Alvitrando
Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.
17
Out 08

Com eleições à vista o eleitoralismo voltou, de forma mais clara, a estar presente no discurso político. Voltou ao discurso político porque na actividade política nunca deixou de estar presente.

O Orçamento para o próximo ano é o mais evidente exemplo disso mesmo.

Andaram, o primeiro-ministro e o ministro das Finanças, durante quatro anos e a apresentação de quatro orçamentos, a multiplicarem-se em declarações para justificarem os apertos orçamentais, para, em plena crise mundial, anunciar o “desapertar do cinto”.

O que era uma inevitabilidade, numa melhor situação financeira, deixou de o ser numa situação de crise como a que atravessamos.

Os cortes no investimento público ficaram para trás e o Orçamento de 2009 prevê um crescimento de 4,2% do Programa de Investimentos e Despesas da Administração Central, o sempre polémico PIDDAC.

As dificuldades criadas à economia, às pequenas e média empresas, aos trabalhadores, especialmente aos da função pública, e às famílias, em orçamentos anteriores, estão agora a dar lugar a políticas, medidas e incentivos visando esses mesmos sectores.

Sectores esses que, certamente por mera coincidência, constituem o grosso da classe média, ou seja, a componente do eleitorado mais determinante.

Quem, com atenção, tenha ouvido o primeiro-ministro multiplicar-se a anunciar essas novas políticas, medidas e incentivos e ouviu ontem o ministro das Finanças a justificar o Orçamento para 2009 não terá ficado com muitas dúvidas acerca das motivações que justificam aquela alterações.

Nem sequer se esforçam muito por embrulhar melhor esta alteração discursiva nem justificar com mais convicção aquelas alterações orçamentais.

A grande, talvez a única, justificação apresentada é a do o rigor e do controlo orçamentais destes anos. Convenhamos que é frouxa, que só convence quem quer ou quem anda distraído.

Disse, ontem, o ministro das Finanças, em resposta a uma pergunta de um jornalista, que este Orçamento era também de rigor mas menos apertado para fazer face às necessidades da economia, das pequenas e médias empresas, dos trabalhadores e das famílias, porque o aperto dos anteriores assim o permitia.

É preciso ser mais claro para que alguém perceba que o que, de facto, justifica este “desapertar do cinto”, apesar da crise que a economia de casino está a atravessar, tem como explicação o ciclo eleitoral que está a iniciar-se?

É impressionante ouvir o primeiro-ministro, o ministro das Finanças e outros acusarem de eleitoralismo as oposições que criticam e as suas medidas agora anunciadas, de sentido contrário às seguidas até aqui, tal como impressiona a sua recusa de toda e qualquer proposta que elas apresentem.

Então, neste conjunto de medidas anunciadas de apoios às pequenas e médias empresas não cabe o pagamento do IVA com a emissão do recibo em vez de continuar a beneficiar o infractor, quem não paga a tempo e horas?

Enfim, este governo torna agora mais evidente aquilo que desde sempre se percebeu, que é o facto de ter orientado toda a sua actividade para chegar a esta altura, aligeirar o rigor orçamental e tentar ganhar votos com medidas simpáticas para com sectores determinantes do eleitorado.

Será que esta maior evidência não chega ainda para o eleitorado julgar adequadamente este governo e, principalmente, esta política? Será que a incapacidade, reveladas até aqui pelas oposições, de criar alternativas credíveis vai permitir que esta forma de governar e esta política continuem?

Se tal acontecer, poder-se-á concluir que não é só o sistema que está em causa mas também o regime.  

O ciclo eleitoral que se desenvolve neste próximo ano terá um impacto muito grande, não só na próxima legislatura mas também a mais longo prazo.

 

Lido na Rádio Terra Mãe, em 15.10.2008.

publicado por Zé LG às 12:51
Crônicas sobre os últimos acontecimentos políticos escritas de forma leve e sarcástica.

Mosaico de Lama:
www.mosaicodelama.blosgpot.com

Boa leitura!
Lilian a 17 de Outubro de 2008 às 14:23
Só gostava de perguntar aos ambientalistas de meia tigela se o que fizeram aos ninhos de andorinha no Gabinete t técnico não merecia uma queixa na GNR como fizeram há 4 anos?!
É caso para dizer só se preocupam com andorinhas enquanto não estão no poder
Agora tudo está bem né verdade?! No tempo do Paiva fizeram com que a câmara pagasse quase 7oo contos porque derrubou os ninhos Agora são derrubados e não vejo os defensores dos animais a protegê-los Será porquê
andorinha a 18 de Outubro de 2008 às 12:31
Comentário oportuno e pertinente.
Zé LG a 18 de Outubro de 2008 às 13:05
Oportunissimo!!!!
É bom que qem deu ordem seja punido, ou é só o PS que paga? Porque não uma queixa para os animais, policia judiciaria e tribunal Fiscal?
É mau é se ninguém deu a ordem, quem paga?
Acho que deverá a oposição questionar o empretero que anda a pintar o que fez aos ninhos.
Ainda hoje haviam muitas andorinhas de chegada que queriam pronoitar, mas assim não dá, derrubaram-lhes as barracas. Porque não tira os ninhos na Primavera???? Porquê??????
Porque não vão lá os funcionários da Câmara construir os ninhos em alcatrão???
Viva à Merda de Andorinha, Viva!!! Viva !! É tão bonito estar na esplanada do mika a contemplá-la, não é?
Porquê não mandar os ninhos para Stº António, já lá há mais ninhos, não há?
Viva à Merda de Andorinha, Viva!!! Viva !! Viva à Merda de Andorinha, Viva!!! Viva !! Viva à Merda de Andorinha, Viva!!! Viva !! Viva à Merda de Andorinha, Viva!!! Viva !! Viva à Merda de Andorinha, Viva!!! Viva !! Viva à Merda de Andorinha, Viva!!! Viva !! Viva à Merda de Andorinha, Viva!!! Viva !! Viva à Merda de Andorinha, Viva!!! Viva !! Viva à Merda de Andorinha, Viva!!! Viva !! Viva à Merda de Andorinha, Viva!!! Viva !! Viva à Merda de Andorinha, Viva!!! Viva !!
Francis a 18 de Outubro de 2008 às 17:53
Agora as coisas foram feitas legalmente!
pássaro a 20 de Outubro de 2008 às 09:32
Bem lembrada essa questão! Mas todos sabemos quem fez a queixa e agora fica calada que nem uma rata. E todos sabemos tambem que os bufos desse tempo estão todos no MI. Desde o mobilizador de acólitos para protestos nas reuniões da camara,aos denunciantes .leia-se bufos,anonimos e caluniadores do Paiva,que de tudo ofenderam o homem,enfim a pandilha que procurou destruir todos os presidentes de camara,mesmo o senhor-Lopes Guerreiro, tudo está no MI e com os resultados bem á vista. Todos vão recebendo os seus prémios e tachos,consta-se ,será verdade? que o mais destacado deles vai ocupar o lugar do Horta. Não admirou tanto empenho dessa gente,mas haverá doce para todos? Uma vergonha o que se está a passar em Alvito.
Jorge a 20 de Outubro de 2008 às 03:12
Andorinha = Pedaça = Sr. Dr. P, né? Não aprendes?
nha a 21 de Outubro de 2008 às 12:09
Outubro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
Passaram por cá
Contador de visitas

Desde 15.01.2011
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Mandou fazer o tubinho e comprou caixas de Rennie!...
A morte de uma cidade! Só não vê quem não quer!
Já tem um tubo e uma máquina de alcatrão não chega...
os tubinhos foi onde os outros gastaram o dinheiro...
Que boa noticia para os colaboradores da EMAS. Já ...
Já se começa a notar a mão do Eng.º Rui Marreiros....
Em Beja já aconteceu e ê só descer degraus.Nao vee...
Sempre tem a asfaltadeira do Rocha para ir tapando...
Meninos mimados e guerrilhas há em todo o lado, se...
O que se passa aqui e um reflexo de tudo o resto, ...
Tudo bem, mas por favor não misture com o que se p...
Parvoíce é o silêncio de que devia de andar indign...
Querer comparar o que se passa a nível autárquico,...
Pelo menos,já devia ter organizado uma festinha te...
... E assim é esta a forma cordial entre eles que ...
blogs SAPO