Alvitrando
Aqui se dão alvíssaras e trocam ideias sobre temas gerais, o Alentejo e o poder local, e vou dando notícias das minhas reflexões sobre temas da actualidade e de acontecimentos que achar que devem ser divulgados por esta via.
05
Nov 17

578px_d1a315097064562248b56c.png

 

publicado por Zé LG às 21:00
05
Nov 17

Continuam as ondas de choque sobre o lamentável programa da passada segunda-feira. O Alentejo não saiu lá muito bem na chapa, como é costume dizer-se. Aqui vão algumas notas diversas sobre o que me vai na alma, podendo ter razão ou não:

 

* O fundo da questão não reside num jogo Évora vs. Beja, os que se aproveitam de um lado, os que são prejudicados do outro;

* As intervenções primaram pela falta de clareza e pela falta de concisão, uma velha pecha lusitana, nós que tanto amamos o floreado e o barroco;

* Não percebo o que tanto divertiu o senhor ministro, que riu o tempo todo;

* Não percebo o que lá foi fazer o representante de um movimento qualquer, Melhor Alentejo ou algo assim, que se limitou a alinhavar um chorrilho de banalidades;

* Não percebo o que lá foi fazer outro senhor que acabou a tentar cantar qualquer coisa;

* O Presidente da EDIA devia ter tido tempo para explicar coisas importantes;

* Alguém devia explicar ao Dr. José Roquette que o sul da Europa é diferente do norte da Europa;

* Não percebo porque é que deram a palavra a um promotor de gin que foi dizer que Reguengos é diferente (claro, se fosse igual é que seria espantoso) e não permitiram que o Presidente da CCDRA, um homem decente e de grande qualidade, dissesse uma só palavra;

* Há geógrafos que, em poucas palavras, poderiam ter explicado o porquê das coisas;

* Há quem pudesse ter explicado que o triste episódio da automotora não é um detalhe mas o reflexo da realidade que vivemos;

* A penosa e subserviente intervenção do Presidente da Câmara de Beja é o espelho de uma certa política local...

 

Quem falou melhor? Um senhor chamado Carpinteiro Albino. Falou muito bem. Em poucas palavras, disse o essencial e pôs a nu as terríveis debilidades e limitações da nossa administração. E a estupidez de tanta e tanta legislação. Sei do que falo! E ele mais ainda que eu!

 

Publicada por Santiago Macias à(s) 22:28, no seu Avenida da Salúquia 34.

publicado por Zé LG às 15:54
05
Nov 17

Primeira Rota de Touring Cultural no nosso país, a Rota do Fresco agrega 15 municípios alentejanos: Alvito, Cuba, Vidigueira, Viana do Alentejo, Portel, Évora, Montemor-o-Novo, Borba, Vila Viçosa, Alandroal, Serpa, Moura, Castro Verde, Aljustrel e Beja.

600px_e59f75497d2907732431.png

A Rota do Fresco propõe a descoberta do tesouro escondido do Alentejo — a Pintura Mural a Fresco — que se guarda, por razões muito concretas e directamente relacionadas com o desenvolvimento deste território — na maior parte das igrejas, capelas e ermidas da região. A Rota do Fresco é assim uma oportunidade única de transpor estas portas, usualmente fechadas, e desvendar pinturas com 500 anos de existência, preservadas, por vezes, sem mácula, em monumentos esquecidos.

As Rotas têm duração variada (de 1/2 dia a 4 dias) e destinam-se a grupos. Poderá ainda aventurar-se num Atelier de Pintura Mural a Fresco sazonal ou num Atelier de Caiação. Todas as Rotas são acompanhadas por um Intérprete do Património, licenciado em História ou História da Arte e formado especialmente em pintura mural e cultura alentejana.

FOTOGRAFIA DO MÊS da Rota do Fresco - Ermida de S. Sebastião, Alvito

publicado por Zé LG às 10:17
Novembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
Passaram por cá
Contador de visitas

Desde 15.01.2011
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Não estão à altura da dignidade do cargo de Presid...
Não seja assim..Vá lá. .
Substância=conteúdo.
Olhe que não. Olhe que não.Sempre aqui se teceram ...
Passámos da noite para o dia... em termos de gente...
Pelo menos numa coisa já temos de dar mérito a est...
A pior coisa que se pode fazer aos políticos que e...
Deixem as pessoas trabalhar á vontade! Podem não f...
Parabéns à Câmara de Castro Verde pela decisão.Vam...
No Facebook não há anonimato. Mas podem haver fals...
Pois, era bom que fosse assim, só que o que se ver...
Temos de habituar-nos. As redes sociais proporcion...
António, o pior é que o que se passa ai passa-se e...
“Alta resolução” onde???
Também o Hospital de Serpa foi transformado numa c...
blogs SAPO