Alvitrando
Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.
30
Jan 09

Parece ser claro para toda a gente que o Ministério do Ambiente de José Sócrates teve intenção de deixar o processo do Freeport aprovado antes das eleições de 2005, usando todos os expedientes para o conseguir, obtendo pareceres em prazos nunca vistos.

Nada disso significa, obrigatoriamente, que tenham sido cometidas ilegalidades ou irregularidades insanáveis no processo nem que este tenha andado tão depressa e só tenha sido aprovado porque houve pagamento de luvas.

Mas foram levantadas essas suspeitas, agora intensificadas pelo pedido da Justiça da Grã-Bretanha de consulta às contas bancárias de um grupo de pessoas, incluindo José Sócrates. Importa, por isso, esclarecer até ao fim essas suspeitas, ainda por cima porque elas atingem o bom-nome de um antigo ministro, agora primeiro-ministro, e, por isso, também o bom-nome de Portugal.

Quando seria de esperar que deixasse que a Justiça faça e conclua o seu trabalho, sem interferências, José Sócrates optou por se multiplicar em declarações, mais ou menos, formais, reafirmando a sua inocência e a correcção de todo o processo e atacando uma pretensa campanha negra de difamação contra si orquestrada, visando atingi-lo pessoal e politicamente.

Ou seja, José Sócrates, com as suas declarações tem procurado vitimizar-se, condicionar os processos judiciais em curso e fazer aquilo de que critica outros, lançando suspeitas sem concretizar contra quem.

Em vez deste seu comportamento não seria mais correcto fazer o que disse inicialmente – colocar-se à disposição da Justiça para ajudar a esclarecer a situação –, mostrando que quem não deve não teme, e autorizar o acesso das autoridades judiciais às suas contas bancárias? Melhor ainda seria torná-las públicas uma vez que o processo tem grande impacto mediático.

publicado por Zé LG às 12:42
e quem cala consente.
Anónimo a 30 de Janeiro de 2009 às 16:02
Acho que por mais que quisesse, o Primeiro Ministro mostrou saber mais do que aquilo que qualquer cidadão comum deveria saber sobre um processo em segredo de justiça! Parece-me óbvio que não há tratamentos iguais pela Justiça ou pelos seus agentes, a todos os cidadãos! Isso é que é pena... de resto ela que funcione depressa e com imparcialidade, é o que se pede!
joroca a 30 de Janeiro de 2009 às 17:12
Sr. Lopes Guerreiro: que eu saiba (e sei pouco destas coisas) qualquer pessoa é inocente até prova em contrário, ou seja, é esta a presunção do direito português. Assim, não sei o que é que o Sr. Primeiro-Ministro tem que provar, se nem sequer existe uma acusação que prove, materialmente, pratica contra a lei. Porque é que terá o Sr. Primeiro-Ministro, só por ser Primeiro-Ministro ter que expor a sua vida pessoal (por exemplo, contas bancárias, como diz). Será que agora o PM e outras pessoas de cargos políticos e / ou mediáticos são menos que qualquer cidadão comum (lei-se, menos conhecido, ou, não mediático). Se de facto essa fosse a regra (levantamento de sígilo bancário para todos os cidadãos, sem excepção, desde o vereador da Câmara menos conhecida do país até ao PM) para todos os cidadãos eu concordaria consigo, mas, assim, não posso concordar consigo. O Sr. PM não deve ser alvo de discriminação negativa só porque os MEDIA querem definir e inventar a agenda dos acontecimentos para venderem mais. Não devemos ir atrás dessas falácias típicas de uma sociedade capitalista, com a qual o Sr. Lopes Guerreiro não concordará, presumo.
Portanto, só me resta concluir, respondendo-lhe como me respondeu a mim, quando acusei a CMBeja e instituições / empresas derivadas / controladas de favorecer largamente os seus alinhados e aliados político-partidários. Foi assim que o Sr. me respondeu:

- "(...) o Senhor faz afirmações graves mas que nã (...)" prova (...) "Se tem indícios que sejam daquilo que afirma porque não denuncia essas pretensas ilegalidades ou irregularidades a quem de direito (...)" à Polícia Judiciária por exemplo.

Anónimo a 30 de Janeiro de 2009 às 23:05
Concordo com o levantamento do sígilo bancário para todos e todas as empresas e instituições. Claro que isso não interessa fazer, não existe coragem política para isso, nem na oposição, pois a CDU, por exemplo, foi o partido mais multado por irregularidades nas suas contas (perante o Tribunal de Contas). Depois como é que a CDU explicava a origem das avultas verbas do seu financiamento da actividade partidária ..... e como é que os Srs. do dinheiro, ditos empresários de 1.ª explicavam os seus movimentos ... eu imagino ... não havia lugares nas cadeias que chegassem .... se isto fosse para cumprir a tudo o custo .... mas, como quem não deve não teme, eu concordo ...
Anónimo a 31 de Janeiro de 2009 às 00:22
José Sócrates não tem de provar nada perante a justiça, porque, como diz, não é suspeito, arguido nem acusado.
Por isso e porque, como também diz, até prova em contrário qualquer suspeito, arguido ou acusado se presume inocente, José Sócrates não tem de fazer nada perante a justiça.
Mas não é nesse plano (o judicial) que coloquei a questão mas no plano político. Foi neste que José Sócrates entendeu defender-se, vitimizar-se e lançar suspeitas sobre quem estará por detrás da tal "campanha negra". É nesse plano que acho que a melhor forma de pôr fim à "campanha negra" seria mostrar que não nem nada a esconder, autorizando o acesso às suas contas. Não por ser sua obrigação mas por sua iniciativa.
Espero ter ficado mais claro o sentido do meu alvitre.
Zé LG a 31 de Janeiro de 2009 às 00:28
Sim, entendo-o. Acha que ele tem que ser mais "papista" que o "papa". Até concordo consigo. Levante-se o sígilo bancário para toda a gente .... concorda?
Anónimo a 31 de Janeiro de 2009 às 01:32
Absolutamente!
Zé LG a 31 de Janeiro de 2009 às 17:13
Estamos de acordo ... quem não deve não teme ...
Anónimo a 2 de Fevereiro de 2009 às 16:10
Não me diga que não concorda com o levantamento do sígilo bancário para toda a gente e todas as empresas e / ou instituições ? Não me desiluda .... tinha-o como defensor de uma sociedade mais justa ... Aguardo a sua confirmação .....
Anónimo a 31 de Janeiro de 2009 às 01:54
Que azar ... o homem tem quase sempre os olhos abertos, mas a fotografia que publica é uma que representa um raro momento - existe uma pequena intenção de manipulação de ideias pela imagem ... se precisar eu envio-lhe uma em que ele tem os "olhos bem abertos" (à minha semenlhança ....)
Anónimo a 31 de Janeiro de 2009 às 01:40
Não acha que seja normal que esteja cansado? É essa a intenção - mostrar que está cansado.
Zé LG a 31 de Janeiro de 2009 às 17:16
Se é essa a intenção - "mostrar" que o PM está cansado ... não o contrario. Mostar é diferente de estar ... nem tudo o que parece, é ..... Chegámos a um consenso. Um à parte: parabéns pelo seu BLOG. Contrariamente a outros, admite a opinião de quem quer que seja. Mais democrático é impossível ...
Anónimo a 2 de Fevereiro de 2009 às 16:09
Janeiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
Passaram por cá
"Contador de visitas">Contador de visitas
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Txêque parece que tem azogue nas unhas!
E como diz o VP, tem que continuar a politica de a...
Além desses, os que também cometeu enquanto presid...
A Câmara de Beja, nos últimos 4 anos tem feito tra...
ridicula e patetica esta candidatura.O candidato i...
realmente falasse aqui de muita coisa, agora até o...
E se ao lado da folha de apresentação do anterior ...
Assisti a alguns debates sobre o POLIS. Recordo-m...
Independentemente daquilo que foi o desempenho do ...
Ah e já agora o tiro foi ao lado. Não tenho partid...
Rendam se às evidências. Se formos por aí o que d...
Mas quem é que tinha de reconhecer o eventual erro...
Não é. Mas já alguém reconheceu publicamente o err...
Se ao menos o João Espinho reconhecesse os erros p...
E reconhecer erros é crime?
blogs SAPO