Alvitrando
Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.
08
Set 05

Nestas eleições autárquicas aumentou significativamente o número de candidatos populistas.
Eles compõem as suas listas não com os mais capazes mas com os que julgam que lhes podem trazer votos. E se eles não querem obrigam-nos, fazendo-lhes as mais diversas chantagens e ameaças.
Eles prometem tudo a todos. Os seus programas eleitorais são listas de promessas sem qualquer sustentação. Só os fazem para iludir os desprevenidos. E embrulham-nos em bom papel para que a ilusão seja maior.
Eles não estão interessados em resolver os problemas das pessoas mas sim em manterem ou alcançarem o poder. O poder para eles é tudo. Uma vez no poder julgam que ele é absoluto, desprezando as leis e demais regras democráticas bem como as populações.

É PRECISO DIZER NÃO AO POPULISMO! É PRECISO OPTAR POR ALTERNATIVAS SÉRIAS QUE GARANTAM SERVIR BEM O CONCELHO E AS POPULAÇÕES.


publicado por Zé LG às 22:14
Que vergonha...Ao que isto chegou!!!Façam o vosso trabalho e não andem com insinuações a prejudicar a vida dos outros.Estes Blogs até metem nojo.fiquem bemjsd
</a>
(mailto:jsd@iol.pt)
Anónimo a 14 de Setembro de 2005 às 10:37
José Alves: Cumprimento-o pela sua produção (que me parece ter algum toque humorístico!) Quero dizer-lhe que tem razão quanto a algumas palavras que teve a gentileza de escrever. Com a ressalva de que não exprimo aqui as ideias do MI, tão só as minhas próprias, aliás, como já tive a oportunidade de referir anteriormente, quero, em todo o caso, deixar-lhe alguns detalhes da minha conformidade sobre essas suas brilhantes e oportunas palavras (embora talvez escritas com outro toque semântico, não é, caro José Alves?)
Tal como o José Alves, também eu creio que o MI é um “grupo” e que tem um “núcleo duro” – tão duro, que consegue tornar os seus membros mais fortes, mais coesos e capazes de reagir com tranquilidade e sem angústias aos desafios que se propõem. De igual forma, também creio que todos quererão “tacho”, pois creio que a generalidade acredita na alimentação bem cozinhada, aliás, um predicado da dieta alentejana.
Reiterando que se trata do meu ponto de vista, pode ser interessante a ideia de “teia”, se a tomarmos como uma construção elaborada e com objectivos diversos. Nesta conformidade, creio que se pode não só utilizar a teia como estrutura de defesa de alguns aranhiços, ou, também, como símbolo de uma estrutura organizada de elementos, os quais funcionam cooperativamente para atingir objectivos comuns.
Quanto à ideia de “moços pequenos e rapazida”, apenas lhe digo: - “Muito obrigado, pela parte que me toca!”. A expressão “-nada mais”, a qual imagino que quererá dizer “menos nada mais”… também está excelente! De facto, com o que escreveu já era suficiente… quando se pinta em excesso, pode-se tudo! Não valia a pena esse esforço! O que escrevera antes estava delicioso!
Quanto à “batuta do Tolia”… confesso que não sabia que ele tinha formação em direcção musical! Se assim é, mais o terei de admirar. De qualquer forma, muito obrigado pela sua informação. Imagino que é fidedigna! Quem sabe se foi sob a direcção de tal batuta que o Senhor José Alves, eventualmente, se iniciou no pífaro ou no clarinete! Talvez, por isso, terá tido o cuidado de lhe explicitar esse atributo: - “Malandrice” (é uma mera suposição, como é fácil calcular!).

Se me enganei quanto à interpretação das suas palavras, peço desculpa. De qualquer forma, reitero-lhe o meu agradecimento e sugiro-lhe que vote no MI.
Alvito... Sempre!
</a>
(mailto:alvito@alvito.com)
Anónimo a 13 de Setembro de 2005 às 23:37
Meninos do MI deixem-se de conversas da treta, vocês não passam de um grupo (nucleo duro) de oportunistas a querer tacho, os outros forma apanhados na teia. Moços pequenos e rapaziada -nada mais. Sob a batuta do sr.Tolia esse exemplo da maior malandrice da Alvito.José Alves
</a>
(mailto:jalves@iol.pt)
Anónimo a 13 de Setembro de 2005 às 20:11
Estimado “candidato do MI”: Subscrevo, e defendo, essa sua referência à condição do MI como um “espaço de participação cívica, de pluralidade, onde todas as opiniões são respeitadas”. Aliás, eu próprio fiz notar esses mesmos princípios e, de igual forma, deixei muito claro que a minha intervenção era da minha total responsabilidade e em nada vinculava o MI. Por todas estas prerrogativas, considero oportuna a sua intervenção – que agradeço.
Quanto à orientação dos “tiros no escuro” enunciados no artigo que está na base deste comentário, importa alertar para o facto de que sendo no escuro, podem atingir qualquer cidadão que não se veja nessas disputas, o que é uma atitude cobarde. Se essas “bocas” foram para o “PS” ou para o “PSD/CDS/PPM”, não me importo absolutamente nada! Gostaria, sim, de ver objectividade nessas afirmações… e não vi! Como tal, reitero a minha indignação sobre elas e sobre a atitude do seu autor.
De igual forma, considero oportuno o seu comentário, atendendo ao facto de se poder aplicar o velho provérbio “Quem não se sente não é filho de boa gente!” Eu senti-me envolvido naquelas expressões “fantasma” (e sinto-me, enquanto o autor não me responder convenientemente!). Assim, embora, reconhecendo o muito diminuto valor intrínseco de um blog para veicular opiniões mais profundas, não quis deixar de manifestar o meu desagrado por tais conjecturas. Confesso que não sou de fácil motivação para entrar em polémicas estéreis e de alimentar “blogs”, porém, é importante “ir ao jogo” em cão algumas ocasiões. Foi este o caso (aliás, a ocasião) – embora assumindo que o sentido das minhas palavras não se ajustem na lógica argumentativa deste blog; quem sabe se esta postura a pode ajudar a modificar? Oxalá! Dou, aqui, por encerrado o meu ciclo de comentários a tais barbaridades, fazendo notar, no entanto, que desafiei o proprietário do blog a responder objectivamente a umas quantas perguntas… Não obtive resposta! A evasão com que o senhor LG se refugiou não me permite fazer mais considerações. Continuarei a estar alerta para a produção de comentários - disparates ou reflexões sérias (porque já aqui as li, também!). Não me remeto a qualquer tipo de silêncio ou omissão, sob pena de estar a trair os meus valores, os quais, reitero, podem ser afins a alguns dos princípios propostos pelo Movimento Independente – o que não veicula, obviamente, a posição formal deste.
Cumprimento-os… a todos!
Alvito... Sempre!
</a>
(mailto:alvito@alvito.com)
Anónimo a 12 de Setembro de 2005 às 12:46
O MI é um espaço de participação civica, de pluralidade, onde todas as opiniões são respeitadas. Esta é uma das suas maiores virtudes, contudo convém não esquecer que qualquer posição que veicule este Movimento será sempre assumida pelo mesmo, sem recurso ao anonimato, e transmitida pelos canais de comunicação que adoptou para a campanha. Muito sinceramente considero que o sr. LG não se estaria a referir ao MI quando abordou as questões da coacção e do populismo. Todos sabemos que se está a dirigir ao PS (coacção sobre trabalhadores) e à coligação PSD/CDS/PPM (populismo e demagogia). O MI não enfia essa carapuça. Candidato do MI
</a>
(mailto:mi@eleições.pt)
Anónimo a 11 de Setembro de 2005 às 23:48
Olha, és o Cesar Castro? hummm... parece que és parvo, mas só um caditoo nalgas
</a>
(mailto:atraz@sempre.cu)
Anónimo a 11 de Setembro de 2005 às 12:57
Oh ALVITO...SEMPRE! Isso é mesmo o nome que a sua mãezinha e o seu paizinho lhe deram, ou é apenas um esconderijo para dizer o que lhe apetece numa atitude cobarde? Gosto de gente, aliás de homens a sério. Olhe eu sou o César Castro. Prazer.César Castro
</a>
(mailto:ccastro@clix.pt)
Anónimo a 11 de Setembro de 2005 às 04:00
Aonde o homem chegou... Dispara em todos os sentidos na sua mágoa de escorraçado de tudo e de todos.Abandonado pelo partido que fez dele um homenzinho,impedido pelo PCP de azer sequer campanha,os "amigos" abandonaram-no ,ninguém tem pachorra para o aturar,fecha-se em casa e de manhã á noite vive agarrado ao computador a manifestar o seu desiquilibrio mental. Coitado HAJA QUEM LHE ACUDA,até a dama de companhia parece té-lo abandonado. Haverá alguma forma de o podermos internar?Miguel
</a>
(mailto:migueltarro@iol.pt)
Anónimo a 10 de Setembro de 2005 às 13:58
Não medigam que o Mi já não pisca o olho ao LG? Não medigam que o LG já não está com o Mi? Não medigam que o LG já apoia o Pintos? Não medigam nada porque tudo está dito : A ESTE ERMITA DA POLITICA SÓ MESMO A SUA CANDIDATURA É QUE ERA BESTIAL...CONTINUA ASSIM QUE DAQUI A POUCO NEM O SERROTE TE LIGASERROTE
(http://SS)
(mailto:SERROTE@SAPO.PT)
Anónimo a 10 de Setembro de 2005 às 13:22
LG: Constato que continua na sua permanente forma de “sair pela tangente” e a afastar-se do essencial. Essa é, claramente, uma das razões que podem estar na base do seu progressivo afastamento dos lugares de decisão. Creio que sabe do que estamos a falar, não é verdade, Senhor Lopes Guerreiro?
Desculpe a ousadia, mas tenho que lhe recordar que a estratégia que utiliza no seu blog, recorrendo a afirmações “fantasma”, é própria de um defunto regime político que ficava a leste de Berlim. Não imagino que queira meter medo a alguém com essas palavras… e, já agora, muito menos dar lições sobre aquela “democracia” de toque ditatorial, em tons de vermelho sujo – obviamente que, se assim for, voltará a insistir na mesma lógia de erro que o tem reduzido ao seu universo eremítico deste seu blog.

Essa estratégia de tentar conduzir debates e provocar opinião, sem haver legitimidade ética para tal, é muito velha! Melhor: mais que velha é caduca!
Ou será que está a tentar aplicar um qualquer destes métodos de animação da escrita e da leitura? Cuidado, Senhor Lopes Guerreiro, não confunda as coisas!
Muito sinceramente, permita que lhe diga: - Parece-me que o Senhor está a entrar num processo que merece alguma atenção clínica. Não confunda o bater das teclas com as dúvidas para o sofá psicanalítico!
Na verdade, esses somatórios de disparates que alimenta no seu blog, parecem revelar alguma instabilidade. Desculpe a franqueza! Essa sua procura de satisfação de necessidades do tipo “masturbação lecto-escritora” parece que o cristalizou. Onde está o Lopes Guerreiro dialogante?
Espero, sinceramente, que este motivador “catalítico” lhe retire um pouco da sua ansiedade. Quanto à animosidade das suas palavras, quero-lhe dizer que não tenho ressentimentos. Da minha parte, está perdoado!
Convido-o a votar no MI!
Alvito... Sempre!
</a>
(mailto:alvito@alvito.com)
Anónimo a 10 de Setembro de 2005 às 01:23
Setembro 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
19
20
21
23
28
Passaram por cá
"Contador de visitas">Contador de visitas
Passaram por cá
"Contador de visitas">Contador de visitas
DEZ ANOS ALVITRANDO
10 anos de Blogs do SAPO
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
LG: aceito o teu pedido que de futuro também terei...
Não gosto de fazer juizos de intenções, mas a verd...
Tanto disparate junto ! Tanto tempo disponível pa...
Siadap cresap siga clinidatanet sisqual pem sape s...
Siadap cresap siga clinidatanet sisqual pem sape s...
Siadap cresap siga clinidatanet sisqual pem sape s...
A do rabo grande, não é amiga de ninguém, é uma fa...
tenho uma igual com batarias novas so precisa ...
De facto, agora já vamos tarde, para uma alternati...
Ou sou eu que não me faço compreender, ou então há...
Quem presume má-fé dos outros, faz suspeitar da su...
Se tivéssemos uma região Alentejo , com um governo...
Sr. Jeremias: esse veneno de que quem aqui debate ...
O problema do debate destes temas neste blog, aliá...
O povo de Beja recusa-se a aprender a lição de Dav...
Outras paragens
DEZ ANOS ALVITRANDO
10 anos de Blogs do SAPO
blogs SAPO