Alvitrando
Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.
10
Fev 09

O PS em Beja veio a público acusar os eleitos da CDU de obediência às orientações do PCP e de não cumprirem as promessas eleitorais, a propósito da sua ausência da cerimónia de adjudicação do IP8.

A utilização destes argumentos parece indiciar que lhe faltam outros, quer para defender o Governo que apoia quer para criticar a autarquia em que é oposição. Apesar disso, a tomada de posição do PS em Beja sugere-me algumas reflexões.

Esta cerimónia foi essencialmente mais um acto de propaganda do Governo que já se deslocou ao Distrito de Beja uma dúzia de vezes para anunciar vários actos do processo mas que não foi capaz de construir a estrada em quatro anos e que a não vai construir até à fronteira e, ainda por cima, decidiu que vai ser portajada.

Ao valorizar tanto a ausência dos eleitos da CDU naquela cerimónia o PS tenta fazer esquecer as suas responsabilidades neste processo e nas suas consequências para a região. O mérito da adjudicação desta empreitada não pode fazer esquecer tudo o que ficou para trás com consequências no presente e no futuro da região.

Quando alguém é eleito numa lista partidária assume um duplo compromisso com os eleitores: Respeitar as orientações partidárias, uma vez que foi escolhido pelo partido para se candidatar, e cumprir as promessas eleitorais que apresentou ao eleitorado que o elegeu. Idealmente, os dois compromissos são tão semelhantes que se confundem num só. Mas, na prática, nem sempre é fácil equilibrar esses dois compromissos pelo que, sempre que o conflito surge, deve ser bem ponderado qual o que deve prevalecer em função da situação em concreto.

Tal não deve significar obediência cega às orientações partidárias mas também os eleitos em listas partidárias não devem esquecer esse enquadramento e comportarem-se como se fossem independentes eleitos por listas independentes.

Os partidos, e o PS em particular, não podem comportar-se como “barrigas de aluguer”, cedendo a sigla, estrutura e apoios a candidatos independentes (e até militantes seus), que se apresentam ao eleitorado como se nada tivessem a ver com o partido que os apoia.

Isto só acontece, quando acontece, por oportunismo de ambas as partes, que, temendo assumir plenamente as suas responsabilidades, procuram tirar partido da situação aparentando o que não são. O que começa numa mentira não deve merecer a confiança dos eleitores.

publicado por Zé LG às 22:31
LG - Citei este seu post... para oferecer uma visão diferente da sua.
Cumprimentos
h - V&P a 11 de Fevereiro de 2009 às 19:19
Ora aí está algo com que concordo. Mas porque é que PCP,através da CDU serve de barriga de aluguer aos Verdes? Porque razão Os verdes nunca foram a eleições com a sua sigla e sozinhos ? Será que a Zita Seabra tem razão no seu livro Foi Assim? Escreve ela que esse partido foi uma invenção do PCP esgotados que estavam os seus potenciais aliados.
Jorge Dias a 19 de Fevereiro de 2009 às 00:26
Fevereiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
23
Passaram por cá
Contador de visitas

Desde 15.01.2011
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Sempre tem a asfaltadeira do Rocha para ir tapando...
Meninos mimados e guerrilhas há em todo o lado, se...
O que se passa aqui e um reflexo de tudo o resto, ...
Tudo bem, mas por favor não misture com o que se p...
Parvoíce é o silêncio de que devia de andar indign...
Querer comparar o que se passa a nível autárquico,...
Pelo menos,já devia ter organizado uma festinha te...
... E assim é esta a forma cordial entre eles que ...
Confesso que cada vez ando mais confuso, quantos P...
O Oliveira foi sacudido ainda antes das eleicoes.
Só espero que tem dinheiro para receber não veja i...
O acolhimento politico e pessoal do executivo às i...
Como foi possível proceder a um aumento salarial c...
O vereador que não fazia parte do CA da EMAS é que...
P'ra parceiros até que não se dão mal!
blogs SAPO