Alvitrando
Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.
01
Nov 17

publicado por Zé LG às 00:50
Entristece-me um pouco este discurso centrado num complexo de inferioridade, pontuado por tiques de arrogância, e de vaidade em simultâneo! como me entristece a escolha de uma figura como esta para representar um movimento que se pretendia plural, organizado, moral e civicamente empenhado na defesa da região!…O Alentejo é a maior região do País, ponto assente…por força da extensa área de regadio já em funcionamento, possui um futuro importante na área agrícola, industrial, turistica e cultural!…Em Beja não há Universidade, não há ferrovia em boas condições, não há indústria com dimensão suficiente capaz de atrair investimentos e criar emprego (valor acrescentado, em suma), as infraestruturas capazes de receber turistas estão sedentas de investimento público e privado, as vias de comunicação rodoviárias são deficitárias, etc… Em Évora há uma outra centralidade que é histórica, por factores geográficos, culturais, de dinâmicas políticas e de investimento público, pela presença de uma Universidade de enorme reputação!…Mas o Alentejo é uma só região, com as suas idiossincrasias, com a sua diversidade cultural, etc., mas que deveria servir sobretudo para criar sinergias com outras regiões, enriquecer a imagem do País e da própria região, e não para dividir indivíduos, criar cisões nas estruturas políticas e de decisão. É necessário promover parcerias, estimular o diálogo permanente entre essas estruturas, ultrapassar diferenças e por de lado o interesse pessoal, o discurso provinciano dos quintais e dos lugarejos!…Como é pretendemos reivindicar melhores condições para a região, junto do poder central, se nem sequer nos entendemos internamente?…Dizem-me que é uma característica latina, e muito endémica este sentimento de desgraça geral, de encolher de ombros, de resignação!…é importante sem dúvida, centrar esforços na criação de condições de aproximação das pessoas, de encurtar distâncias em relação ao resto do País, mas também não menos importante, é a necessidade premente de arregaçar as mangas, congregar esforços com os agentes e as estruturas de decisão locais, sejam elas de Beja, de Évora, ou de Portalegre!…e por de lado as quezílias e os interesses de grupos, em nome de um bem maior- O de todos nós!
A verborreia já vai longa e daria para muito mais discussão, o que também poderia ser interessante, mas a julgar pela prestação da generalidade dos intervenientes no programa da RTP, fico deveras preocupado!…e que grande desígnio que temos todos pela frente!

“A inteligência é o único meio que possuímos para dominar os nossos instintos.”

\Sigmund Freud\
Ecce homo a 1 de Novembro de 2017 às 12:17
Bem dito! Quem é este BF e que legitimidade tem para falar em nome dos alentejanos. Ao que me dizem é de Beja mas vive em Lisboa há vários anos e, ao que parece, tem uma ansia grande de protagonismo (em terra de cegos ...) vá-se lá saber porque e para que!

Triste figurinha que fez e que muitos aplaudiram.

Eu vi um passarinho ... francamente que parolada e que falta de sentido de oportunidade.

Siga,
maria a 2 de Novembro de 2017 às 22:48
Aparece um indivídio inteligente, instruído, que sabe bem o que dizer e que tem uma grande paixão por Beja e pelo Baixo Alentejo, defendendo os interesses de todos nós e a primeira reacção da maria e do Ecce homo é partir do pressuposto que só quer protagonismo?
Enfim, sem palavras.
Acreditem, meus caros, existem formas muito mais fáceis e mais eficientes de se conseguir protagonismo. Defender acessibilidades para uma região esquecida não é a primeira escolha, digo eu, para se tornar bem-conhecido e importante.
Além disso, neste momento em que vivemos, eu dou as boas-vindas a qualquer voz de apoio à nossa causa, independentemente das motivações pessoais das pessoas envolvidas. Não me interessa analisar indivídios. Interessa-me resultados concretos.

Nós, povo alentejano, na situação crítica em que estamos, temos muita sorte em ter homens como Bruno Ferreira e Florival Baioa. Indivídios que dizem, com assertividade e determinação, aquilo que milhares de alentejanos pensam. BF é neste momento a nossa voz mais importante, e mais, considero-o um herói da nossa cidade.

Mas enfim, os senhores/senhoras se quiserem, podem perfeitamente continuar a escrever em blogs a tentar descobrir as motivações secretas que levam pessoas bem-sucedidas a preocupar-se com a terra de onde vieram.Não me parece uma boa utilização do vosso tempo, mas isso é convosco. Eu, e muitos outros, vamos fazendo o nosso melhor para que a voz de Beja seja ouvida.
Cumprimentos.
Eu a 2 de Novembro de 2017 às 23:18
Matar o mensageiro nunca foi boa solução. A questão que se deve colocar é se o que o Bruno Ferreira diz é verdade ou .mentira
Terra Minha a 3 de Novembro de 2017 às 10:18
Mais do que palavras/verborreia, é a triste sensação de que o atual executivo camarário do PS e os seus apoiantes parecem pouco motivados para estas lutas com o poder central.
E depois tentam disfarçar, lançando algumas lamechas, e criar uma cortina de fumo para sossegar os mais incautos.
Oxalá esteja enganado.
Anónimo a 1 de Novembro de 2017 às 17:04
Um Presidente e um Governo de Lacaios

Arnaldo Matos

"Escrevi anteontem e mantenho ainda hoje na minha conta de tuíter a convicção profunda de que Marcelo Rebelo de Sousa, presidente da república, e António Costa, chefe do governo, não passavam de perros lacaios do governo fascista de Madrid, quando vieram publicamente rejeitar o reconhecimento internacional do novo Estado da Catalunha, declarado independente e republicano pelo parlamento catalão no passado sábado, às 14H27 de Lisboa.

Os órgãos supremos de um Estado que reconheceu a independência fantoche do Kosovo, apenas para humilhar a Sérvia, velho aliado da primeira guerra mundial, não reconheceram agora a independência da Catalunha, verdadeiro e autêntico Estado, aliado do povo Português na longa luta contra a Espanha opressora e ocupante, nos séculos XVI e XVII.

Marcelo e António Costa comportaram-se agora como o miserável Miguel de Vasconcelos se comportou no seu tempo, lambendo as botas a um Filipe, a quem beijou a mão e tratou por Sua Alteza Real.

Ainda não tinham passado dois dias sobre a minha nota no tuíter e já alguma imprensa portuguesa anunciava que “a posição do governo português sobre a Catalunha tinha sido ditada por Madrid”."

https://lutapopularonline.org/index.php/editorial/2317-um-presidente-e-um-governo-de-lacaios

Vermelha a 2 de Novembro de 2017 às 09:50
Arnaldo, não basta beber a água. Tem que tomar os comprimidos também...
Hugo Rego a 2 de Novembro de 2017 às 09:57
Eu sei que é assim, não devia, mas é assim que lamentavelmente funciona o cérebro humano.
A verborreia toda, o vomitar ódio e mentiras através das redes sociais e da blogoesfera, é a todos os títulos lamentável. Pior do que isso, é a atitude de certas pessoas, anónimos ou não, que com comentários mais elaborados, debitam mentiras como se fossem dados adquiridos, como se fossem a mais pura das verdades. Então admite-se que se escreva que o actual executivo camarário está a borrifar-se para a questão dos comboios, quando na verdade é o que tem em prioridade na agenda ? Sinceramente. E admito que o anterior também tivesse isso como prioridade. Agora, de certeza que não se resolve à força.
Anónimo a 2 de Novembro de 2017 às 10:54
A cara de aflição do Paulo Arsenio por ver o Bruno a atacar um membro do seu partido! Aplaudir fê-lo com as palavras que dirigiu ao ministro! Bem feito... BEJA tem aquilo que merece!
Anónimo a 2 de Novembro de 2017 às 15:58
Beja tem um Presidente que sabe estar em televisão e que foi um dos apenas dois, em quase 50 câmaras do Alentejo, que teve voz, ainda que muito curta, no programa. Há 1 mês Beja não tinha, sejamos claros, Presidente para ir a programa de televisão. Nem que fosse só por aí, já saímos largamente a ganhar com a mudança de 1 de outubro.
Anónimo a 2 de Novembro de 2017 às 22:04
Acredita mesmo nisto? Não sei se ria se chore. O que é saber estar em televisão? É ficar calado quando prometeu ser a nossa voz? Seguramente que não. Vamos aguardar mais um tempinho e depois falamos sobre este presidente.
Terra Minha a 3 de Novembro de 2017 às 10:13
O que é saber estar em televisão ? É saber estar. Como saber estar em qualquer lado. Saber falar se para isso for desafiado. E não grunhir. Como era usual. Ser comunista não é só dizer mal porque sim. É necessário ter argumentos válidos para rebater quando for caso disso. Se não for o caso, optem antes pelo silêncio, sob pena de serem abalroados com imagens de rennie como se não houvesse amanhã. Não sejam ridiculos como o outro ignorante que acha que o presidente da Câmara é um "estrangeiro" em Beja e que só quem sente Beja são aqueles que ficam chorando quando perdem o Castelo de vista. Se querem ainda ter aspirações futuras, não caiam no ridículo.
Anónimo a 3 de Novembro de 2017 às 15:09
Novembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
25
26
27
28
29
30
Passaram por cá
Contador de visitas

Desde 15.01.2011
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Mandou fazer o tubinho e comprou caixas de Rennie!...
A morte de uma cidade! Só não vê quem não quer!
Já tem um tubo e uma máquina de alcatrão não chega...
os tubinhos foi onde os outros gastaram o dinheiro...
Que boa noticia para os colaboradores da EMAS. Já ...
Já se começa a notar a mão do Eng.º Rui Marreiros....
Em Beja já aconteceu e ê só descer degraus.Nao vee...
Sempre tem a asfaltadeira do Rocha para ir tapando...
Meninos mimados e guerrilhas há em todo o lado, se...
O que se passa aqui e um reflexo de tudo o resto, ...
Tudo bem, mas por favor não misture com o que se p...
Parvoíce é o silêncio de que devia de andar indign...
Querer comparar o que se passa a nível autárquico,...
Pelo menos,já devia ter organizado uma festinha te...
... E assim é esta a forma cordial entre eles que ...
blogs SAPO