Alvitrando
Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.
27
Jan 09

no qual militava há 35 anos, na sequência de «recriminações e acusações» do partido em relação a decisões tomadas enquanto autarca.

Manuel Coelho explicou que comunicou no sábado, pessoalmente a «três elementos dirigentes do partido», esta sua decisão, «após uma discussão semelhante a outras e que levou, inevitavelmente, a esta decisão», na sequência de uma «análise dos fundamentos ideológicos, da estrutura, dos programas e das práticas políticas do PCP».

 

O responsável pela direcção regional do Litoral Alentejano do PCP, Manuel Valente, afirmou que a desvinculação de Manuel Coelho culmina ”um processo de repetidos actos de tomada de decisões contrárias ao projecto da CDU”para o concelho e uma "injustificada aproximação às políticas do governo para a região" e que "quem ganhou as eleições em Sines foi a CDU e não o senhor Manuel Coelho", pelo que "do ponto de vista ético e político, pôr o cargo à disposição seria o mais correcto".

 

publicado por Zé LG às 19:52
Sobre a situação na Câmara Municipal de Sines


Em nota a Comissão Concelhia de Sines do PCP esclarece que «a decisão anunciada pelo Presidente da Câmara Municipal de Sines de se demitir do PCP culmina um processo de repetidos gestos e decisões contrários ao projecto da CDU e de injustificada aproximação a objectivos e propósitos da política do Governo PS para a região e para o país.» A decisão anunciada pelo Presidente da Câmara Municipal de Sines de se demitir do PCP, culmina um processo de repetidos gestos e decisões contrários ao projecto da CDU e de injustificada aproximação a objectivos e propósitos da política do Governo PS para a região e para o país.

A retirada da Vice-Presidência, dos pelouros e do tempo inteiro ao vereador Albino Roque é expressão da manifesta dificuldade do actual Presidente da Câmara em conviver com as críticas, constituindo um acto gratuito de retaliação política que se traduzirá num empobrecimento do funcionamento colegial da Câmara Municipal e em prejuízo do concelho e da população de Sines.

A manifesta diferença de posicionamento político e a clara ruptura com as orientações e o projecto do PCP exigiriam que, no respeito por valores e princípios de ética e honestidade política, o Presidente da Câmara pusesse à disposição da força política que o elegeu o cargo que exerce.

Face à disposição do actual Presidente da Câmara de se manter agarrado ao poder, usurpando um cargo que no plano político não lhe pertence, o PCP reitera à população de Sines o seu empenhamento em prosseguir uma intervenção e um trabalho que centenas de eleitos da CDU, em sucessivos mandatos desde o 25 de Abril, realizaram para dar resposta aos problemas das populações e assegurar um rumo de desenvolvimento e afirmação do concelho de Sines.


Acho que é importante saber...


Não concordo com muita coisa no Partido e serei dos primeiros a criticar, não posso é admitir certo tipo de atitudes!!!
joroca a 28 de Janeiro de 2009 às 16:41
O caso claro de alguém que, depois de anos no poder, não sabe conviver com as criticas. O caso claro de alguém que, depois de tomar a a atitude que tomou, sabia que iria ter todo o espaço desejado na comunicação social nacional. O caso claro de alguém que, durante muito tempo, se serviu do seu partido, e que agora, quando colocado em causa , desencantou uma forma de tentar sair por cima. O caso claro de alguém que dirige uma câmara que é das mais endividadas do país (dados oficiais), e que não tem problemas em assumir compromissos com empresas que depois não cumpre. Falo por experiência própria. Este senhor é um oportunista político. Um aldrabão. Até posso concordar com algumas das criticas que faz ao PCP (e concordo); mas não é por isso que ele sai do "seu partido de mais de trinta anos". Sai, porque sabe que já não se pode servir dele, do "seu" partido. E, entretanto, deixou muitos compromissos por cumprir...
Miguel Correia a 28 de Janeiro de 2009 às 23:39
Porque razão deixa o PCP arrastar tanta coisa no tempo que sabe que está mal?
Não será por essas e por outras, que alguns se afastam eoutros não se aproximam?
Em Castro Verde vamos ver no que dá, ou no que deu terem prolongado, aquilo que intimamente e pragmáticamente, consideravam um mal necessário?
Depois assobiem-le ás botas ...
Manuel Antonio Domingos a 29 de Janeiro de 2009 às 11:01
Não consigo perceber como e o que se "serviu do partido". Porque será que uns "servem" o partido, com prejuízos pessoais e outros, nas mesmas condições, "se servem do partido"? Será que a mudança de atitude relativamente ao partido consdiciona essa apreciação?
Zé LG a 29 de Janeiro de 2009 às 15:55
Parte das questões levantadas publicamente por Manuel Coelho (não sei o que se passou na tal reunião interna referida) há muito que, infelizmente, são prática no PCP. Porque é que só agora é que se sentiu incomodado? O que é que houve de novo (e que não invocou) que o incomodasse? Por outro lado, foi eleito nas listas da CDU. Questão, aliás, que vários autarcas (de todos os partidos) se esquecem facilmente - foram eleito em listas de partidos ou coligações!
Como sabemos, depois de eleitos muitos não resistem à tentação de correr sozinhos, esquecendo-se dos seus compromissos para com a organização que "contribui" para a sua eleição. Manuel Coelho é um caso claro. Em relação à questão dos sacrifícios pessoais, também infelizmente o tempo (e a actualidade) nos têm demonstrado que não é bem assim. Aliás, seria um trabalho jornalístico interessante perceber quanto é que alguns destes senhores ganhavam, qual era o seu património, antes e depois de cessarem os seus cargos públicos , questão quase sempre tão questionada pelos próprios. Porque em relação aos compromissos familiares, e mesmo amizades, por exemplo, não tenho dúvidas que, quase sempre, perdem muito.
Miguel Correia a 30 de Janeiro de 2009 às 23:18
Coloca duas questões pertinentes e oportunas:
- De quem são os mandatos? - Talvez venha a retomá-la num alvitre para tentar que sej discutida...
- A avaliação que deveria ser feita à alteração do património dos detentores de cargos políticos, quando estes terminam. É a única forma de separar "trigo do joio"...

Quanto à atitude, em concreto, de Manuel Coelho tenho pouca informação que me permita dar a minha opinião fundamentada. A "gota de água que entorna o copo" pode ser uma explicação para o "só agora"...
Zé LG a 31 de Janeiro de 2009 às 01:08
Janeiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
Passaram por cá
Contador de visitas

Desde 15.01.2011
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Excelente debate que já há bastante tempo se impun...
Por muitos ilustres que cite não apaga a força do ...
Expus os meus argumentos com a mesma honestidade q...
Para começar, ter preferências é um luxo que todos...
Já vi que tem preferência pelo consumo de azeite d...
O que o PCP pretende no desenvolvimento agricola d...
Não, não sou a favor desse tipo de culturas.O que ...
Caro anónimo, não sei se é adepto deste tipo de cu...
Não precisa do futuro para estar enganado, já o es...
Estas reivindicações do PCP não são novas, são ali...
Só que nada fizeram até agora e que o engenheiro d...
ETAR de Vales Mortos: https://www.publico.pt/2017/...
qual situação?
A situação da "ETAR" de Vale de Vargo não é notíci...
Grande entrevista entre dois bejenses que nos deve...
blogs SAPO