Alvitrando
Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.
29
Set 16

O governo anunciou, com o show off de membros do governo a visitarem escolas, que o novo ano lectivo abriu com NORMALIDADE, como há muito não acontecia.

Ora as coisas parece que não se passaram exactamente assim, tendo em conta o exemplo do que conheço directamente. A Escola onde anda o meu filho, recebeu os alunos no último dia previsto para a abertura do ano lectivo e, passadas duas semanas, os alunos com necessidades educativas especiais continuam sem terapeutas, com falta de professores de ensino especial e de auxiliares de educação e, de vez em quando, há turmas a serem distribuídas por outras, por falta de professores.

Tendo em conta que este não terá sido o único caso – "toda a gente" conhece outros -, o governo deve ter-se referido ao “novo normal”… que é o novo ano lectivo abrir com, mais ou menos, as insuficiências dos velhos. 

Esta manhã, perante a manutenção desta situação e a manifestação de descontentamento dos pais dos alunos de uma turma sem professor que andam a ser distribuídos por outras, alguém dizia que "isto só se resolve com uma revolução"... 

publicado por Zé LG às 13:49
28
Set 16

imgLoader.ashx.jpg

 

Hoje, pelas 16.30h, a Câmara Municipal de Alvito recebe a Comunidade Educativa, uma cerimónia que decorre no Castelo de Alvito e que tem como propósito acolher os novos professores e alunos e assinalar o início de um novo ano escolar.

 

Com o objetivo de reconhecer e de valorizar o mérito, a dedicação e o esforço no trabalho e desempenho escolares, o Município de Alvito, em conjunto com as Juntas de Freguesia, atribui, anualmente, um prémio de mérito aos melhores alunos do Concelho.

publicado por Zé LG às 08:45
27
Set 16

070320161149-198-deputadoJooRamos.jpg

O deputado do PCP, eleito por Beja, João Ramos, questionou o Ministério da Educação sobre os vários problemas que se colocam no início deste ano letivo, em estabelecimentos de ensino da região.

Foram quatro as questões colocadas à tutela: duas sobre a falta de segurança verificada na Escola Mário Beirão de Beja e a necessidade de requalificação da Escola de Santiago Maior e outras duas sobre a falta de assistentes operacionais e de professores de ensino especial e técnicos em escolas do distrito de Beja.

publicado por Zé LG às 08:52
16
Set 16

150920161650-741-Anoletivo.jpg

Nas escolas do concelho já começou o novo ano letivo e no arranque das atividades de 2016/17, a Câmara de Beja revela que tudo o que é da sua responsabilidade está assegurado, mas que há dificuldades de substituição de professores com baixa, falta de pessoal auxiliar e de técnicos de educação especial, denunciando o facto, de estarem 60 alunos com necessidades educativas especiais sem resposta e destas situações serem da responsabilidade do Ministério da Educação. Falhas que se repetem e que são da responsabilidade do Ministério, recorda a autarquia.

 

Manuel Nobre, presidente do Sindicato de Professores da Zona Sul, afirma que persistem problemas como: a falta de assistentes operacionais, turmas com elevado número de alunos, turmas do 1.º Ciclo com vários anos de escolaridade, actividades extra curriculares a interromperem a actividade lectiva e desrespeito pelas normas de organização do trabalho dos docentes.

publicado por Zé LG às 08:54
09
Mai 16

060520161559-186-palestraescola.jpg

... é o mote para uma palestra que vai decorrer, no próximo dia 25, no Anfiteatro da Escola Secundária Diogo de Gouveia.

Esta iniciativa que, na organização, conta com a assinatura do Departamento de Educação Especial do Agrupamento de Escolas nº1 de Beja, tem como principal orador Vítor Cruz. As inscrições têm que ser efectuadas ate ao próximo dia 18.

Teresa Baião, coordenadora do Departamento de Educação Especial do Agrupamento de Escolas nº1 de Beja, afirma que a questão das dificuldades de aprendizagem está muito presente nas “nossas” escolas, por isso, a necessidade de discutir o tema.

publicado por Zé LG às 13:53
21
Fev 16

O Pavilhão Multiusos do Parque de Feiras e Exposições de Beja vai receber, no dia 4 de Março, a final da 12º edição do Campeonato Nacional de Jogos Matemáticos.

090220162229-289-JogosMatemticos.jpgUma iniciativa dinamizada anualmente pela Associação Ludus, a Associação de Professores de Matemática e a Sociedade Portuguesa de Matemática.

Esta edição é organizada localmente por docentes do Departamento de Matemática do Instituto Politécnico de Beja e dos Agrupamentos de Escolas n.º 1 e n.º 2 de Beja. Trata-se de um evento que permite fomentar e estimular o gosto pela matemática e conta com a participação de 300 escolas do continente e ilhas, envolvendo já cerca de 1600 alunos inscritos. As declarações são do professor Luís Carvoeiras, da organização.

Estão integrados deficientes auditivos e portadores de baixa visão e cegueira que participam em todos os jogos do campeonato promovendo a igualdade de oportunidades.

publicado por Zé LG às 09:27
15
Fev 16

120220161532-994-sessoeducao.jpgA deputada do Bloco de Esquerda, Joana Mortágua, por Mariana Aiveca, vai estar hoje, no distrito de Beja, com atenções centradas na educação.
De manhã, está prevista uma visita à Escola Secundária de Serpa e da parte tarde, na EB 2,3 Abade Correia da Serra, ainda em Serpa, realiza-se uma reunião com a directora e um encontro com pais e encarregados de educação que contestam o encerramento de uma das quatro salas do pré-escolar pela DGESTE.

Ao fim da tarde, a partir das 18.00 horas, Joana Mortágua e Mariana Aiveca participam numa sessão pública, no auditório da Escola Superior de Educação em Beja, que tem como tema “Desafios da Educação”.

publicado por Zé LG às 08:43
19
Nov 15

12111990_756919984412820_748113313697716867_n.jpg

publicado por Zé LG às 08:48
10
Nov 15

É um lugar comum dizer-se que as crianças são o futuro. É uma verdade à la Palisse.

Porque são o futuro, as crianças devem ser o melhor tratadas que for possível. Devemos investir nelas tudo o que pudermos.

Parece tratar-se de uma questão consensual e arrumada mas não é. Em resultado de políticas erradas, designadamente dos governos da direita, acontecem situações, que parecem surrealistas mas que infernizam as vidas das crianças e das suas famílias.

Um professor entrou de baixa por um período previsível de duas semanas. Esperava-se que, como era pratica corrente, fosse substituído por outro colega, os chamados professores de substituição. Mas não! Porque a lógica da gestão pública que impera é a da redução de custos e quanto mais cortarem mais as gestões são apreciadas pelas tutelas, não existem mais, pelo menos em número suficiente, professores de substituição e os alunos do professor que entrou de baixa são distribuídos por outras turmas, incluindo de anos diferentes. E os alunos com necessidades educativas especiais (nee) são "depositados" na sala de multideficiência. E a complicar ainda um pouco mais a situação, nalguns casos, os professores de ensino especial, em número insuficiente (4 em 11 necessários) são convocados para as referidas substituições, deixando os alunos com nee totalmente entregues a auxiliares de educação, que, por mais profissionais que sejam, não têm a obrigação que aqueles têm. 

Não é desta forma que se cuida do futuro!

publicado por Zé LG às 14:00
09
Mai 15

080520151552-395-ProfessorAiveca.jpgA Delegação de Beja da Associação de Solidariedade Social dos Professores, com o apoio da Câmara Municipal de Beja e da União das Freguesias de Santiago Maior e S. João Batista, homenageia o Professor Aiveca, hoje, às 15.30 horas, com o descerramento de uma placa toponímica na praceta que passará oficialmente a ter o seu nome e que se situa em frente ao hotel Melius.

 

publicado por Zé LG às 09:40
26
Mar 15

l_encontro-rede-museus_cartaz.jpgDecorre esta quinta-feira, em Mértola, o II Encontro da Rede de Museus do Distrito de Beja sob o tema “Actividades educativas nos museus locais: experiências e dinâmicas”. O Encontro assenta na premissa de que os “museus são espaços de sociabilidade que potenciam a troca de ideias e promovem a aprendizagem social e cultural”. A autarquia de Mértola considera que “a educação e a formação são áreas que representam algumas das principais funções de qualquer unidade museológica”. Durante o Encontro vão ser apresentadas experiências e dinâmicas exteriores à Rede e acções e projectos dos museus que integram a Rede de Museus do Distrito de Beja.

publicado por Zé LG às 00:56
16
Mar 15

O Município de Odemira foi eleito para a Comissão Coordenadora da Rede Territorial Portuguesa das Cidades Educadores, no Encontro Nacional que decorreu em Miranda do Corvo.
Para além de Odemira integram a comissão as Câmaras de Almada, Braga, Évora, Lisboa, Paredes e Torres Vedras.
A Rede Territorial Portuguesa das Cidades Educadores é constituída por 53 municípios aderentes à Associação Internacional das Cidades Educadoras e que assinaram e subscreveram a Carta das Cidades Educadoras.
A Rede pretende “promover a reflexão e debate dos Princípios da Carta das Cidades Educadoras, fomentar actividades promotoras destes princípios, procurar que os municípios portugueses incorporem a filosofia de intervenção nas suas políticas (…), revela a autarquia de Odemira.
In: http://www.radiopax.com/index.php?go=noticias&id=6572

publicado por Zé LG às 00:37
23
Fev 15

220220151605-979-FranciscoMarques(1).JPGFrancisco Marques, antigo director do Pax Julia e Chefe da Divisão de Gestão Cultural e Juventude da Câmara de Beja, é o novo Delegado Regional de Educação do Algarve.
Francisco Marques afirma que pretende continuar o trabalho feito pela Delegação Regional com as escolas, as autarquias e a comunidade educativa do Algarve, prometendo “dar o melhor” em defesa da Educação.
In: http://www.radiopax.com/index.php?go=noticias&id=6403

publicado por Zé LG às 23:58
17
Fev 15

080820131531-328-manuel-maria-barroso-.jpgManuel Maria Barroso foi designado, na passada sexta-feira, Delegado Regional de Educação do Alentejo, substituindo no cargo Maria Reina Martin.
Aquela designação ocorreu depois de concluídos os procedimentos concursais para os cargos de delegados regionais de educação, publicados no Diário da República, n.º 5, 2.ª série, de 8 de Janeiro.
Recorde-se que Manuel Maria Barroso foi o candidato da coligação do PSD/CDS, em Alvito, nas autárquicas 2013, com o lema “Construir o Futuro”.
In: http://www.vozdaplanicie.pt/index.php?go=noticias&id=5120

publicado por Zé LG às 00:06
13
Fev 15

110220152347-438-IPBeja(3).JPGO Presidente do IPBeja - Instituto Politécnico de Beja, homologou o Estatuto do Estudante com Necessidades Educativas Especiais.
Segundo o Instituto a decisão, decorrente da lei, teve também em consideração “o aumento significativo dos Estudantes com Necessidades Educativas Especiais assim como o reconhecimento de todos os estudantes, sem excepção, à igualdade de direitos na participação no meio académico (...)”.
O Estatuto do Estudante com Necessidades Educativas Especiais contempla um conjunto de medidas de apoio que vão desde a frequência e acompanhamento das aulas, ao regime de avaliação, passando pela prioridade na atribuição dos locais de estágio.
Para usufruir do Estatuto de Estudante com Necessidades Educativas Especiais “os estudantes devem apresentar declaração/relatório médico que explicite o tipo da deficiência e a sua gravidade, e sempre que possível as ajudas para a sua funcionalidade, em função das exigências do ensino superior”, revela o IPBeja.
In: http://www.radiopax.com/index.php?go=noticias&id=6310

publicado por Zé LG às 13:11
12
Dez 14

De pais para todos: capacitar, sensibilizar e esclarecer

1535038_865081696876475_2477474173633721131_n.jpgEsta tarde, pelas 18h30, na Biblioteca Municipal José Saramago, acontece o encontro “De pais para todos - respostas terapêuticas no contexto educativo: a realidade”, uma iniciativa levada a cabo pela associação jovem Habi(li)tar alentejo e por pais activos.
Desta vez vai falar-se do trabalho que terapeutas e outros técnicos especializados desenvolvem nas escolas com os alunos com necessidades educativas especiais. A escola inclusiva não acontece apenas no discurso, é antes uma construção diária que envolve muitos profissionais para além dos professores.
Numa altura em que o ministério da educação de Nuno Crato vem desmontando, peça por peça, o ensino e a escola inclusivos é urgente alertar, informar e discutir o que está em causa: direitos fundamentais de crianças e jovens entre eles o direito a educação.
Com a animação dos convidados prof. José Janeiro e jornalista Bruna Soares.

publicado por Zé LG às 08:55
07
Dez 14

1535038_865081696876475_2477474173633721131_n.jpg

São convidados o prof. José Janeiro e a jornalosta Bruna Soares.

publicado por Zé LG às 09:34
21
Out 14

“… como se não bastasse os imbróglios feitos pela tutela da Educação, também no terreno há quem goste também de imbrogliar. Vive-se um clima de desconfiança, de intolerância e insensatez, que leva a comportamentos extremosos. Quem fica a ganhar com a situação?
Convém perguntar porque é que se chegou a isto. Uma coisa é certa: o apoio a alunos com necessidades educativas especiais é insuficiente, tem vindo a diminuir e a agravar-se. Os pais estão preocupados e ansiosos, mas é claro que só podem estar. As direções das escolas tentam defender o indefensável, pois o receio da tutela é superior, têm que dar a cara pelas decisões dos gabinetes, mas a realidade está ali bem na frente e então quando não há como argumentar, chama-se a polícia para acalmar uma mãe preocupada.
A infração maior é feita quando se decide nos gabinetes o corte do apoio aos alunos que necessitam efetivamente de um apoio diferente.
Anónimo a 20 de Outubro de 2014 às 22:14, em: http://alvitrando.blogs.sapo.pt/nada-disto-aconteceu-2793869#comentarios

publicado por Zé LG às 00:15
08
Out 14

 «Daí que não vale nem há explicação e nem argumento algum, para que um país que se diz da Europa desenvolvida, não dê todas as condições que se justifiquem aos seus alunos com necessidades especiais de educação.
Quanto mais protelar durante um mês ou andar miseravelmente a distribuir migalhas de horas de aulas a quem necessita como pão para a boca para o seu crescimento e desenvolvimento.
Vale mais deixar esses miúdos entregues a si próprios, para que não aprendam e cresçam aquilo que podem, e ficarem irremediavelmente para sempre dependentes ou ainda mais dependentes?
Haverá melhor investimento do que na educação?
E será preciso dizer e redizer todos os anos o mesmo?
J. M. a 6 de Outubro de 2014 às 17:30», em http://alvitrando.blogs.sapo.pt/os-alunos-com-nee-deveriam-ser-os-2785545#comentarios

publicado por Zé LG às 08:42
06
Out 14

 «Se há área onde este ministro mostra a sua verdadeira face é nas condições em que se encontram, mais de um mês depois do início das aulas, as respostas educativas aos alunos com n.e.e. Trata-se de um mau gestor da "coisa" pública e um inimigo declarado da INCLUSÃO.
Estes alunos deveriam ser os primeiros a ter a atenção dos poderes políticos, quer pelo carácter específico das suas necessidades e dificuldades na autonomia. Ao deixar este problema para segundo ou terceiro plano o Ministério mostra o desrespeito que nutre pelos mais fracos. É um mau exemplo para a sociedade no geral, é uma atitude de EXCLUSÃO, declarada e ostensiva. Nada disto é por acaso, os colégios privados recebem fortunas do governo, e prevejo tratar-se de uma medida que deliberadamente venha a promover movimentos tendentes à segregação dos alunos como já o foi há alguns anos.
Em dois anos este governo conseguiu destruir toda uma filosofia e uma prática que se foi implementado nas escolas desde o 25 de Abril com muita luta e muito esforço de todos os intervenientes. Chegámos a dar cartas, nesta área a muitos países da Europa e éramos considerados por isso.
A situação actual faz apelo aos sentimentos e preconceitos mais desumanos em relação à pessoa com deficiência e cria um clima favorável para levar à prática propostas de segregação. Ao que chegámos!!!
É tempo de nos mobilizarmos todos, pais, alunos, professores, técnicos e demais cidadãos, tal como os pais fizeram depois do 25 de Abril e do qual nasceu o movimento CERCI, que soube criar com a cumplicidade das autarquias e de vários serviços centrais uma verdadeira resposta aos alunos que até essa data se encontravam em casa, escondidos.
Não acredito que possamos agir de outro modo, se a nossa atitude for pacífica e condescendente as respostas educativas para alunos com n.e.e. serão abolidas do nosso sistema educativo.
Jose Janeiro a 4 de Outubro de 2014 às 02:36», em: http://alvitrando.blogs.sapo.pt/grito-de-revolta-2783361?view=6665601#t6665601

publicado por Zé LG às 13:44
Janeiro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
Passaram por cá
Contador de visitas

Desde 15.01.2011
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Camaradas vocemecês não eram para estar reunidos a...
A CIMBAL deveria fazer um esforço para sair do "se...
são mesmo uns tristes...insistem na conversa de me...
chega-lhes roupa, não sejes cagarolas
Esta Câmara de CABELEIREIRAS, ESTETICISTAS, PROFES...
Os "outros" prometeram, "estes" vão fazer... Esper...
A estratégia é disparar em todas as direcções! An...
Deserto de ideias e iniciativas já é.
Mais que o centro do sul esta camara de cabeleirei...
Nã leio o dalentejô. Só veijo a capa! falari, fala...
atã nã fali do que nã sabi
nã sabe leri?
E a ETAR de Vales Mortos? E as não obras na escola...
blogs SAPO