28 de Abril de 2017 às 08:51
Trouvez-vous une vie médisants!!!
Rennie a 27 de Abril de 2017 às 23:42
No Hospital não há "dança de cadeiras", porque os velhos tachistas passam a novos tachistas.
Anónimo a 28 de Abril de 2017 às 08:42
Ainda se podia esperar algo de bom se esses velhos tachistas fossem da cepa dos Horácio Flores, Covas Lima ou Carlos Sousa.
Anónimo a 28 de Abril de 2017 às 09:09
Pois, mas a opção atual é pela mediocracia...
Anónimo a 28 de Abril de 2017 às 09:19
É mais do mesmo.
Anónimo a 5 de Maio de 2017 às 21:27
Que vergonha o que se escreve aqui.......talvez haja alguém nesta ulsba que venha ler isto e faça uma reflexão. ....
Aguardo melhores dias
Anónimo a 3 de Maio de 2017 às 19:49
Cambada de imbeceis
Anónimo a 5 de Maio de 2017 às 21:48
Em breve perceberemos que destino tem o Hospital de Beja: ou complementar ou supletivo do de Évora.
Anónimo a 17 de Maio de 2017 às 09:27
Ora, agora já funciona tudo muito bem no Hospital!
Anónimo a 17 de Maio de 2017 às 14:18
Pois, então! Na urgência corre tudo sobre rodas.
Anónimo a 17 de Maio de 2017 às 14:26
Se os médicos de família trabalhassem mais nos centros de saúde, não havia caos.
Anónimo a 17 de Maio de 2017 às 14:36
Se os velhotes dos lares falassem...
Anónimo a 17 de Maio de 2017 às 15:59
A nova administração não faz nada!
Anónimo a 17 de Maio de 2017 às 20:55
O novo CA já reabilitou os funcionários que foram alvo da perseguição política feita pelo anterior?
Anónimo a 18 de Maio de 2017 às 13:45
Só se jurarem "portarem-se bem"...
Anónimo a 18 de Maio de 2017 às 15:43
Todos os trabalhadores da ULSBA desejam que os gestores se portem bem. Que não deixem apenas o tempo passar, que aproveitem as oportunidades para melhorar a empresa. As críticas sempre foram mais úteis do que os elogios.
Anónimo a 19 de Maio de 2017 às 07:54
Vão começar as demissões.
Anónimo a 19 de Maio de 2017 às 10:02
Demissões de quê?
Anónimo a 19 de Maio de 2017 às 11:30
Bem, as perseguições parece que continuam.
Anónimo a 19 de Maio de 2017 às 14:50
Que coisa absurda!!!
Anónimo a 19 de Maio de 2017 às 15:39
Absurda é de facto muito pouco, sendo como me contaram.
Anónimo a 19 de Maio de 2017 às 17:30
Munhoz Frade contou como foi:
"(...)
1. No âmbito da preparação das últimas eleições legislativas, entreguei na sede do Partido Socialista em Beja, em 16 de junho de 2015 uma contribuição escrita para a definição do conteúdo programático local, no respeitante à área da Saúde.
2. Já em plena campanha eleitoral, prestei assessoria técnica ao então candidato Pedro do Carmo, nomeadamente através de documento de análise de um Memorando do Conselho de Administração da ULSBA, em que contei com a colaboração da cidadã Mariana Raposo, datado de 16 de setembro de 2015.
3. Após a eleição do referido candidato, continuámos a prestar colaboração ao agora Sr. Deputado, a seu pedido, designadamente por documento estruturado em cinco tópicos. Nesse mesmo texto, enviado na data de 15 de janeiro de 2016, lhe referíamos estar a preparar, a partir do mesmo, um novo documento mais completo, destinado a ser proposto à tutela.
4. No seguimento dessa participação política constitucionalmente consagrada, tal documento foi efectuado e enviado ao então Coordenador da Comissão Para A Reforma Hospitalar, em fevereiro de 2016. Pois foi esse documento - uma proposta de estratégia alternativa para o futuro da ULSBA - que o então CA antidemocraticamente transmutou em matéria disciplinar, cujos processos ainda decorrem."

Quem não sabia ou tinha dúvidas, fica a perceber que os processos tem contornos de perseguição política. A quem interessa que se arrastem?
Anónimo a 19 de Maio de 2017 às 19:17
Munhoz Frade não contou tudo. Em agosto de 2013, quando o CA da ULSBA já tinha decidido fechar camas no piso 6, Margarida Silveira mandou fechar o blogue do Dr., porque antecipava que ele iria "por a boca no trombone". Como sabemos, ele denunciou publicamente e com estrondo essa malfeitoria ao Hospital e a perseguição endureceu - com a colaboração ativa do seu colega Monteverde. Os utentes tiveram no Dr. Frade um estrénuo defensor do Hospital. A instituição tem de reconhecer o seu papel, mesmo que isso não agrade a alguns.
Anónimo a 19 de Maio de 2017 às 20:14
O PS de Beja foi sempre um caldeirão politico, onde (não) cabem todas as sensibilidades e interesses em jogo.
E M. Frade sabe muito bem que sempre assim foi.
Veja-se o caso das autárquicas, em que tal como em principio este ano também irá suceder, as quezílias internas têm dado com uma única exceção a vitória sempre ao PCP/CDU.
De modo que estranha-se aqui estas suas catarses. Pois tudo isto já faz parte da tradição socialista local.
Anónimo a 19 de Maio de 2017 às 20:16
Nesse caldeiro não cabem todas as sensibilidades, é sabido. O que o Munhoz terá querido fazer era iniciar um novo paradigma que desse mais saber e consistência às posições do PS na área da Saúde. Os boys lograram manobrar para que não conseguisse. Não é ele que tem catarses a fazer.
Anónimo a 19 de Maio de 2017 às 20:25
Ele só não conseguiu porque a geringonça não entrou no Ministério da Saúde.
Anónimo a 19 de Maio de 2017 às 20:59
Está-se a ver que este ministro não vai resolver nenhum problema do SNS.
Anónimo a 21 de Maio de 2017 às 12:44
Independentemente de quem esteja no poder ou no CA, considero desprezível o tratamento que está a ser dado desde há algum tempo, ao médico e à administradora hospitalar. Se erraram, que sejam céleres na resolução do processo.
O País e a Ulsba, não se podem dar ao luxo de pagar ordenados para as pessoas estarem de castigos, parece que estamos na escola primária.
Parece que está na altura de serem assertivos relativamente a esta questão. Deixem de se tratarem mal uns aos outros. Isto é um jogo de cadeira, nada mais.
Gostaria ver que há gente de bom carácter e com ética na instituição que faço parte.
Anónimo a 21 de Maio de 2017 às 18:33
A não ser que a ideia seja "pacificar" a casa pelo medo.
Anónimo a 22 de Maio de 2017 às 08:20
Acertou na muge o anónimo das 8:20
Anónimo a 22 de Maio de 2017 às 10:04
Quer dizer - na "mouche" (centro do alvo, em francês).
Anónimo a 22 de Maio de 2017 às 10:55
Março 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
Passaram por cá
"Contador de visitas">Contador de visitas
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Ui ui isto realmente esta ao rubro...pena estes co...
O Dr. pode processá-los por assédio.
Ele à lá agora necessidade de anunciar, comam mas ...
E dificilmente o hospital público se rerguerá porq...
A política da troika continua no Ministério da Saú...
Quem patrocinou esse jantar secreto na casa do gov...
Quem lhe disse que só começaram agora?Não acredite...
Sim, de facto o meu filho não joga futebol.. mas b...
Assim vai a saúde... da política de saúde do Gover...
Estas trabalhadoras agrícolas candidatas, gostava ...
Assim vai a saúde no Algarve....batendo fundo...há...
Candidatura “PS/Somos Beja” em contactos com insti...
Se pretender que o seu voto seja inútil, esteja à ...
Há segunda quarta e sexta reza ao S. Jerónimo, á t...
Vejam lá catequista...,que coisa tão relevante....
blogs SAPO