Alvitrando
Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.
23
Out 17

O auditório da Fundação Eugénio de Almeida, em Évora, recebe, hoje, o Evento Anual 2017 do Fundo JESSICA Portugal. 

201020170958-51-jessica.jpg

Nesta sessão vai ser feito o balanço da aplicação integral da primeira fase dos recursos e projectados os objectivos até 2021, anunciando-se as oportunidades e instrumentos de financiamento disponíveis para apoiar os promotores e as cidades nos próximos anos.
Sob o lema de “O crescimento começa nas Cidades”, o Fundo JESSICA já financiou cerca de 300 milhões de euros, em mais de 70 cidades Portuguesas, num total de mais de 190 projectos, alavancando um total de cerca de 690 milhões de euros em investimentos em desenvolvimento urbano, desde equipamentos sociais e de educação de grande dimensão até pequenos hostels de jovens empreendedores.
Trata-se de projectos económica e financeiramente sustentáveis, enquadrados nas estratégias de desenvolvimento localmente desenhadas, em que são criados empregos de base local. O número estimado de empregos permanentes a criar com os projectos financiados ultrapassa já os 3.000.

publicado por Zé LG às 12:51
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
Passaram por cá
Contador de visitas

Desde 15.01.2011
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Que políticos! Uma vergonha!
Muito bem, anónimo das 11:53!
Não se percebe mesmo, porque é que nuns tempos em ...
Camaradas vocemecês não eram para estar reunidos a...
A CIMBAL deveria fazer um esforço para sair do "se...
são mesmo uns tristes...insistem na conversa de me...
chega-lhes roupa, não sejes cagarolas
Esta Câmara de CABELEIREIRAS, ESTETICISTAS, PROFES...
Os "outros" prometeram, "estes" vão fazer... Esper...
A estratégia é disparar em todas as direcções! An...
Deserto de ideias e iniciativas já é.
Mais que o centro do sul esta camara de cabeleirei...
Nã leio o dalentejô. Só veijo a capa! falari, fala...
atã nã fali do que nã sabi
blogs SAPO