Alvitrando
Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.
20
Out 08

«Num ano normal, a plantação de cereais começava agora e prolongava-se até Dezembro. Mas, neste momento, no Alentejo e no Ribatejo, ainda ninguém está a semear e corre-se o risco dos 200 mil hectares da última campanha não virem a ser semeados», afirmou o presidente da ANPOC, Bernardo Albino, lamentando que Portugal «não tenha uma estratégia para este sector», o que poderá gerar «desemprego, a curto prazo, porque muitos produtores, sem a componente dos cereais, terão que abandonar a actividade, e a morte da comunidade rural».

Esta situação resulta dos receios dos agricultores em apostarem nas sementeiras perante o «elevado preço» das matérias-primas, uma vez que «O preço dos adubos subiu mais de 200% no último ano e meio», pelo que o produto final dos agricultores «vale muito menos do que aquilo que custa produzi-lo». 

publicado por Zé LG às 18:12
Os cereais não se plantam, semeiam-se. Merda de mundo em que temos ido vivendo. Antes, o que dava prestigio ás pessoas era a sua capacidade organizativa e criadora de riqueza ( bens reais, palpáveis, e serviços para satisfazer necessidades concretas do ser humano ) agora o mais importante é saber comprar e vender acções para enriquecer uns quantos e pôr na miséria, os miseráveis que nunca ousaram desconfiar do que estavam construindo. O pior ainda está para vir, quando já não ouver trigo, ou houver pouco. Agora arruinam-se os pequenos produtores, para depois o preço subir exageradamente.
Será que o homem ( marido ) ainda voltará a perguntar à mulher; ( esposa ) porque é que não cose uns panitos, se tem o alguidar, a tábua de tender, a água, o sal e o forno ?
Pois é a p... a dar-lhe com a farinha!
Manuel Antonio Domingos a 21 de Outubro de 2008 às 08:25
Infelizmente o problema não é só o que atrás se refere.

O problema chama-se SUBSÍDIOS.

É pois na subsidiodependência que toda esta problemática deve ser analisada. Sob pena de estarmos a falar de coisas sem nexo.

São e foram os tempos em que vivemos. E sem dúvida mais uma consequência do Capitalismo desenfreado que ainda hoje manda em tudo e em todos.
Carlos a 21 de Outubro de 2008 às 13:48
Subsidios e afins é um tema que dava pano para mangas. Infelizmente muitas vezes generaliza-se o adjectivo, esquecendo-se as diferenças dos montantes recebidos. Em muitos casos apenas servem para subreviver face a imposições dos Estados, outros casos haverá em que os montantes chocam o comum dos mortais. Mas é mais fácil falar de subsidios à agricultura do que falar das margens de lucro de certos negócios , ordenados e reformas à custa do orçamento não é verdade?
Faço questão de informar que não tenho a mais pequena informação sobre quem o meu amigo é, pelo que os meus argumentos, são mesmo generalistas e de boa fé.
Manuel Antonio Domingos a 21 de Outubro de 2008 às 16:37
Pois é......
O trigo para semear está caro!
O Gasóleo Agrícola para a maquinaria igual!
Os Adubos e Fertilizantes subiram na ordem dos 200%!!!
Os encargos com pessoal, pois ai nem se fala....ordenados iguais à mais de 10 anos...
Então e o resto não está caro???
Era ve-los, hoje no final da tarde, para cima de uma mão cheia de jipes e carrinhas 4x4, com atrelados de cavalos e os respectivos animais, e uma mão cheia de Galgos a caçarem às Lebres a Cavalo, nas várzeas da Herdade do Monte Ruivo - Alvito....
Sim, Sim !!! tenho a certeza que vi bem...não andavam a semear trigo que está tudo pelos olhos da cara e não compensa na hora de venderem o tigo que recolhem nas ceifas...Andavam a Caçar às Lebres a Cavalo, e numa Quarta-feira, quando o comum do cidadão trabalha, eles que vivem como subsidiodependentes divertem-se !!!!!
Depois !!! Bem depois quando a terra já não der mesmo nada, e não compensar mais, mesmo só a caçar, sempre restam os Espanhóis para comprar.......
Agricultor das mesas da perguiça a 22 de Outubro de 2008 às 22:36
nem todos os agricultores tem jipes nem cavalos nem tem tempo para ir cazar, nem caçadores sao, pena que a ignorancia de alguns so conheça a realidade de uns quantos quando a maioria nao consegue nem com o poco subsidio que recebe pagar as despesas e tem que labotar de sol a sol para ir sobrevivendo que seija distribuida 1 pouco a riqueza em portugal principalmente para os que trabalhao em produzem, acredito que 80% do pais nao produz nada e andao a mamar nas tetas do estadosou agricultor e para mim poderiao acabar os subesidios mas tinha que ser para todos e acabar com os tachos que me parecem ser muitos neste pais virtual...
paulino a 3 de Novembro de 2008 às 18:22
Outubro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
Passaram por cá
"Contador de visitas">Contador de visitas
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Txêque parece que tem azogue nas unhas!
E como diz o VP, tem que continuar a politica de a...
Além desses, os que também cometeu enquanto presid...
A Câmara de Beja, nos últimos 4 anos tem feito tra...
ridicula e patetica esta candidatura.O candidato i...
realmente falasse aqui de muita coisa, agora até o...
E se ao lado da folha de apresentação do anterior ...
Assisti a alguns debates sobre o POLIS. Recordo-m...
Independentemente daquilo que foi o desempenho do ...
Ah e já agora o tiro foi ao lado. Não tenho partid...
Rendam se às evidências. Se formos por aí o que d...
Mas quem é que tinha de reconhecer o eventual erro...
Não é. Mas já alguém reconheceu publicamente o err...
Se ao menos o João Espinho reconhecesse os erros p...
E reconhecer erros é crime?
blogs SAPO